Mastopexia Após A Gravidez: Mitos E Verdades

A mastopexia, também conhecida como lifting de mamas, é um procedimento que retira os tecidos em excesso e reposiciona as mamas, para que os seios voltem a ter uma aparência mais jovem e firme

Durante os 9 meses de gestação, o organismo feminino passa por uma série de mudanças radicais, incluindo desde hormônios e metabolismo até a figura física do corpo.

Os seios não ficariam de fora, sendo uma das partes do corpo que mais sofre com essas mudanças, as quais vão desde o início da gestação até o término da amamentação.

De início, existe um aumento expressivo nas glândulas mamárias para a produção de leite, que é mantido enquanto houver o estímulo da amamentação. Após esse período, ocorre o que chamamos de atrofia mamária pós gestacional, podendo levar as mamas a perderem sua sustentação e adquirirem uma aparência mais caída.

  •  A mastopexia irá fazer quais mudanças na mama?

Existem várias técnicas para realizar esse procedimento, mas ao final o objetivo é que o excesso de pele e flacidez seja removido, a aréola recolocada em local mais acima e as mamas adquiram uma posição mais empinada e jovem. Caso necessário e desejado pela paciente, pode ser colocada uma prótese de silicone durante a cirurgia, o que deve ser conversado com o cirurgião conforme expectativas e indicações.

  • Vou poder amamentar após a mastopexia?

Pela retirada de pele e tecidos, bem como a realocação da aréola, a mastopexia pode comprometer uma futura amamentação. Isso deve ser conversado em consultório de acordo com expectativas e desejos futuros de ter filhos, e irá influenciar na tomada de decisão tanto sobre a realização ou não do procedimento ou como qual a melhor maneira de abordagem.

  •  O resultado é permanente?

Nenhum procedimento cirúrgico é capaz de parar o envelhecimento natural do corpo. Com o passar dos anos, é comum e esperado que a pele continue a perder sua elasticidade. Porém, procedimentos como a mastopexia, especialmente se associada à colocação de prótese, podem retardar esse processo e manter as mamas com aparência jovem por muito tempo.

  •  Quanto dura o pós operatório?

A alta normalmente é dada de 12 a 24 horas após o procedimento. A equipe colocará curativos sobre as incisões e será necessário usar uma bandagem elástica ou sutiã para minimizar o inchaço e sustentar a mama.

Pode ocorrer dores ou desconforto pela manipulação da parede torácica, o que normalmente desaparece em poucos dias, possibilitando à maioria das mulheres retornar às suas atividades regulares dentro de duas semanas.

É importante, contudo, que se evite atividades que demandam grande esforço físico, levantamento de peso ou realização de movimentos bruscos com os braços durante, pelo menos, duas semanas.

Também não é aconselhável dormir de lado nas primeiras quatro semanas e de barriga para baixo nos primeiros três meses. Entenda melhor como funciona o pós-operatório da mastopexia.

  • Se eu engravidar novamente, o resultado desaparecerá?

Assim como o tempo, as mudanças no corpo geradas por uma nova gravidez tendem a atrapalhar os resultados do levantamento de mamas, já que novamente os seios aumentarão e diminuirão de tamanho. O recomendado é que mulheres realizem a mastopexia quando não planejam mais ter filhos. Porém, o desejo de engravidar não é uma contraindicação ao procedimento e deve fazer parte da conversa individual entre médico e paciente.

  • A mastopexia pode diminuir a aréola?

Sim. É uma queixa comum que, com o crescimento das mamas, as aréolas se tornam mais alargadas. Como a técnica da mastopexia envolve o reposicionamento da aréola, é possível que se retire o excesso de pele e se confira um novo formato para a ela, proporcional aos novos seios. Conheça a Clínica de Cirurgia Plástica da Dra. Luciana Pepino e faça a melhor escolha para realizar a sua mastopexia.

Possui mais dúvidas? Baixe o e-book sobre mastopexia para solucioná-las!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).