Mastopexia com prótese: por que ela é uma cirurgia indicada para você

Os implantes de silicone sozinhos não resolvem o problema das mamas caídas! Conheça a cirurgia que corrige a flacidez ao mesmo tempo em que aumenta o volume dos seios

Muitas mulheres que sofrem com seios flácidos imaginam que basta colocar um implante de silicone para resolver o problema, mas isso não é verdade. Nesses casos, muitas vezes é a mastopexia com prótese que oferece a melhor solução.

Diferente da mamoplastia de aumento, essa cirurgia plástica não apenas proporciona mais volume aos seios, mas também faz um lifting mamário – do contrário, apenas com a prótese, o problema poderia se agravar ainda mais. Vamos saber mais sobre essa cirurgia!

Mastopexia com prótese: uma combinação de duas técnicas

Por si só, a mastopexia consiste na cirurgia plástica para corrigir as mamas que caíram em função da gestação, da amamentação, do efeito sanfona ou do envelhecimento devido à passagem do tempo.

Nesse procedimento, o cirurgião remove o excesso de pele e modela as mamas, de forma a dar a elas um perfil mais simétrico, jovem e atraente.

Já no caso da mastopexia com prótese, a técnica do lifting mamário para corrigir a flacidez é associada com a colocação de próteses de silicone, proporcionando também o aumento de volume para os seios.

Dessa forma, essa cirurgia é um procedimento mais completo do que a mastopexia ou a mamoplastia de aumento isoladamente, já que atende a dois objetivos de uma só vez – desde que haja indicação para tal.

mastopexia com prótese

Por que os seios caem?

A ptose mamária – termo médico para a flacidez das mamas – caracteriza a perda de elevação e tônus dos seios, deixando-os caídos. Esse efeito é resultado de uma combinação da própria genética e outros fatores. 

Entre os fatores que mais contribuem para a ptose mamária, podemos destacar o processo de envelhecimento com a consequente perda de colágeno, a gestação com grande ganho de peso, a amamentação, alterações hormonais e o efeito sanfona.

No caso da gestação e do efeito sanfona, a flacidez acontece porque, depois de a pessoa engordar e emagrecer diversas vezes, sua pele perde a capacidade de retração, sendo incapaz de retornar à posição inicial.

Veja mais – Levantar os seios: Veja 07 dicas para evitar o caimento.

Quando a mastopexia com prótese é indicada para você

A indicação clássica dessa cirurgia é para mulheres que estejam insatisfeitas com a flacidez das mamas e que, ao mesmo tempo, gostariam de aumentá-las – pois não seria possível resolver essas duas queixas apenas com a mastopexia ou com a mamoplastia de aumento.

Além disso, essa cirurgia plástica permite corrigir assimetrias e diminuir a circunferência das aréolas, que também são motivos frequentes de queixa junto com a flacidez.

Para quem já apresenta flacidez, a simples colocação de próteses de silicone poderia agravar ainda mais esse problema, pois o peso dos implantes pode esticar ainda mais a pele dos seios. Por isso, a mastopexia com prótese se apresenta como a melhor solução.

Já para pacientes que têm mamas flácidas com um volume razoável e não desejam aumentá-las, pode ser feita apenas a mastopexia, sem a colocação da prótese.

Como é a cirurgia de mastopexia com prótese

A cirurgia pode ser feita com anestesia local com sedação intravenosa ou anestesia geral, dependendo da escolha do médico. Nos dois casos, o procedimento deve ser feito em ambiente hospitalar.

Conforme o tamanho das mamas, as assimetrias e as características da aréola a ser corrigidas, a cirurgia plástica pode variar entre 2 a 3 horas. Em geral, o período de internação é de 12 horas.

Durante o procedimento, o cirurgião conserva as aréolas e a pele saudável, fazendo a resseção da pele flácida e em excesso. Também são feitos o levantamento dos seios propriamente dito e a correção das assimetrias, reposicionando as mamas de uma maneira mais estética.

Não deixe de ver – Mastopexia após a gravidez: mitos e verdades.

Como são as cicatrizes dessa cirurgia plástica

As cicatrizes da mastopexia com prótese dependem do tipo de incisão necessário em cada mama, que depende do tamanho e do grau de flacidez. Assim, a cicatriz pode ter formato de “T” invertido, “L” ou “I”, podendo ainda ser periareolar (ao redor da aréola).

Na avaliação presencial, é possível conversar com o cirurgião para saber qual tipo de incisão é mais indicado para o seu caso, já tendo uma ideia do como serão as cicatrizes.

Independente do formato, porém, todas elas passam pelas mesmas etapas em sua evolução:

  • Primeiro mês: as cicatrizes ainda são bem discretas, com possibilidade de reação próxima aos pontos e curativos;
  • Do 2º ao 12º mês: a cicatriz fica mais espessa e fica mais avermelhada. Com o tempo, ela passa do vermelho para marrom e, mais para frente, começa a clarear;
  • Do 12º ao 18º mês: este é o período de maturação, em que a cicatriz fica mais clara e com a textura mais parecida com a da pele ao seu redor, atingindo sua aparência definitiva.

É somente depois da terceira etapa que pode ser feita uma avaliação dos resultados da cicatriz, com eventual correção se necessário. Saiba mais sobre a correção de cicatrizes.

mastopexia com prótese

Contraindicações da mastopexia com prótese

Embora essa cirurgia possa ser feita pela maior parte das mulheres com boas condições de saúde e com o desenvolvimento físico completo, ela é contraindicada em algumas ocasiões.

Os principais exemplos são os casos de pacientes obesas ou de pacientes que ainda pretendem engravidar, pois as mudanças substanciais de peso podem comprometer os resultados de qualquer cirurgia nas mamas.

Caso o peso seja bem controlado durante a gestação, os resultados da mastopexia com prótese podem ser preservados dependendo do grau de elasticidade da pele. Porém, dependendo da técnica utilizada durante a cirurgia, pode haver um prejuízo na amamentação.

Ficou interessada nessa cirurgia plástica para se sentir ainda mais bonita? Então agende sua avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino para descobrir as melhores opções de plásticas e procedimentos estéticos para você!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Beatriz disse:

    Bom dia
    Estou com um bebê de 4 meses, parei de amamentar há um mês pois secou meu leite.
    Gostaria de saber quando poderei fazer essa cirurgia?
    Obrigada.

WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp