11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Conheça mais sobre o fast-track recovery!

Benefícios do fast-track recovery

Entenda como funciona o fast-track recovery e como ele é aplicado na prática

Na tradução livre, fast-track recovery significa recuperação rápida. 

Em resumo, esta técnica permite que os pacientes sejam operados pela manhã e liberados para voltarem para suas casas no final do mesmo dia, passando apenas algumas horas em observação no centro cirúrgico. 

Isso se deu com o grande avanço tecnológico e de pesquisa que impactaram diretamente os processos, as técnicas e os instrumentos utilizados na cirurgia plástica.

Apesar de ter desdobramentos práticos em todas as fases da realização de uma cirurgia plástica, o fast-track recovery interfere, principalmente, no pós-operatório. Afinal, este momento é uma consequência direta dos traumas cirúrgicos ocorridos durante o procedimento. 

Estes traumas estão relacionados aos danos sofridos nos tecidos que, quando minimizados, podem significar uma recuperação rápida e menos dolorosa.

Como acontece o pré-operatório

Como dito anteriormente, a rápida recuperação inicia-se antes mesmo da cirurgia. Ou seja, com as instruções as quais o cirurgião passa para os seus pacientes e no respeito à estrutura física de cada pessoa, evitando formatos, volumes e posicionamentos que não sejam próximos aos naturais. 

Isso diminui a possibilidade de rejeição, de não suporte dos músculos e de desdobramentos não esperados, por exemplo.

Utilizar o fast-track recovery significa aplicar um controle minucioso de todas as etapas dos procedimentos, evitando todo e qualquer tipo de hematomas, incisões e traumas desnecessários, além de proteger das possíveis contaminações por bactérias no decorrer da cirurgia. 

O paciente, portanto, acordará do procedimento rápido, sem muitas dores e com menores lesões corporais. 

Entenda o fast-track recovery

Vantagens do fast-track recovery no pós-operatório

 

O pós-operatório inicia-se ainda no hospital, com o incentivo ao paciente já começar a realização de exercícios físicos de reabilitação nos primeiros momentos depois da cirurgia. 

Com isso, é possível ganhar mobilidade e movimentação dos membros superiores, por exemplo, sem o comprometimento dos resultados do procedimento. Isso se dá graças ao tipo de anestesia escolhida para a aplicação, a qual facilita o despertar do paciente com menos dificuldade e dores já nas primeiras horas.

É possível voltar a trabalhar, dirigir, levantar pequenos pesos e outras tantas atividades simples e sem muitas movimentações bruscas em dois ou três dias após a cirurgia. 

Na prática, a equipe médica irá direcionar o paciente tanto a respeito dos exercícios físicos de recuperação, limpeza e utilização do sutiã pós-operatório, quanto ao melhor posicionamento para dormir nas primeiras semanas. 

Vale ressaltar que ao optar pelo fast-track recovery, todas as pessoas envolvidas na sequência de processos a serem realizados a partir da escolha da técnica precisam estar cientes de que as etapas precisam ser seguidas à risca. 

Tudo o que for estabelecido precisará ser cumprido para que tudo dê certo e a rápida recuperação aconteça como o esperado. Sendo assim, é necessário o comprometimento da equipe, do cirurgião, do paciente e de todas as pessoas que estarão presentes no pós-operatório.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).

Deixe aqui seu comentário

*