11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

Revenge Spending: conheça nova tendência de consumo pós-pandemia!

Consumidora com hábitos revenge spending pós pandemia

Com a pandemia, todos estamos vivenciando momentos de angústia, isso é fato. Além do receio em torno do coronavírus, de uma hora para outra, vimo-nos reclusos socialmente e distantes de tudo o que nos dava prazer. Nem deu tempo de nos prepararmos, psicologicamente, para tantas restrições, não é mesmo? Contudo, você sabia que surgem alguns fenômenos interessantes a partir disso? Um deles é o Revenge Spending.

O termo não é novo. Já foi bastante comentado na década de 80, após uma revolução cultural. Ele influencia o comportamento do consumidor e pode ser explicado por vários especialistas das áreas de Marketing e Psicologia.

Rodrigo Soares Lelis, administrador da clínica Luciana Pepino, opinou sobre essa questão e nos contou que está bem confiante com o futuro do negócio. Acompanhe o texto!

Afinal, o que é Revenge Spending?

Revenge Spending, também chamado de Revenge Buying, na tradução, significa “consumo de vingança”. A expressão tem sido bastante usada nas últimas semanas após uma análise do comportamento do consumidor da China, que saiu do lockdown.

As teorias que explicam o fenômeno

Tal comportamento pode ser explicado por várias correntes da Psicologia. No olhar da Comportamental, por exemplo, todo esse tempo de privação, no qual as pessoas deixaram de consumir coisas prazerosas e de experienciar boas emoções, é um impulsionador para que elas busquem desfrutar dessas sensações assim que a restrição acabar. O consumo é uma das formas mais fáceis, rápidas e intensas para experienciarem isso.

A Neuropsicologia, por sua vez, foca no órgão que comanda ações, emoções e decisões: o cérebro. De forma instintiva e visando à sobrevivência, buscamos experiências agradáveis, que possam ativar neurotransmissores relacionados à sensação de bem-estar, como dopamina e serotonina. Precisamos de recompensas, principalmente se vivenciamos longos tempos de angústias e privações. Então, o Revenge Spending é um meio de nos recompensar.

Para essa abordagem, fazemos isso o tempo todo, ainda que sem perceber. Rodrigo dá um pequeno exemplo que acontece com frequência: “eu acho que todo mundo já teve o seu dia de muito trabalho, esforço e cansaço. Mesmo estando de dieta, chegamos à nossa casa e falamos ‘hoje, vou pedir uma pizza, porque eu mereço!’, ou ‘trabalhei demais, agora vou tomar uma cerveja com os amigos’. Depois do período da quarentena, é muito provável que as pessoas consumam mais do que o mercado espera”.

Já a Psicologia Humanista pode analisar esse fenômeno pela Pirâmide da Hierarquia das Necessidades, proposta por Maslow. No momento atual, focamos nas necessidades localizadas em sua base, como sobrevivência e proteção. Após tudo passar, voltaremos a olhar para necessidades superiores, como a autoestima. É por isso que muitos, agora, estão consumindo apenas itens essenciais. Contudo, certamente, a questão será revertida, e as pessoas passarão a olhar mais para seus outros desejos.

Como esse movimento está surgindo no mundo?

O fenômeno foi identificado semanas atrás, na cidade de Guangzhou, após a abertura da loja Hermes International, que movimentou milhões de dólares só no primeiro dia. Esse boom foi observado em outras marcas famosas também.

Além da notícia da China, informada pela Bloomberg, Portugal também demonstra sinais de regresso aos centros comerciais. Especialistas esperam esse “gasto por vingança” em outros países, o que dá uma esperança para a recuperação, pelo menos em parte, do mercado e da economia.

Como fica o setor de procedimentos estéticos?

Olhando para as explicações propostas por todas as teorias, podemos chegar a uma conclusão: qualquer setor que possa oferecer ao consumidor bem-estar, relaxamento, felicidade, prazer, autoestima e aumento da autoconfiança tem grandes chances de encontrar vantagens.

Podem entrar nesse meio empresas relacionadas à estética, ao lazer, ao turismo, aos vestuários ou aos cosméticos, por exemplo. “Serão setores que permitirão que as pessoas se autobeneficiem e se presenteiem, como o próprio conceito diz”, explica Rodrigo.

“Temos até um volume gigantesco de pacientes pedindo para fazer botox. Por ser algo simples e com alto índice de satisfação, tem sido muito procurado”, comenta. Segundo ele, esse procedimento é o pilar das clínicas. O resultado dura de 4 a 6 meses, mas por ser rápido e efetivo, os pacientes adoram.

“Devido a isso, faremos um Botox Day, no dia 5 de junho. Mas será diferente dos outros já realizados, pois seguiremos as regras de distanciamento e saúde. Não teremos o coffee break, e os horários de atendimento serão esparsados”.

Ele explica que a clínica tem seguido o protocolo disponibilizado pelo Hospital Sírio-Libanês. Assim, entre outras indicações, o paciente deve comparecer ao local, de preferência, sozinho. Ao chegar, todos ficam separados por 2 metros de distância. Também são disponibilizados o álcool em gel e a máscara.

Quais os impactos econômicos do Revenge Spending?

A quarentena freou o hábito de consumo de muitas pessoas. O fato levou ao fim de algumas empresas e outras tantas ainda tentam se equilibrar. Contudo, pelo que as especulações indicam, o Revenge Spending, caso aconteça, ajudará na recuperação de grande parte do que foi perdido. A China já demonstra avanço nesse sentido.

Quais os diferenciais da clínica Dra. Luciana Pepino?

“Nossa clínica conta com autenticidade, simplicidade e elegância, atributos sempre ressaltados por nossas clientes”, comenta Rodrigo. “Também temos o nosso cappuccino, que é bastante elogiado”.

Já do ponto de vista técnico, ele ressalta a habilidade da Dra. Luciana, que “nasceu para fazer isso”. Somado a essa questão, há a experiência: são quase 20 anos atuando na área de cirurgias e procedimentos estéticos. Essa bagagem reflete no índice de satisfação da clínica, que é alto, garantindo não apenas o retorno dos clientes, mas também vários depoimentos e indicações a amigos.

Bem, crises mudam rotinas e pensamentos. Assim, é provável que os hábitos de consumo não saiam ilesos após a pandemia. Ainda que muitos consumidores tenham foco na saúde e na segurança neste momento, certamente outras necessidades falarão mais alto assim que retornarmos à vida normal. Mesmo que o Revenge Spending não chegue com tanta força ao Brasil, é evidente que nossas necessidades de autoestima e conforto voltarão a aparecer, você concorda?

Então, gostou do conteúdo? Caso tenha dúvidas sobre nossos procedimentos ou queira informações sobre atendimentos, entre em contato conosco!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).