11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

6 alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes para adotar na dieta

alimentos antiinflamatórios e antioxidantes

Incluir alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes na dieta é essencial para melhorar a saúde. Afinal, eles contam com propriedades que otimizam o funcionamento do organismo, evitam a degeneração das células e combatem o envelhecimento precoce.

Isso acontece porque os antioxidantes, em especial, capturam e eliminam os radicais livres, que podem afetar o metabolismo das células. Além dos mais, cada ingrediente apresenta propriedades específicas que merecem ser exploradas.

Na sequência, veja quais 6 alimentos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que você deve conhecer!

1. Peixes

Os peixes são fontes magras de proteína e contam com diversos nutrientes que fazem bem para o corpo. Segundo uma pesquisa publicada no periódico Nutrition Reviews, as substâncias Ômega 3 e Ômega 6, encontradas em espécies como salmão e atum, ajudam na regulagem de processos inflamatórios.

Além disso, um estudo da Antioxid Redox Signal demonstrou que o óleo de peixe pode fortalecer a atuação antioxidante, graças à presença do Ômega 3.

2. Gengibre

Entre os alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes, também é possível adicionar o gengibre à sua alimentação. Ele pode ser incluído como tempero em preparos ou na forma de especiaria em sucos, por exemplo.

Afinal, de acordo com um estudo da Isfahan University of Medical Sciences, no Irã, o gengibre tem capacidade antioxidante, anti-inflamatória e ainda atua na prevenção de diversos tipos de câncer.

3. Frutas cítricas e vermelhas

As frutas cítricas podem ajudar o corpo porque os níveis de vitamina C favorecem a produção de colágeno e também fortalecem o sistema imunológico.

Uma pesquisa publicada na Food Science and Technology revelou que frutas como laranja e limão doce apresentam bom potencial antioxidante. Já uma pesquisa da Food Chemistry revela que certos tipos de flavonas, presentes nas cascas dessas frutas, são responsáveis pela atuação anti-inflamatória.

Da mesma forma, as propriedades foram encontradas especificamente nas frutas vermelhas. O estudo da Folia Horticulturae demonstra que as framboesas são especialmente antioxidantes.

Enquanto isso, as propriedades anti-inflamatórias ficaram demonstradas em uma pesquisa do Journal of Agricultural and Food Chemistry, que indica que o ácido fenólico é um dos responsáveis por essa capacidade.

4. Folhas verdes

As folhas verdes são ótimos alimentos para incluir na dieta. Elas contam com bons níveis de proteína, vitaminas D e E e outros micronutrientes.

Em relação à atuação antioxidante, ela ficou comprovada por um estudo da Preventive Nutrition and Food Science, com foco em espécies de espinafre. Você pode servi-las cruas ou pode aproveitar o cozimento em água quente para elevar a biodisponibilidade e aumentar a capacidade de eliminar radicais livres.

Já a pesquisa do Journal of the American College of Cardiology mostrou que o consumo de folhas verdes diminui os processos inflamatórios do corpo e ajuda a proteger a saúde cardiovascular.

5. Cúrcuma

Uma das características da cúrcuma é o fato de ela apresentar altos níveis de flavonoides, que são bons para o organismo. Por isso, é um dos alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes em que você deve ficar de olho.

Inclusive, a ciência comprova essa capacidade. De acordo com uma pesquisa do periódico Advances in Experimental Medicine and Biology, os componentes do ingrediente realizam processos importantes no organismo e oferecem, até mesmo, proteção contra o câncer. Na prática, é possível usar a cúrcuma como tempero ou corante natural.

6. Oleaginosas

As oleaginosas formam um grupo importante na alimentação. A classificação é composta por sementes e castanhas diversas, como nozes, amêndoas, linhaça, gergelim e várias outras.

São consideradas ricas em gorduras que fazem bem para o organismo, além de oferecerem fibras. Com base na publicação Asia Pacific Journal of Clinical Nutrition, é possível perceber que os ingredientes têm taninos, flavonoides, carotenoides e outros componentes que atuam de modo antioxidante.

Da mesma maneira, o The American Journal of Clinical Nutrition demonstra que muitas sementes do tipo são úteis para diminuir os biomarcadores inflamatórios, o que favorece o funcionamento do organismo. Elas podem ser consumidas com os pratos principais ou como lanches entre as refeições.

Adicionar alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes na dieta auxilia seu corpo a funcionar melhor e protege suas células contra diversas doenças. Para potencializar os efeitos, vale a pena praticar atividades físicas, reduzir o nível de estresse e buscar a ajuda de profissionais para manter o cuidado com a saúde.

Já que estamos falando do que vai ao prato, veja quais são as doenças causadas pela má alimentação!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).