Ganho de peso após cirurgia para emagrecer: como proceder?

Pessoa medindo o abdômen com fita métrica

Apesar de comum, reincidência da obesidade após cirurgia para emagrecer pode ser evitada com cuidados adequados.

A cirurgia para emagrecer, chamada de bariátrica, é um procedimento cada vez mais realizado no Brasil tendo como foco pessoas obesas nas quais o índice de mortalidade é mais elevado do que na população em geral devido aos fatores associados ao peso elevado.

A cirurgia bariátrica foi desenvolvida considerando principalmente o público com mais de 40 de IMC (índice de massa corpórea). No Brasil, aproximadamente 20% das pessoas são obesas, com IMC de 30 ou mais, e 32% estão com sobrepeso, entre 25 e 29,9 de IMC. O adequado é manter-se entre 18,5 e 24,9.

Apesar dos benefícios da cirurgia para emagrecer, diversos pacientes relatam dificuldade para manter o peso após o procedimento. Saiba mais a seguir!

Quais os benefícios da cirurgia para emagrecer?

Sem dúvida a questão estética é um dos benefícios da cirurgia para emagrecer, com o paciente atingindo os objetivos quanto a aparência, o que também reflete na autoestima e dedicação na manutenção dos resultados pós-operatórios.

No entanto, benefícios relacionados à saúde são significativamente mais relevantes para esses pacientes, impactando diretamente na taxa de mortalidade deste grupo.

A cirurgia bariátrica consiste na redução das dimensões do estômago e também pode incluir alteração do percurso dos alimentos pelas alças intestinais. Como resultados desse procedimento na saúde do paciente destacam-se:

  • redução da glicemia para aqueles diagnosticados com diabetes;
  • queda da pressão arterial;
  • redução dos níveis de colesterol e triglicérides;
  • melhora dos problemas respiratórios e cardíacos;
  • melhora de alterações ortopédicas e articulares.

Portanto, ao realizar o procedimento o paciente obtém diversas vantagens na saúde que podem ser perdidas se não houver a manutenção do peso posteriormente.

O ganho de peso é normal após a cirurgia bariátrica?

Pessoa em cima de uma balança, com foco nos pés

Já é reconhecido pelos especialistas que a cirurgia para emagrecer apresenta uma taxa de reincidência, de forma que muitos pacientes submetidos à técnica voltam a ganhar peso nos anos subsequentes.

Um estudo realizado na Universidade de Pensilvânia fez o monitoramento de 1.406 adultos submetidos à cirurgia bariátrica durante 6,6 anos com o objetivo de acompanhar como o ganho de peso influencia a saúde dos pacientes nos anos posteriores a cirurgia.

Antes de serem submetidos ao procedimento, os pacientes tinham um IMC médio de 46,3, sendo que a perda de peso continuou até, em média, dois anos depois do procedimento com uma perda de 37,4% do IMC.

O primeiro ano após a perda máxima de peso foi aquele no qual os pacientes tiveram um ganho de peso mais acentuado. Ao final de 5 anos, um em cada três participantes tinham recuperado cerca de 20% ou mais dos quilos perdidos após a cirurgia.

Portanto, é normal um ganho de peso após a cirurgia bariátrica, o que também afeta às condições estéticas e de saúde desses pacientes. O mesmo estudo mostrou que os ganhos de saúde foram progressivamente perdidos entre os que voltaram a ganhar peso:

  • 10% tiveram progressão do diabetes;
  • 46% da hipertensão;
  • em 26% houve aumento dos níveis de colesterol;
  • 20% apresentou declínio das condições físicas;
  • 28% teve piora da saúde mental.

No entanto, ainda que alguns pacientes tenham ganhado peso novamente e, inclusive, desenvolvido problemas de saúde relacionados à obesidade, em média, os pacientes mantiveram 73% do peso perdido mesmo após cinco anos depois da cirurgia.

Veja também: Mitos e verdades de cirurgias após grande emagrecimento

Como manter o peso conquistado por meio da cirurgia?

Para manter o peso conquistado após a cirurgia bariátrica é importante que os pacientes reconheçam que se trata de uma alternativa para casos de obesidade grave e para amenizar os problemas de saúde relacionados ao peso excessivo, entretanto, não é uma solução definitiva.

Entre os principais motivos para o ganho de peso estão aspectos comportamentais como a perda de controle na alimentação, baixa qualidade de vida e falta de acompanhamento pós-operatório.

Acredita-se que a manutenção do peso e a dedicação em mantê-lo depende de uma atuação médica multidisciplinar que inclui cirurgião, endocrinologista, nutricionista, psicólogo e cirurgião plástico.

Cada um desses profissionais promove um tipo de suporte importante para evitar a reincidência da obesidade como uma abdominoplastia para retirada do excesso de pele sobressalente após o procedimento, continuidade da dieta, acompanhamento psicológico evitando que a comida torne-se um escape para outros problemas etc.

Portanto, a manutenção dos resultados da cirurgia bariátrica depende de um conjunto de práticas que incluem:

  • acompanhamento médico especializado contínuo;
  • realização de atividades físicas;
  • manutenção de uma dieta saudável e equilibrada;
  • cuidados psicológicos;
  • autoestima e bem-estar por meio da preservação estética.

Com esses fatores o paciente torna-se mais propício a um acompanhamento regular que contribua para a manutenção do peso, evitando a reincidência da obesidade. Para isso, entretanto, é importante ter consciência de que a cirurgia bariátrica contribui, mas não é um tratamento definitivo se outras práticas não forem associadas.

A cirurgia reparadora para retirada do excesso de pele após a cirurgia para emagrecer contribui para manter o peso estabilizado e também impacta a qualidade de vida do paciente. Para realizar o procedimento, procure por um cirurgião plástico de confiança!

Agende agora a sua consulta!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Cida disse:

    Olá boa tarde. Gostaria de saber se a Dra faz a cirurgia de correção de simastia congênita.

    • Dra. Luciana Pepino disse:

      Bom dia, Cida!

      Realizamos a cirurgia sim. Caso queira agendar sua avaliação, por gentileza, entre em contato. Nossas secretárias terão o maior prazer em atendê-la. Aqui você encontra nossos contatos: https://goo.gl/nvCFzz

      Beijos!

  2. MariaRita disse:

    Quero fase umalipo na barriga e testa da página tem como fase pagamento no boleto bancário parcelado.?