Procedimentos estéticos permitidos na gravidez

Conheça os tratamentos estéticos permitidos na gravidez

Descubra quais tratamentos estéticos podem ser realizados na gestação sem oferecer riscos à gestante e ao bebê

Saber quais os tratamentos estéticos permitidos na gravidez é fundamental para que as gestantes não se coloquem em situações perigosas para elas e para o bebê.

Mesmo no caso de procedimentos permitidos, a recomendação é sempre conversar previamente com o obstetra, pois algumas gestantes podem apresentar quadros de saúde específicos que contraindicam algumas técnicas.

Além disso, os procedimentos estéticos devem sempre ser realizados por profissionais qualificados e que sejam avisados sobre a gestação antes do início dos cuidados.

Com essas recomendações em mente conheça quais tratamentos estéticos permitidos para garantir que a vaidade na gestação seja segura.

Quais os tratamentos estéticos permitidos na gravidez?

Uma boa forma de avaliar se um tratamento estético é possível na gravidez é analisar se ele é invasivo ou não. Ainda assim, a recomendação é sempre conversar com o médico previamente.

Limpeza facial

A limpeza facial está entre os tratamentos estéticos permitidos na gravidez, mas deve ser realizada por um esteticista e, preferencialmente, utilizando produtos hipoalergênicos.

Esse procedimento é benéfico principalmente para gestantes que estão com a pele oleosa e apresentam aumento de acnes na face, visto que durante a gestação não devem ser realizados tratamentos acneicos devido às substâncias utilizadas nas principais formulações.

Peeling de cristal

Em geral, os peelings não são permitidos durante a gestação, pois utilizam substâncias fortes na composição dos cremes que podem ser prejudiciais à gestante e ao bebê.

A exceção é o peeling de cristal, que consiste em uma microdermoabrasão com grãos de cristais que esfoliam a pele, mas sem substâncias agressivas ou fortes químicas na composição.

Drenagem linfática

Um dos procedimentos estéticos que mais geram dúvidas entre as gestantes é a drenagem linfática. De fato a técnica tem recomendações mais específicas, mas, em geral, pode sim ser realizada pelas gestantes.

A indicação é que as sessões não sejam iniciadas no primeiro trimestre da gestação. Posteriormente, a drenagem linfática tende a melhorar o inchaço e retenção de líquidos que são problemas frequentes das grávidas.

Um aspecto importante é que a técnica não deve ser realizada por grávidas com hipertensão não controlada, insuficiência renal, trombose venosa profunda ou qualquer outra doença do sistema linfático.

Estética na gravidez

Manicure e pedicure

Não é incomum as gestantes ouvirem que não podem ir na manicure ou pedicure durante a gestação, no entanto, eles estão entre os tratamentos estéticos permitidos na gravidez.

A dica é levar os próprios materiais, como alicate, lixas e palitos ou verificar com a profissional se a esterilização é realizada corretamente em um esterilizador.

Além disso, a gestante deve verificar antes a escolha do esmalte, evitando produtos que tenham chumbo ou outros metais pesados na composição.

Hidratação capilar

Você já deve ter ouvido que cabelo de gestante fica lindo e isso se deve às mudanças hormonais dessa fase. Ainda assim, a hidratação capilar é permitida se desejada.

A recomendação é evitar a aplicação do produto na raiz, pois ela fica mais oleosa em decorrência das alterações hormonais.

Apesar de a hidratação ser permita, outras técnicas como alisamento, tintura, relaxamento e descoloração não são indicadas nesse período.

Quais tratamentos evitar na gestação?

Além de conhecer quais tratamentos estéticos são permitidos na gravidez, a gestante também deve verificar quais os procedimentos não indicados para grávidas. Algumas delas incluem:

  • tratamentos para estrias: técnicas como luz pulsada, radiofrequência ou mesmo cremes para celulites, estrias e cicatrizes não são indicados nesse período;
  • ácidos: tratamentos que utilizam ácidos, como o retinóico e o salicílico, não devem ser realizados na gestação, seja em procedimentos ou produtos;
  • depilação a laser: o tratamento é contraindicado, pois a maior produção de melanina pode causar manchas na pele, além disso, não há estudos que comprovem a segurança para o bebê;
  • químicas: tratamentos com produtos químicos em geral devem ser evitados pelas gestantes, seja para corpo ou cabelo. Substâncias como a amônia e formol são contraindicadas por causar má-formação fetal.

Destaca-se que a gestante também pode ficar atenta às recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão contraindica o uso de substâncias como o chumbo, cânfora e ureia acima de 3%.

Elas estão presentes em diversos produtos estéticos como cremes, colorações, esmaltes e hidratantes. Dessa forma, a gestante deve sempre verificar a embalagem dos produtos analisando a composição.

Para garantir uma gestação mais segura e saudável para gestante e bebê é sempre indicado conhecer os tratamentos estéticos permitidos na gravidez, conversar com os médicos para verificar recomendações extras e realizar os procedimentos com profissionais qualificados.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp