Ginecomastia

CIRURGIA DE MAMA MASCULINA

É uma das cirurgias estéticas mais comuns realizadas em homens. Corrige o excedente da mama masculina que pode ser formada pelo excesso de glândula, gordura ou ambos.

ginecomastiaAs perguntas mais frequentes sobre esta cirurgia são:

CIRURGIA DE GINECOMASTIA DEIXA CICATRIZES?

Sim, mas a cicatriz fica bastante disfarçada por ter o formato de meia lua, na margem inferior da aréola.A evolução cicatricial acontece da seguinte forma:
a) PERÍODO IMEDIATO: Até o 30ºdia e apresenta-se pouco aparente. Em alguns casos podem apresentar uma discreta reação aos pontos.
b) PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 12º mês. Nesta fase acontece um espessamento natural da cicatriz e a mudança da sua cor, que vai de vermelha a marrom. O clareamento acontece com o passar dos meses.
c) PERÍODO TARDIO: Do 12º ao 18º mês. A cicatriz nesta fase estará mais clara e menos consistente. Somente a partir desta fase é que poderemos avaliar o resultado final de uma cicatriz.

EXISTE CORREÇÃO PARA CICATRIZES GROSSAS COMO QUELÓIDES NA GINECOMASTIA?

Sim. Existem vários recursos que nos permitem melhorar as cicatrizes, mas na época adequada. Não se deve confundir entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 12º mês) como sendo uma complicação cicatricial.

COMO É FEITA A GINECOMASTIA?

A Ginecomastia pode ser glandular (somente excesso de glândula mamária), gordurosa (com excesso de gordura apenas) ou mista (além de gordura há também tecido glandular excedente). Na maioria das vezes iniciamos a cirurgia realizando uma lipoaspiração nas mamas, e em seguida retiramos o excesso de glândula.

EM QUANTO TEMPO TEREI O RESULTADO DEFINITIVO APÓS A GINECOMASTIA?

Somente após o 3º mês.

O PÓS-OPERATÓRIO DA GINECOMASTIA DÓI?

Geralmente não. O desconforto causado é aliviado por analgésicos simples.

HÁ RISCO NESTA CIRURGIA DE GINECOMASTIA?

Raramente a cirurgia de Ginecomastia tem complicações sérias. Seromas e hematomas são as intercorrências mais comuns no pós-operatório.

QUE ANESTESIA É UTILIZADA NA CIRURGIA?

ginecomastiaLocal com sedação assistida pelo anestesista

QUANTO TEMPO DURA A GINECOMASTIA?

De 1 a 2 horas.

QUAL O TEMPO DE INTERNAÇÃO DA GINECOMASTIA?

Em torno de 12 horas.

PRECISO USAR A CINTA CIRÚRGICA APÓS A CIRURGIA?

Sim. A cinta adequada é recomendada para o pós-operatório, por 30 dias.

QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS DA GINECOMASTIA?

Não há necessidade de retirada de pontos

APÓS A CIRURGIA DE MAMA MASCULINA, QUANDO PODEREI TOMAREI BANHO COMPLETO?

Após 24hs.

APÓS A CIRURGIA, QUANDO PODEREI RETORNAR AS ATIVIDADES FÍSICAS?

Após 30 dias.

A DRENAGEM LINFÁTICA É NECESSÁRIA NA GINECOMASTIA?

Sim. Recomendamos iniciar as sessões na primeira semana de pós-operatório para reduzir o inchaço e remodelar as cicatrizes, evitando assim retrações e fibroses.

O QUE É GINECOMASTIA?

Muitos pacientes questionam-se sobre o que é ginecomastia pensando que se trata do nome da cirurgia de mama masculina, no entanto, essa informação não está correta.

O termo ginecomastia refere-se à proliferação benigna do tecido glandular nas mamas masculinas, provocando crescimento das mesmas.

Desta forma o correto ao se referir a esta cirurgia seria: Correção cirúrgica da ginecomastia.

A condição pode afetar entre 40% e 65% dos homens adultos.

Assim como as mulheres, os homens também têm glândulas mamárias, mas o normal é que elas não se desenvolvam, sendo que esse aumento excessivo pode exigir tratamento especializado, como a cirurgia de ginecomastia.

O crescimento das mamas nos homens ocorre, normalmente, na adolescência, entre 13 e 15 anos, sendo chamada de ginecomastia puberal, de forma que é importante que as pais tenham conhecimento sobre o que é ginecomastia.

No entanto, até os 17 anos a condição deve regredir espontaneamente, sem nenhuma intervenção médica. Em muitos casos, no entanto, a ginecomastia não vai regredir sem a realização de tratamentos específicos.

QUAIS OS TIPOS DE GINECOMASTIA?

No caso dos homens, essa alteração pode ser de dois tipos:

  • ginecomastia unilateral: afeta apenas uma das mamas, causando assimetria;
  • ginecomastia bilateral: ocorre em ambas as mamas.

Além dessa diferenciação, a ginecomastia pode apresentar-se em diferentes graus. São eles:

  • grau I – quando o crescimento da glândula mamária concentra-se abaixo da aréola e é menor do que 250 g;
  • grau II – ocorre quando a proeminência afeta boa parte do tórax, com volume mamário variando entre 250 e 500 g;
  • grau III – consiste em um crescimento superior a 500 gramas que resulta no caimento das mamas.

Ela pode também ser glandular (aumento somente do tecido glandular), gordurosa ou lipomastia (quando o aumento da mama se deve somente ao acúmulo de gordura local) ou mista (quando existe aumento de tecido glandular e gorduroso)

O QUE CAUSA A GINECOMASTIA?

O tecido mamário tem receptores para estrógenos e andrógenos. O estrogênio estimula a proliferação dos ductos mamários, enquanto os andrógenos inibem o mesmo processo.

Quando ocorre o aumento dos níveis de estrogênio no organismo uma das consequências é o aumento do tecido mamário.

Apesar de a maior parte dos casos não ter uma causa definida, algumas condições são frequentemente associadas ao desenvolvimento de ginecomastia, como:

  • obesidade: o acúmulo de gordura nas mamas causado pelo aumento significativo de peso pode causar crescimento das mamas masculinas, sendo chamado de lipomastia ou pseudoginecomastia;
  • alterações endócrinas: quando ocorre o aumento dos hormônios femininos (estrógenos) e redução dos hormônios masculinos (andrógenos). Esse processo pode ocorrer devido tumores hipofisários ou da glândula suprarrenais, distúrbios testiculares e insuficiência hepática;
  • finasterida: medicamento usado para tratamento de doenças na próstata e calvície também está associado ao aumento da mama nos homens;
  • uso de hormônios e anabolizantes: substâncias como digoxina, espironolactona, antagonistas de H2 (cimetidina, ranitidina), verapamil e anticonvulsivantes podem causar alterações hormonais que resultem na condição;
  • síndrome de Klinefelter: síndrome na qual o homem nasce com um cromossomo feminino extra, podendo desenvolver mais características femininas;
  • hipopituitarismo: condição pela qual o organismo não consegue produzir os hormônios necessários ao pleno funcionamento dele.

A investigação das causas da ginecomastia também é um aspecto importante para recomendação quanto ao tratamento.

EXISTEM SINTOMAS RELACIONADOS À CONDIÇÃO?

Em geral, o aumento das mamas masculinas é assintomático, expressando-se unicamente pelo crescimento do volume mamário. Em alguns casos, entretanto, podem ser identificamos sintomas como:

  • sensibilidade nas mamas;
  • assimetria das aréolas;
  • secreção mamilar;
  • coceira.

A identificação desses sintomas justifica a procura por um médico especializado para verificar a condição e dar seguimento no tratamento.

É POSSÍVEL REALIZAR UM TRATAMENTO MEDICAMENTOSO?

O receio de uma intervenção cirúrgica faz com que muitos homens prefiram um tratamento da ginecomastia menos invasivo do que a mamoplastia masculina.

O tratamento com medicamento para proporcionar equilíbrio hormonal, entretanto, depende das causas da condição e só é eficaz em estágios iniciais da doença. Entre os medicamentos recomendados para essa finalidade estão:

  • andrógenos, como testosterona, di-hidrotestosterona e danazol;
  • inibidores de aromatase;
  • antiestrogênio.

A mamoplastia masculina é recomendada quando o uso desses medicamentos não apresenta resultados satisfatórios e quando a condição acarreta um grande incômodo ao paciente, seja estético ou psicológico.

Destaca-se que o uso de medicamentos deve ser realizado apenas com a prescrição médica após uma investigação detalhada do caso.

QUAIS EXAMES REALIZAR ANTES DA MAMOPLASTIA MASCULINA?

Quando a cirurgia de ginecomastia for o tratamento mais adequado é necessário que o paciente realize alguns exames previamente antes de se submeter ao procedimento. Entre eles estão:

  • hemograma completo para verificar a presença de anemias, infecções e alterações da contagem de plaquetas;
  • dosagens de sódio, potássio, ureia e creatinina para verificar a função renal;
  • coagulograma completo;
  • glicemia de jejum;
  • exame comum de urina com urocultura;
  • eletrocardiograma;
  • ultrassonografia de mamas.

A partir dessa investigação completa é possível verificar se o paciente está apto para ser submetido a uma intervenção cirúrgica como é o caso da cirurgia para correção da ginecomastia.

RECOMENDAÇÕES SOBRE A CIRURGIA ESTÉTICA REDUTORA DAS MAMAS MASCULINAS

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS

a) Em caso de gripe ou indisposição, comunicar-se conosco o quanto antes.
b) Internar-se em jejum de 8hs, inclusive de água, no horário marcado.
c) Evitar bebidas alcoólicas ou refeições pesadas antes da cirurgia.
d) Programe seu repouso por um período de aproximadamente 3 a 7 dias.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

a) Evite esforços excessivos nos 15 primeiros dias.
b) Não movimente os braços em excesso por 30 dias.
c) Só se exponha ao sol quando após liberação médica.
d) Alimentação normal
e) Comece as drenagens linfáticas no período recomendado.

Clique aqui e envie-nos suas dúvidas.

Desejando agendar uma consulta, basta clicar no link Agende sua consulta ou ligue agora para (11) 3285-6412 ou 3285-3514.

Quanto Custa uma cirurgia para Ginecomastia?
Confira quanto custa Ginecomastia na Clínica da Dra. Luciana Pepino, entre outras Cirurgias Plásticas e Tratamentos Estéticos.
Dúvidas?
Fale diretamente com a Dra. Luciana sobre Cirurgia de Ginecomastia.
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp