Tratamentos para amenizar o bigode chinês

Rosto de mulher que tem bigode chinês

Opções de tratamento para bigode chinês incluem preenchimento facial e peeling!

O sulco nasogeniano ou nasolabial é um problema incômodo e consiste na linha que se estende da lateral do nariz até o canto dos lábios. Também conhecido como bigode chinês, o tratamento é fundamental à autoestima dos pacientes.

O surgimento e intensificação dessa marca decorrem do processo natural de envelhecimento e pode afetar igualmente homens e mulheres.

A seguir saiba como surge o bigode chinês e o tratamento para essa ocorrência. Confira!

Quais as causas do bigode chinês?

Em geral, o sulco nasogeniano aparece após os 30 anos devido à redução na produção de colágeno. No entanto, dependendo da predisposição individual ele pode ocorrer já na adolescência.

A flacidez é um dos fatores determinantes da condição, mas destaca-se que não é o único, sendo que a junção de elementos está associada ao surgimento dela. Entre os principais destacam-se:

  • falta de colágeno: com o envelhecimento o organismo passa a produzir menos colágeno o que resulta em uma pele menos elástica e firme, intensificando as marcas de expressão como o bigode chinês;
  • fumo: o hábito de fumar é um agravante quando se trata de envelhecimento precoce. Além das toxinas prejudiciais à saúde e à pele, a contração facial também intensifica os sinais;
  • fatores genéticos: algumas pessoas têm predisposição genética ao surgimento das marcas faciais, o que explica que em certos casos essa linha apareça precocemente;
  • má alimentação: uma alimentação inadequada impacta negativamente a pele, favorecendo o surgimento de sinais como o bigode chinês;
  • exposição solar sem proteção: a exposição solar sem proteção é o principal responsável pelo envelhecimento precoce, incluindo a intensificação das marcas faciais;
  • envelhecimento: a flacidez decorrente da idade somada aos efeitos da gravidade também são fatores determinantes no surgimento de marcas de expressão.

Destaca-se que no caso do bigode chinês, a marca pode variar muito entre as pessoas, de forma que em alguns casos ela é mais amena e, em outros, mais profunda.

Quais substâncias contribuem no tratamento?

Optar por dermocosméticos com substâncias benéficas à hidratação e produção de colágeno é uma forma de tratamento do bigode chinês. Entre os compostos mais eficazes estão:

  • ácido retinóico: essa substância é responsável por melhorar a textura da pele e suavizar marcas de expressão e sulcos faciais, como o nasolabial;
  • ácido hialurônico: ativo que permite hidratar e estimular a produção de ácido hialurônico na pele, substância que controla o volume facial, preenchendo os sulcos;
  • Pro-Xylane: substância que estimula a produção de ácido hialurônico, colágeno e das fibras de elastina, melhorando a saúde e aparência da pele.

Destaca-se, entretanto, que os dermocosméticos são aliados no longo prazo, não apresentando resultados satisfatórios para diminuir o bigode chinês nos casos nos quais ele já é mais acentuado.

Bigode chinês: tratamento por meio de procedimentos estéticos

Jovem loira sorrindo com expressão facial feliz

No caso do bigode chinês, tratamentos mais eficientes envolvem procedimentos estéticos pouco invasivos, como aplicações.

A seguir conheça quatro opções de tratamentos que apresentam resultados mais satisfatórios para amenizar o sulco nasogeniano.

Preenchimento com ácido hialurônico

O preenchimento facial com ácido hialurônico é o tratamento, normalmente, mais recomendado.

Quando aplicada com agulha nos pontos corretos, a substância atrai água e preenche o espaço entre as células, resultando em uma amenização das depressões na face, como o sulco.

Nesse tratamento, os resultados duram cerca de 12 meses e então a substância é absorvida pelo organismo, exigindo uma nova aplicação.

Peeling

Os diferentes tipos de peeling garantem resultados tanto quando as marcas de expressão são mais superficiais como quando já estão mais profundas.

Quando o bigode chinês é mais marcado recomenda-se o uso de ácido tricloroacético ou fenol na técnica, garantindo um efeito mais satisfatório.

Radiofrequência

A radiofrequência é uma técnica que promove o aquecimento de camadas da derme que estimulam a produção de fibras de colágeno e elastina.

Essas substâncias melhoram a flacidez da pele, ajudando no tratamento de marcas de expressão.

Ultrassom

O ultrassom é outro tratamento que atua em camadas profundas da pele visando melhorar o contorno facial ao amenizar a flacidez.

Ele ajuda a deixar a pele mais firme, o que contribui para amenizar marcas intensas, como o sulco nasogeniano.

E o Botox?

Muitas pessoas que têm o bigode chinês acreditam que o Botox é o melhor tratamento para qualquer insatisfação facial, mas não é bem assim.

O procedimento utiliza toxina botulínica, um bloqueador neuromuscular que impede a contração dos músculos da face. Ela é recomendada para amenizar rugas dinâmicas.

Dessa forma, a substância pode ser benéfica para prevenir a formação do sulco nasogeniano ao reduzir os movimentos faciais, como ao sorrir e comer, mas não é indicada para amenizá-lo caso ele já esteja instaurado.

Caso você esteja em busca de um tratamento para o bigode chinês, a melhor opção é procurar um cirurgião plástico que vai avaliar a intensidade do sulco e as alternativas mais eficazes de tratamento.

Vale ressaltar que os procedimentos podem contribuir para a harmonização facial, deixando o rosto ainda mais harmônico e simétrico.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp