(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
Recomendações e contraindicações da otoplastia

Principais contraindicações para otoplastia

Conhecer as indicações e contraindicações da otoplastia é importante na hora de decidir pelo procedimento de correção das orelhas de abano

A otoplastia é a cirurgia plástica indicada para correção da chamada orelha de abano, característica congênita na qual a angulação atrás da orelha é maior que o normal.

A realização da otoplastia deve ser avaliada por um cirurgião plástico, pois diferentes fatores devem ser analisados para que essa cirurgia plástica seja, de fato, indicada. Saiba mais a seguir.

Quais as recomendações e contraindicações da otoplastia?

Assim como outras cirurgias plásticas, a recomendação para realização da otoplastia está relacionada a insatisfações estéticas em decorrência da angulação e formato da orelha.

Dessa forma, a cirurgia plástica costuma ser indicada quando essa característica gera algum incômodo no paciente, insatisfação com a autoimagem ou mesmo, no caso das crianças, é motivo de prejuízos à sociabilidade.

Apesar de poder ser realizada desde os 7 anos, sendo a infância o período mais apropriado à intervenção, alguns fatores precisam ser analisados pelo médico, podendo resultar na contraindicação da otoplastia em crianças e adultos, como:

Queloides

Pessoas com predisposição a queloides ou cicatrizes inestéticas podem não obter o resultado estético almejado, sendo importante que esse fator seja considerado previamente.

Exposição solar

Pessoas que ficam excessivamente no sol não devem realizar a otoplastia caso não possam interromper, por alguns meses, essa exposição, uma vez que o excesso de sol pode comprometer a recuperação e os resultados estéticos obtidos.

Doenças autoimunes

Principais contraindicações da otoplastia

 

Algumas patologias autoimunes, como a policondrite recidivante, pode comprometer a segurança da intervenção cirúrgica e os resultados. Nesse caso, por exemplo, há uma alteração nas cartilagens prejudicando a cicatrização.

Alterações nos exames

Os exames pré-operatórios são essenciais para verificar se uma intervenção cirúrgica é segura ao paciente. Caso haja alterações, como cardíacos ou de coagulação, mais exames são necessários antes de prosseguir com a otoplastia.

Diabetes e/ou hipertensão fora de controle

Quando doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, não estão controladas por medicamentos, a intervenção cirúrgica é contraindicada até que haja estabilidade da condição de saúde do paciente.

Expectativas irrealistas

Quando o paciente espera resultados estéticos que destoam das reais possibilidades da cirurgia plástica ela é contraindicada para que não resulte em frustração futura. Nesses casos, o especialista pode avaliar, inclusive, se há algum transtorno que provoca a distorção de imagem e/ou expectativas.

Como se preparar para a cirurgia

São diferentes elementos a serem considerados de forma que a otoplastia. Mesmo sendo uma cirurgia plástica rápida e de recuperação tranquila, depende da avaliação prévia das contraindicações para proporcionar segurança.

A cirurgia é realizada em ambiente hospitalar utilizando anestesia local com sedação no caso de adultos e anestesia geral para crianças. Tem duração média de uma hora e a internação hospitalar varia entre 6 a 12 horas, sendo que a alta hospitalar pode ser feita no mesmo dia.

Em casa os cuidados do pós-operatório da otoplastia incluem repouso, alimentação balanceada normal, não dormir de lado, não se expor ao sol, tomar a medicação prescrita e usar uma faixa de contenção para ajudar na recuperação.

Após sete dias, o paciente deve passar por uma consulta para avaliar a recuperação e tirar os pontos cirúrgicos. Caso haja alterações na cicatrização, o cirurgião plástico fará recomendações específicas para cuidados em casa.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.