(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
médica analisando fios de cabelo da paciente

Transplante capilar vs Implante capilar: quais as diferenças?

Descubra o que difere o implante do transplante capilar e escolha qual o melhor para você

A alopecia androgenética, também conhecida como calvície, acomete mais de 90% dos homens e até 40% das mulheres. Graças a esses números, a procura por implante e transplante capilar costuma ser alta.

Apesar dos termos serem populares, muitas pessoas acreditam se tratar do mesmo método de reconstrução capilar.

Pensando nisso, reunimos a seguir as principais características de cada um deles, destacando o que os diferem. Confira!

O que é o transplante capilar?

O transplante capilar é a técnica cirúrgica que transpõe fios de cabelo. Dessa forma, são retirados folículos de áreas chamadas de doadoras, para implantá-los nas áreas que precisam ser preenchidas, ou seja, nas partes calvas.

Para realizá-lo, existem duas maneiras diferentes de retirada dos fios, são elas: FUT e FUE.

Técnica FUT

A sigla FUT significa, em inglês, Folicular Unit Transplantation, que traduzido para o português significa “transplante de unidades foliculares”, refere-se a retirada de uma faixa do couro cabeludo.

Essa faixa, depois de retirada, é dividida em pequenas partes, levadas a um microscópio onde há a separação dos folículos.

A vantagem é que são obtidos muitos fios, permitindo que áreas calvas maiores sejam preenchidas.

Técnica FUE

Já a sigla FUE significa, em inglês, Folicular Unit Extraction, entendido em português como “extração de unidades foliculares” e corresponde ao método de extração individual dos fios de cabelo que serão transplantados.

Nessa hipótese, a principal vantagem é que a cicatrização não é percebida, já que são feitas pequenas e únicas incisões.

Em ambos os casos, os fios implantados caem logo depois da realização da técnica, entretanto, assim que cicatrizados, os folículos passam a produzir fios fortes e resistentes.

Os resultados do transplante capilar ficam bem naturais, perceptíveis cerca de oito meses após a cirurgia. Após esse período, deve ser adotada uma rotina normal de cuidados com os fios, possibilitando até mesmo tinturas.

O que é o implante capilar?

medica verificando cabelos da paciente

Por outro lado, o implante capilar trata-se do enxerto de fios sintéticos no couro cabeludo do paciente com calvície. Essa é, na verdade, a única diferença com relação ao transplante capilar.

Tendo em vista que o fio, nesse caso, é uma estrutura sem vida, não é necessário existir nutrição e irrigação sanguínea, o que pode ser uma vantagem nos casos de calvície decorrentes de alopecia areata ou cicatricial.

A alopecia areata é uma variação da doença autoimune onde o corpo rejeita o próprio fio de cabelo e o derruba. Assim, por ser sintético o fio do implante, não há o reconhecimento dele pelo organismo.

No caso da alopecia cicatricial, a fibrose dos tecidos prejudica a irrigação dos transplantes. No mesmo sentido que no exemplo anterior, por ser sintético e não necessitar de irrigação, os fios implantados não são afetados.

Um outro diferencial é que a recuperação é mais rápida, já que só são feitas incisões para implantação. As cicatrizes também ficam imperceptíveis, mas o resultado como um todo é menos natural se comparado ao transplante capilar.

Para decidir qual a melhor opção para você, procure um profissional de confiança para auxiliá-lo.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.