11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Entenda quando é indicado a psicologia para fazer cirurgia plástica

Psicologia e cirurgia plástica

A psicologia e a cirurgia plástica têm uma ligação importante, afinal, é preciso analisar os motivos que levam uma pessoa a querer realizar um procedimento cirúrgico estético. Esse processo abrange não apenas a escolha de um profissional adequado como também a ansiedade que é despertada por conta das expectativas sobre os resultados.

É fundamental lembrar de que nem todas as pacientes estão aptas a serem submetidas a uma cirurgia. Tanto a saúde psicológica quanto a física devem estar equilibradas, assim como as expectativas em relação aos resultados devem ser realistas. Ainda, a pessoa precisa tomar essa decisão por vontade própria e não porque se sente pressionada a fazê-la.

Neste conteúdo, mostraremos como funciona a relação entre psicologia e cirurgia plástica, por que é tão importante o preparo do lado psicológico antes de um procedimento cirúrgico estético e como o acompanhamento no pós-operatório pode fazer diferença.

Relação entre psicologia e cirurgia plástica

Mudanças no corpo têm ligação direta com as alterações na esfera mental. Há uma grande variedade de aspectos da personalidade humana que influencia na forma como alguém percebe os resultados de uma cirurgia plástica. As expectativas e os desejos, na maior parte dos casos, são os fatores que mais influenciam em como uma paciente lida com esses resultados.

Sendo assim, uma avaliação psicológica antes da cirurgia, assim como o acompanhamento no pós-operatório são cruciais. Com isso, a paciente recebe todo o auxílio durante as possíveis dificuldades que possa enfrentar após o procedimento, já que ajuda a reduzir a ansiedade e a alcançar uma boa autoestima.

Por que realizar uma avaliação psicológica antes de uma cirurgia

Não são poucos os casos de pessoas que procuram a solução de problemas de forma imediata por meio de um procedimento cirúrgico estético. A avaliação psicológica antes da cirurgia é fundamental para ajudar a paciente a identificar as suas próprias razões e a entender que pode levar um certo tempo até que atinja o resultado esperado.

Psicologia no pré-operatório

Muitas vezes, é preciso que o acompanhamento comece antes de a cirurgia ser realizada. No caso, o atendimento psicológico no pré-operatório tem como principal finalidade fazer com que a paciente expresse suas insatisfações, desejos, motivações, expectativas, fantasias e sentimentos em relação à cirurgia que será realizada.

Considerando que a autoestima é uma parte essencial do trabalho, as primeiras consultas servem para que o cirurgião e o psicólogo se certifiquem de que a paciente tem segurança quanto à cirurgia. É muito importante que o acompanhamento também seja realizado com companheiros e familiares, porque o procedimento cirúrgico de um ente próximo pode despertar sentimentos ambíguos (dívida, culpa, ciúme inconsciente, entre outros) e ansiedade.

Acompanhamento psicológico como suporte ao pós-operatório

Ao estabelecer uma comunicação entre o cirurgião e a paciente conjuntamente, isto é, sem ser imposta por uma ou ambas as partes, torna-se muito mais fácil vivenciar e superar determinados desconfortos que fazem parte do processo de recuperação.

A ansiedade é uma das características mais marcantes de um processo pós-operatório. Ela pode ser causada quando a paciente acorda e se vê com pontos, curativos e cintas; pelo medo de sentir dor com a retirada das suturas; ou até mesmo quando se vê pela primeira vez no espelho e percebe que ainda não está diante do resultado esperado. Tudo isso também é reduzido quando há acompanhamento psicológico.

Sendo assim, para concluirmos, podemos afirmar que a relação entre psicologia e cirurgia plástica, tanto no pré quanto no pós-operatório, é muito importante pelo fato de ajudar a desenvolver paciência e a capacidade de suportar emoções e sensações desconfortáveis, além de auxiliar a tornar as expectativas realistas.

Este artigo foi útil para você? Então, talvez você também se interesse por nosso conteúdo sobre a importância da relação entre saúde mental e cirurgia plástica!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).