Menu

Cirurgia plástica no rosto: o aumento da procura por procedimentos estéticos

Os jovens e adolescentes veem na cirurgia plástica um caminho para conquistar uma “aparência perfeita”. Veja quando elas realmente são indicadas para essa faixa etária.

Quando se fala em cirurgia plástica no rosto, logo pensamos que esse assunto interessa às pessoas mais maduras, que estão incomodadas com os sinais do envelhecimento. Apesar disso, é cada vez mais como a presença de jovens e adolescentes nas clínicas especializadas.

De acordo com as estatísticas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, no ano passado foram realizadas 90 mil cirurgias estéticas em adolescentes no país, o que coloca o Brasil como líder do ranking mundial de procedimentos nessa faixa etária.

Na adolescência, as questões relacionadas à autoestima e às influências externas, sejam elas de amigos ou da mídia, são ainda mais fortes. Além disso, o bullying tem uma presença de destaque nessa fase, e isso é algo que não pode ser ignorado.

Porém, por se tratar de pacientes que ainda não são totalmente maduros física e psicologicamente, existem outros fatores a se considerar.

Não existe idade certa para fazer uma cirurgia plástica

Ao saber que seu filho quer fazer uma cirurgia plástica, muitos pais se perguntam se ele já tem idade para se submeter a esse procedimento. Contudo, a indicação ou não da cirurgia não depende apenas da idade cronológica, mas sim do grau de desenvolvimento de cada jovem.

Dentro dessa questão, devem ser considerados tanto o desenvolvimento físico quanto o emocional antes de se decidir pelo procedimento. 

Por exemplo: é comum que as adolescentes tenham mamas assimétricas, um problema que costuma se resolver sozinho com o passar do tempo, quando o desenvolvimento físico se completa. Por isso, a cirurgia plástica pode não ser indicada.

Contudo, quando a adolescente apresenta mamas muito grandes, essa característica pode trazer prejuízos para a coluna, de forma que pode haver uma indicação para a mamoplastia redutora, mesmo sem o desenvolvimento estar completo.

Além disso, quando se trata de um paciente jovem, é preciso ter muita experiência para identificar se o desejo da cirurgia plástica está acompanhado pelo amadurecimento emocional necessário, excluindo a possibilidade ser apenas uma impulsividade comum dessa fase.

Dessa forma, quando esse assunto vem à tona, é essencial contar com um cirurgião plástico experiente para avaliar tanto as condições físicas quanto psicológicas e oferecer a melhor solução para o jovem ou adolescente.

cirurgia plástica no rosto

 

Veja mais – Mamoplastia redutora: entenda como esse procedimento pode te ajudar!

Cirurgia plástica no rosto: quando os jovens procuram esses procedimentos

Muitas vezes, os jovens procuram as clínicas de cirurgia plástica em busca de procedimentos como lipoaspiração, mamoplastia de aumento ou redução ou cirurgia de ginecomastia (no caso dos meninos). Porém, as cirurgias faciais também se tornaram alvo desses pacientes.

Sem dúvidas, cirurgias como blefaroplastia e lifting facial são procuradas por pessoas mais maduras, que apresentam flacidez nas pálpebras ou na face como um todo e desejam corrigir esse problema e combater o envelhecimento.

Já no caso dos jovens, o objetivo obviamente não é rejuvenescer, mas sim corrigir características que eles consideram desarmônicas ou fora do padrão.

Dessa forma, em vez de procurar um procedimento para tratar as pálpebras caídas, as duas maiores tendências de cirurgia plástica no rosto entre jovens e adolescentes são a otoplastia e a rinoplastia, que corrigem respectivamente a orelha e o nariz.

Otoplastia: o fim da orelha de abano

A otoplastia é a cirurgia plástica que corrige a famosa “orelha de abano”. Ou seja, ela é indicada para pessoas cujas orelhas são mais afastadas das laterais da cabeça, dando a impressão de que elas são muito grandes e desproporcionais.

Se esse é o seu desejo ou o desejo do seu filho adolescente, temos uma boa notícia: a otoplastia é uma cirurgia que pode ser feita a partir dos 5 a 7 anos, pois a orelha já está completamente formada.

Inclusive, esse é um procedimento que costuma ser feito ainda na infância, de modo a evitar o bullying na escola. Contudo, caso o jovem não tenha podido fazer a cirurgia por algum motivo ou só tenha se incomodado com essa característica agora, ainda é possível corrigi-la.

Veja mais detalhes – Otoplastia: por dentro do antes e do depois.

Rinoplastia: não é tão simples operar o nariz, mas a cirurgia não está proibida

Enquanto a orelha de abano é um problema mais fácil de corrigir, pois a região já está totalmente formada desde a infância, uma cirurgia plástica de nariz pode não ser tão simples assim durante a adolescência.

Realizar uma rinoplastia em jovens que ainda não completaram o desenvolvimento ósseo da região pode levar a resultados muito insatisfatórios, inclusive podendo causar novos problemas estéticos ou funcionais à medida que o osso nasal continua crescendo.

Por isso, mesmo que o adolescente tenha uma queixa muito forte em relação ao nariz, a cirurgia plástica só poderá ser feita se houver maturidade óssea na região – o que costuma acontecer nas meninas a partir dos 14 aos 15 anos, e nos meninos a partir dos 16 aos 18.

cirurgia plástica no rosto

Em todo caso, o cirurgião plástico levará em consideração não apenas a idade do jovem, mas também o grau de desenvolvimento da estrutura facial. Isso não significa que a rinoplastia está totalmente proibida, mas sim que existem critérios para que ela seja indicada.

Um dos casos em que a rinoplastia em jovens e adolescentes ganha força é quando o formato do nariz traz uma insatisfação estética associada com uma dificuldade de respiração.

Em situações como essa, a cirurgia plástica no rosto deixa de ser apenas uma intervenção na aparência para assumir também o objetivo de reparação da funcionalidade.

As indicações para uma cirurgia plástica sempre variam de pessoa para pessoa, independente de o paciente ser jovem ou adulto. Contudo, no caso dos adolescentes, é preciso ter ainda mais cuidado para evitar problemas e arrependimentos futuros.

Se você está lidando com isso na sua família, nossa dica é agendar uma avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino para identificar se a cirurgia plástica realmente é indicada ou se existem outros procedimentos estéticos para solucionar a queixa. Entre em contato!

  • 10
    Shares