Novembro Azul: entenda o que é o câncer de próstata e como se prevenir

Fita simbolizando novembro azul

Brasil tem 68 mil novos casos de câncer de próstata por ano. Conheça os sintomas e quando iniciar os exames preventivos

O Novembro Azul é o mês de conscientização do câncer de próstata, da mesma forma que o Outubro Rosa visa à prevenção do câncer de mama entre as mulheres.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) são previstos cerca de 68 mil novos casos ao ano e o número de mortes em decorrência da doença é, aproximadamente, 15 mil anualmente.

O câncer de próstata é uma doença muito relacionada à idade, sendo que 75% dos casos ocorrem em pacientes com mais de 65 anos.

A seguir conheça a importância no Novembro Azul para prevenção da doença e também quais seus indícios.

O que é o câncer de próstata?

O câncer de próstata consiste em um tumor que afeta a próstata, uma glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que faz a ligação entre bexiga e o orifício externo do pênis.

Esse é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

A próstata tem formato de uma pequena maçã e está localizada abaixo da bexiga e na frente do reto. Essa glândula também é responsável por produzir parte do sêmen que é expelido durante as relações sexuais.

Quais os fatores de risco do câncer de próstata?

Como afirmamos, a idade é um dos principais fatores de risco do câncer de próstata, sendo que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam consideravelmente após os 50 anos.

No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos. Além da idade, outros fatores contribuem para o surgimento da doença, como:

  • quando o paciente tem histórico de câncer na família, como se o pai, avô ou irmãos tiveram a doença antes dos 60 anos;
  • pacientes com maior nível de gordura corporal, como pessoas com sobrepeso ou obesidade, também têm maiores chances de desenvolver a doença;
  • pacientes que foram expostos a algumas substâncias nocivas, como aminas aromáticas, arsênio, derivados de petróleo, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA), fuligem e dioxinas.

Para pacientes dentro do grupo de risco torna-se ainda mais importante medidas preventivas, como as incentivadas durante o Novembro Azul.

É possível preveni-lo?

Apesar dos vastos estudos sobre o câncer, ainda não é possível determinar as causas exatas da condição, ainda que os fatores de risco indiquem alguns dos problemas que podem levar ao desenvolvimento da doença.

Ainda assim, alguns hábitos saudáveis são indicados para reduzir o risco de câncer e também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Entre as recomendações incluem-se:

  • ter uma alimentação saudável e rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e reduzir a gordura, principalmente a de origem animal;
  • praticar atividades físicas, com cerca de 30 minutos de exercícios diariamente;
  • fazer o controle de peso, mantendo-se dentro do índice de massa corporal (IMC) recomendado;
  • não fumar;
  • evitar e reduzir o consumo de bebidas alcoólicas.

Ao manter um estilo de vida mais saudável, o paciente reduz as chances de câncer e de outras doenças.

Novembro azul prevenção

Quais os sintomas da doença?

No início, o câncer da próstata tem evolução silenciosa, o que aumenta a importância de campanhas preventivas como o Novembro Azul.

Quando os sintomas da doença começam a se manifestar, eles são semelhantes ao do crescimento benigno da próstata. Os sinais mais frequentes incluem:

  • dificuldade de urinar;
  • demora para iniciar e concluir o fluxo urinário;
  • sangue na urina;
  • redução do jato de urina;
  • necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Na fase mais avançada do câncer de próstata os sintomas incluem dor óssea, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Dessa forma, qualquer sintoma urinário já deve motivar o paciente a procurar um especialista e avaliar o quadro de saúde.

Como é realizado o diagnóstico e tratamento?

Um dos principais desafios de campanhas como o Novembro Azul é que o câncer de próstata é considerado um tabu entre homens devido à desinformação e receio dos exames clínicos.

O diagnóstico do câncer de próstata pode ser realizado por toque retal, com o especialista identificando a presença de nódulos na glândula, ou por exame de sangue para dosagem de PSA que verifica a quantidade do antígeno prostático específico.

Se houver a suspeita da doença, apenas a biópsia poderá confirmar a presença do câncer sendo que a coleta do tecido é realizada com auxílio de uma ultrassonografia.

O diagnóstico precoce do câncer está diretamente associado às melhores chances de sucesso no tratamento da doença. Dessa forma, identificá-lo antes que os sintomas se instalem é fundamental.

O médico deve ser procurado caso haja qualquer alteração na urina seja em relação à frequência, coloração ou fluxo. Além disso, os exames preventivos também viabilizam a identificação precoce da doença.

Em caso de confirmação do diagnóstico de câncer de próstata a conduta adequada depende de diferentes fatores que só poderão ser avaliados pelo oncologista. Em geral, os tratamentos incluem:

  • doença localizada: cirurgia e radioterapia;
  • doença localmente avançada: radioterapia e/ou cirurgia combinadas ao tratamento hormonal;
  • doença metastática: terapia hormonal.

Apesar dessas indicações, apenas o especialista poderá indicar o tratamento adequado para o câncer de próstata considerando, principalmente, o estágio da doença.

Pacientes no grupo de risco devem fazer o exame preventivo anualmente a partir dos 45 anos, enquanto homens sem esse risco aumentado devem iniciar os cuidados preventivos aos 50 anos.

O diagnóstico precoce é o principal aliado dos pacientes, o que faz com que o Novembro Azul seja fundamental para conscientizar sobre a importância da prevenção e incentivar a realização dos exames para verificar a saúde da próstata.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Ailton Vieira Aguiar disse:

    Excelente, gostei muito.

WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp