(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
quando optar pela mini abdominoplastia

Saiba quando optar pela mini abdominoplastia ao invés da convencional

Saiba quais são as diferenças e indicações da mini abdominoplastia e da técnica tradicional e como escolher entre os tratamentos

A decisão entre realizar a mini abdominoplastia ou a técnica convencional é determinante nos resultados que podem ser alcançados com a cirurgia plástica.

Como toda cirurgia plástica, a definição do tratamento ideal deve ser orientada pelo cirurgião plástico responsável, mas conhecer as diferenças entre essas técnicas previamente contribui no momento da consulta médica. Confira a seguir! 

Como é feita a abdominoplastia convencional?

A abdominoplastia convencional é uma cirurgia plástica indicada para remoção do excesso de flacidez abdominal que vai desde embaixo das mamas até o púbis.

Esse tipo de excesso de pele é mais comum em pacientes que perderam peso significativamente, como após a cirurgia bariátrica, ou mesmo após múltiplas gestações e/ou tendência individual.

Na abdominoplastia tradicional é feita uma incisão vertical a partir do umbigo e uma horizontal na linha acima do púbis, no mesmo local da cesariana.

Durante o procedimento, o cirurgião plástico faz a remoção do excesso de pele estirando os tecidos para que o abdômen fique mais reto. Além disso, pode ser feita a sutura da musculatura para correção da diástase.

Em algumas pacientes, especialmente aquelas com muita flacidez abdominal, pode ser feito o reposicionamento do umbigo.

Como é feita a mini abdominoplastia?

A mini abdominoplastia também tem como objetivo amenizar a flacidez abdominal, mas nesse caso é feita apenas a incisão horizontal na linha pubiana.

Por conta dessa característica do procedimento, na mini abdominoplastia é removido o excesso de pele apenas da região do baixo ventre, não incluindo a região do umbigo.

Apesar de apresentar um bom resultado para quem tem incômodo com a flacidez na parte inferior da barriga, a técnica não permite a correção da diástase da musculatura reto-abdominal.

Quando optar por cada técnica?

mulher apertando sua barriga

As duas cirurgias plásticas são consideradas técnicas invasivas, mas a abdominoplastia convencional apresenta maiores níveis de complexidade devido às duas incisões cirúrgicas e maior estresse dos tecidos abdominais, uma vez que é mais ampla.

Essa técnica vai ser mais indicada para pacientes com flacidez desde a parte superior do umbigo, pois viabiliza a remoção de mais pele sobressalente.

Esse costuma ser o caso de pacientes pós-bariátrica, pessoas que apresentaram perda considerável de peso ou após gestações, pois é comum que haja diástase nesses casos.

A mini abdominoplastia é mais indicada para pessoas com flacidez apenas na parte inferior do abdômen, que pode ser causada pelo efeito sanfona, gestações ou pelo processo natural de envelhecimento.

A definição da técnica mais apropriada ao caso deverá ser conversada com um cirurgião plástico de confiança que vai ponderar as expectativas da paciente e as características do caso.

A mini abdominoplastia e a cirurgia convencional demandam, ambas, pré e pós-operatório, ainda que a recuperação na técnica tradicional possa ser um pouco mais lenta.Para estar apta a qualquer um dos dois procedimentos, a paciente deve estar em bom estado de saúde, no peso ideal à constituição física e com expectativas realistas em relação à abdominoplastia. Agende sua consulta aqui!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.