Cintas modeladoras: Descubra o poder delas

cintas modeladoras

As cintas modeladoras proporcionam outros benefícios além de disfarçar as gordurinhas. Saiba quais são!

Uma espécie de evolução dos espartilhos usados nos séculos passados, as cintas modeladoras são os novos recursos queridinhos das mulheres, inclusive de celebridades como Fernanda Souza, Cláudia Raia, Kim Kardashian e Kylie Jenner.

Em geral, a cinta é utilizada para esconder ou disfarçar as gordurinhas extras que insistem em permanecer na nossa cintura, mas os seus benefícios vão além de modelar o corpo. Conheça as vantagens!

Cinturinha de pilão

O benefício mais famoso da cinta modeladora é a aparente redução temporária das medidas, formando a famosa “cinturinha de pilão”. Ostentar uma cintura fina é um dos desejos mais frequentes entre as mulheres, sente este um aspecto muito importante para a estética feminina, destacando os seios e os quadris.

Com uma distribuição mais harmoniosa da gordura abdominal, a cinta modeladora proporciona uma sensação estética mais agradável, elevando a autoestima das mulheres ao fazer com que elas se sintam mais bonitas e mais satisfeitas com a sua silhueta.

Por contribuir com a ativação da circulação, a cinta modeladora melhora a o funcionamento do sistema linfático e aumenta a eliminação das toxinas. Como resultado, ocorre uma diminuição da celulite e das gordurinhas localizadas.

cintas-modeladoras

 

Melhora da postura

Por deixar a região do abdômen mais firme, dando sustentação aos músculos, a cinta modeladora tem o poder de melhorar a postura. Essa peça faz com que a coluna permaneça ereta, evitando a formação da “corcunda”.

Além disso, com a melhora da postura, a consequência é que a barriga não fica proeminente. Isso é especialmente benéfico para a aparência daquelas pessoas que não têm tanta gordura assim no abdômen, porém, devido a um erro postural, acabam projetando essa região para a frente. O uso da cinta modeladora elimina esse problema.

cintas-modeladoras-tipos

Benefícios da cinta modeladora na gravidez e depois do parto

As cintas modeladoras não devem ser usadas de forma alguma durante a gravidez com o objetivo de disfarçar a barriga, pois isso pode causar problemas graves para a mãe e para o bebê, como compressão do útero, inchaços, trabalho de parto prematuro e compressão da placenta e do cordão umbilical.

Porém, o uso correto dessa peça pode trazer benefícios para as gestantes. As cintas modeladoras específicas para as mulheres grávidas ajudam a sustentar a barriga que está crescendo, proporcionando maior conforto para a mamãe e aliviando a tensão sobre a coluna. Além disso, por oferecer sustentação para a pele, a cinta modeladora ajuda a prevenir o surgimento das estrias. O uso da cinta modeladora durante a gestação deve ser acompanhado pelo obstetra.

No pós-parto, a cinta modeladora ajuda a dar mais conforto para a mulher em atividades como se locomover, tossir e dirigir, principalmente depois de uma cesárea. Além disso, ela ajuda a diminuir o inchaço e a flacidez. Em geral, os médicos recomendam que mulheres que passaram por parto cesariano utilizem a cinta por 3 meses, enquanto aquelas que tiveram parto normal passem a utilizá-la somente depois do primeiro mês para evitar uma compressão da musculatura da pélvis, que pode resultar na “bexiga caída”.

Apesar dos benefícios relatados por muitas mulheres, o uso da cinta modeladora no pós-parto é controverso. Alguns obstetras desencorajam a sua utilização porque a peça poderia atrapalhar o movimento dos músculos e o fluxo sanguíneo, o que acabaria resultando em mais flacidez e em um prejuízo na recuperação dos tecidos. Antes de tomar a decisão sobre o uso da cinta modeladora, sempre converse com o seu médico.

 cinta modeladora na gravidez

As vantagens das cintas modeladoras no pós-operatório

O uso da cinta modeladora é bastante indicado depois de algumas cirurgias, sendo inclusive considerado como a etapa final do processo cirúrgico na obtenção dos resultados. Este é o caso da lipoaspiração, lipoescultura e abdominoplastia.

Geralmente, o cirurgião plástico recomenda o uso da cinta modeladora por no mínimo 30 dias depois da cirurgia, juntamente com a placa contensora (utilizada para evitar que a cinta deixe marcas ou machuque a pele). O objetivo do uso desta peça é ajudar a modelar a pele, ajustando-a ao novo contorno corporal, além de contribuir para que a postura permaneça ereta.

A cinta modeladora exerce uma pressão sobre o local que passou pela cirurgia e evita o deslocamento da pele, o que facilita a cicatrização e previne a formação de inchaços e seroma (complicação pós-cirúrgica que consiste no acúmulo de líquido próximo à cicatriz, podendo causar uma inflamação). Além disso, por promover a fixação da pele em seu novo local, a cinta modeladora evita o surgimento da flacidez, que prejudica muito o resultado final de uma cirurgia plástica.

cintas modeladoras no pós-operatório

 

Cinta modeladora durante o treino: será que funciona?

Com o objetivo de modelar o corpo, muitas mulheres têm recorrido ao uso dessa peça mesmo durante os treinos para potencializar a perda de medidas. Mas será que isso funciona?

De acordo com os especialistas, a cinta modeladora infelizmente não tem o poder de afinar o corpo permanentemente, proporcionando a melhora da silhueta apenas durante o seu uso. Inclusive, o uso da cinta durante o treno pode limitar o movimento e causar lesões musculares.

Se a cinta estiver muito apertada, ela pode elevar a pressão intra-abdominal e prejudicar o retorno venoso, o que pode resultar no aparecimento de varizes. Além disso, uma cinta modeladora muita apertada pode atrapalhar os movimentos do tórax e prejudicar a respiração.

Dessa forma, antes de recorrer ao uso de uma cinta modeladora durante os treinos, sempre converse com seu instrutor ou com o médico de sua confiança, ficando apenas com as vantagens desta peça poderosa.

cintas modeladoras Kim Kardashian

Você também pode gostar de: Perder gordura localizada: quando é necessário recorrer às cirurgias?

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).