Como controlar a produção de hormônio masculino?

Controle da produção de hormônio masculino

Bons hábitos garantem controle da produção de testosterona nos homens, evitando problemas de saúde!

O descontrole hormonal, seja do hormônio masculino ou do hormônio feminino, gera diversas consequências negativas à saúde como excesso de fome, irritabilidade, cansaço excessivo e insônia.

A testosterona, conhecida também como hormônio sexual masculino equivale, basicamente, aos hormônios estrogênio e a progesterona nas mulheres.

Ele está presente abundantemente no organismo dos homens, mas também em uma quantidade reduzida nas mulheres.

Nos homens, a testosterona é produzida nos testículos e nas mulheres esse processo ocorre nos ovários. O hormônio também pode ser produzido na glândula suprarrenal, mas em quantidades reduzidas.

A seguir saiba mais sobre o hormônio masculino, quais são os níveis adequados e o que fazer em caso de descontrole hormonal.

Qual o nível normal de testosterona?

Todo hormônio tem um nível certo para que o organismo funcione corretamente. No caso da testosterona esse nível é diferente entre homens e mulheres e também apresenta variações de acordo com a idade.

O nível adequado de testosterona nos homens varia entre 300 a 900ng/dL (nanogramas por decilitro de sangue).

Nas mulheres, os níveis de testosterona costuma variar entre 14 e 76ng/dL, dependendo também do momento no qual ela se encontra no ciclo menstrual.

Entre elas, as alterações hormonais após a menopausa aumentam a concentração desse hormônio.

As alterações nos níveis de testosterona podem resultar em várias alterações no organismo. Esse hormônio é relacionado à masculinidade devido aos fatores que ele influencia, como:

  • síntese proteica e aumento de massa muscular;
  • controle do estresse;
  • libido e aumento do desejo sexual;
  • força física;
  • crescimento de pelos corporais;
  • voz mais grave.

Todas essas características são relacionadas à masculinidade, principalmente no aspecto físico, ainda que interfiram também em questões emocionais.

O que acontece quando os níveis de testosterona estão desregulados?

Como visto, existe um nível adequado no hormônio masculino no organismo e tanto a queda como aumento da concentração pode causar consequências negativas à saúde.

A seguir apresentamos as consequências para os homens do aumento ou queda dos níveis de testosterona, assim como possíveis causas dessas alterações. Confira!

Queda da testosterona

A queda dos níveis de testosterona acontece naturalmente a partir dos 30 anos, com intensificação a partir dos 40 anos, o que é conhecido como andropausa, um tipo de menopausa masculina.

Além disso, a redução desse hormônio masculino pode ocorrer em decorrência de uma doença chamada hipogonadismo, decorrente de um dano no testículo que pode ser ocasionado por câncer, doenças hepáticas, diabetes e outras alterações hormonais.

Entre os sintomas relacionados com a deficiência de testosterona podemos destacar:

  • redução do desejo sexual associada a queda na potência sexual ou disfunção erétil;
  • aumento da sensação de fadiga e cansaço, pois o hormônio interfere na disposição e produção de energia;
  • maior confusão e problemas de memória devido à influência da testosterona no sistema nervoso afetando a cognição e concentração;
  • maior sensação de tristeza, com redução do bem-estar e humor que pode desencadear quadros depressivos;
  • dificuldade para ganhar massa muscular ou perda da mesma, principalmente na região abdominal;
  • ganho de gordura também concentrado na região do abdômen;
  • fragilidade óssea, com maior tendência à osteoporose masculina devido à influência do hormônio masculino na densidade óssea;
  • piora na qualidade do sono, que não é relaxante ou restaurador;
  • redução no crescimento ou quantidade dos pelos corporais, principalmente os faciais, pubianos e nos braços e pernas.

Caso identifique a presença desses sintomas o homem deve buscar auxílio especializado para investigar as causas e se há relação com a produção hormonal.

Como controlar os hormônios masculinos

Aumento da testosterona

Assim como a queda dos níveis de testosterona, o aumento na concentração desse hormônio também é prejudicial ao organismo.

Entre as principais causas do aumento da concentração do hormônio masculino está o uso de anabolizantes visando o ganho de massa muscular.

No entanto, com a injeção desse hormônio artificialmente, o organismo reduz a produção natural da testosterona, de forma que ao interromper o uso do anabolizante ocorre uma perda rápida da massa muscular e os sintomas apresentados anteriormente.

Outras consequências do uso inadequado de produtos com reposição de testosterona incluem:

  • hepatite medicamentosa;
  • mutação celular, com risco aumentado de câncer do fígado;
  • aumento da pressão arterial;
  • problemas cardíacos;
  • ginecomastia (aumento das mamas nos homens);
  • acne no rosto e no corpo, especialmente nas costas;
  • calvície;
  • risco aumentado de tendinite e ruptura dos tendões.

O hipogonadismo é comum em pacientes que fazem uso excessivo de anabolizantes, fazendo com que o paciente torne-se dependente da reposição hormonal para manter-se saudável.

Como aumentar a testosterona naturalmente?

Para pacientes com deficiência de testosterona ou mesmo aqueles que desejam mantê-la sempre adequada, mas sem o uso de produtos artificiais que comprometem a saúde, existem alternativas naturais para alcançar esse objetivo.

Alguns cuidados garantem a manutenção dos níveis adequados desse hormônio, o que vai garantir benefícios físicos e mentais ao paciente. Entre as recomendações destacam-se:

  • praticar atividades físicas regularmente, pois elas ajudam na manutenção do metabolismo e produção hormonal correta;
  • ter uma alimentação equilibrada e saudável valorizando a ingestão de carnes magras, gorduras saudáveis, frutas e feijão;
  • dormir bem, respeitando a qualidade do sono e as horas indicadas de descanso, pois os hormônios também são produzidos durante o sono;
  • manter-se dentro do peso ideal, pois a obesidade é um dos fatores associados à queda dos níveis de testosterona;
  • diminuir o consumo de bebidas alcoólicas que afetam negativamente o metabolismo;
  • reduzir o estresse da rotina, pois ele também prejudica a produção hormonal.

O uso de suplementos hormonais também é uma possibilidade para manter os níveis apropriados do hormônio masculino, mas destaca-se que o uso deve ser prescrito e acompanhado por um especialista.

Existem casos específicos nos quais a reposição hormonal é recomendada, mas o uso indiscriminado por ter consequências negativas.

Dessa forma, a manutenção de uma rotina saudável é recomendada para garantir os níveis adequados de testosterona. Caso almeje um corpo mais malhado e musculoso, em vez de recorrer aos anabolizantes, busque auxílio especializado de um cirurgião plástico.

Esse profissional poderá recomendar técnicas para valorizar o contorno corporal e a musculatura que não interferem na saúde e produção hormonal.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Roberto Oliveira de souza disse:

    Gosto muito das msg …tive um problema com água nas laterais do rosto ..procurei uma dermatologista ele falou a eu tinha q procurar um cirurgião plástico..mais vendo no YouTube vi que falando a drenagem linfática resolveria meu problema. E evitar o sal

WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp