Menu

Cirurgia Plástica: Entenda O Papel Do Suporte Familiar

O papel do suporte familiar em uma cirurgia plástica

A decisão de realizar uma cirurgia plástica costuma ser bastante pessoal, mas isso não significa o suporte familiar não tenha um papel de destaque

Na verdade, isso não é muito diferente de qualquer outra decisão importante na vida de alguém. Se você comprar um carro, por exemplo, é provável que seus pais tenham uma opinião sobre isso, boa ou ruim. Então sua família – pais, companheiro ou companheira, irmãos e amigos próximos – devem ser envolvidos nessa tomada de decisão não só do ponto de vista psicológico, mas também do ponto de vista prático.

Isso porque muitos dos procedimentos cirúrgicos estéticos demandam um período de recuperação – que pode ser muito breve ou um pouco mais longo, além de uma possível restrição de movimentos.

Então poder contar com ajuda para tarefas simples, como cuidar de sua higiene, trocar curativos e cozinhar suas refeições, é muito importante.

E é sobre isso que vamos falar – siga conosco na leitura e prepare-se para a sua cirurgia.

Seu corpo, suas regras

Embora faça todo sentido consultar outras pessoas sobre seus planos de fazer uma cirurgia plástica, é importante ter em mente que a decisão final é sua.

Isso significa que ela deve ser motivada por suas expectativas, vontades e projetos – e não pela visão do que é ou não certo vinda de terceiros.

Mas como mencionamos acima, você vai precisar de alguma ajuda depois de passar por uma cirurgia plástica.

Então é importante verificar se você pode contar com algum tipo de suporte familiar – ou se será preciso pensar em um plano B.

Você vai precisar de ajuda – então cheque seu suporte familiar

Sabendo que você vai precisar de ajuda durante o período de recuperação, o primeiro passo é conversar com seus familiares e amigos sobre seus planos.

Isso pode colocá-lo em uma posição desconfortável, porque a cirurgia plástica pode, ocasionalmente, tornar-se um pouco polêmica em determinados grupos.

Seus amigos, ao invés de oferecer suporte, podem tentar dissuadi-la de se submeter ao procedimento. Sua família pode pressionar para reconsiderar os resultados desejados. Essas ações, no geral, têm boas intenções. Mas podem ter como fundamento um grande mal-entendido.

Isso ainda acontece porque algumas pessoas insistem em encarar como algo fútil, resultado de um impulso. Uma boa opção, é explicar quais são os impactos da cirurgia plástica na sua autoestima.

O que não corresponde à nossa realidade atual. Na verdade, muitas pessoas passam anos planejando e pesquisando sobre técnicas, cirurgiões, clínicas, resultados e todos os detalhes envolvendo esse momento de decisão.

E quando o paciente faz sua primeira consulta, o processo pode ir rápido – especialmente se ele for um bom candidato e seu quadro geral de saúde estiver em dia. Consultar um cirurgião plástico é uma ótima maneira de ver quão realistas são esses desejos e o que é preciso para colocá-los em prática.

Quando ter “a conversa”

Você já pesquisou bastante na internet. Conversou com outras pessoas que passaram pelo mesmo procedimento. Já se decidiu pelo especialista e passou pela primeira consulta.

Então é hora de escolher o melhor momento para conversar com seus amigos e familiares sobre sua decisão de fazer uma cirurgia plástica.

Você pode fazer um grande anúncio geral, aproveitando algum evento familiar. Ou conversar com as pessoas separadamente, em momentos diferentes.

Tente abordar o tópico quando estiver em um ambiente descontraído e tranquilo, onde os outros possam prestar atenção no que você está dizendo.

Suporte familiar para seu bem-estar e sua felicidade

Neste momento, organize suas ideias de forma clara e prática. Então, caso alguém tente dissuadi-lo, lembre-se de algumas coisas.

Primeiro de tudo, entenda que tudo isso deve ter com fundamento uma preocupação real com você, sua saúde e bem-estar.

Em segundo lugar, seja paciente. Explique suas motivações, os cuidados que você tomou durante o processo de decisão. Pacientemente, explique que você já decidiu e o que você está procurando agora é suporte familiar.

Na maioria dos casos, quando chegar a esse ponto, seus amigos e sua família irão fornecer apoio. E isso pode tornar todo o processo ainda mais fácil.

Plano B: o que fazer quando o suporte familiar não está disponível

Mesmo que sua família e amigos apoiem 100% de sua decisão de fazer uma cirurgia plástica, isso não garante que eles estarão disponíveis e presentes durante seu período de recuperação.

Afinal, as pessoas têm rotinas atribuladas: trabalho, estudos, filhos, cuidados com a casa. Mas isso não necessariamente é um impeditivo para seguir adiante com seus planos.

Atualmente é possível encontrar profissionais da saúde – como cuidadores e enfermeiros – treinados para acompanhar o paciente da internação à alta hospitalar, garantindo que as recomendações do pós-operatório sejam seguidas à risca.

Converse com o seu cirurgião sobre essa questão – ele pode indicar profissionais de confiança para fazer o seu acompanhamento durante esse período.

Se você quer saber ainda mais sobre a cirurgia plástica que vem planejando e os cuidados necessários por parte de seu suporte familiar, pode agendar uma consulta com um especialista – como a Dra. Luciana Pepino. Ela vai esclarecer todas as suas dúvidas e proporcionar conforto e segurança para a sua tomada de decisão.

Conhece a mastopexia? Baixe agora nosso e-book sobre o assunto e entenda tudo!

  • 11
    Shares

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).