Prótese mamária, descubra o que um cirurgião leva em consideração ao escolher

Entenda um pouco mais sobre o que o cirurgião plástico leva em consideração na hora de escolher a marca de prótese de silicone

Como você pode imaginar, existem diversas marcas de prótese de silicone disponíveis no mercado, variando em grau de qualidade, formatos, perfis e volume. A escolha da marca fica a critério do cirurgião plástico, que leva uma série de fatores em consideração para decidir com qual empresa ele vai trabalhar.

Conheça alguns dos aspectos mais importantes para essa escolha:

Certificações de qualidade

De nada adianta você sair da cirurgia plástica com as mamas dos sonhos e ter algum problema nas próteses alguns meses depois, certo? Por isso, o primeiro fator que os cirurgiões plásticos consideram na hora de escolher a marca de prótese de silicone com qual vão trabalhar é a segurança.

luciana pepino apresenta tipos de protese mamaria

Dra. Luciana Pepino apresenta os tipos de prótese mamária à sua paciente

A qualidade das próteses é atestada por meio de certificações. No Brasil, existem as certificações da Anvisa e do Inmetro, que fazem testes e vistoriam as marcas. Entre os testes, estão as análises laboratoriais para verificar quesitos como a composição do silicone, a resistência do material e os testes biológicos para se certificar de que as próteses são livres de micro-organismos. Sem essas certificações, as próteses não podem ser comercializadas no Brasil.

Além das certificações nacionais, existem também os certificados da Comunidade Europeia, que autoriza a comercialização nos países europeus, e o certificado do FDA (Food and Drugs Administration), que aprova as marcas a serem utilizadas nos Estados Unidos.

Formato e perfil da prótese de silicone

A marca de prótese de silicone a ser escolhida dependerá do resultado desejado pela paciente e da avaliação médica para determinar o tipo físico da mulher, que serão determinantes para a escolha do tipo de prótese. Duas próteses podem até ter o mesmo volume (180 mL, por exemplo), mas elas apresentarão resultados bastante diferentes se tiverem perfis e formatos distintos.

O formato redondo apresenta uma distribuição uniforme do gel de silicone, que preenche todos os espaços da mama e valoriza principalmente o colo (região que, geralmente, é mais “vazia” naturalmente).

O formato anatômico, por sua vez, também pode ser chamado de natural ou gota, justamente porque se assemelhar mais ao formato natural das mamas, que têm uma aparência de gota – ou seja, são mais cheias na parte inferior do que na porção superior. Este formato é mais indicado para pacientes que buscam um resultado discreto e menos marcado, pois ele não acentua tanto assim o colo.

O formato anatômico também é bastante utilizado para casos de reconstrução mamária depois de cirurgias de câncer de mama. Além disso, este formato é indicado para pacientes que não apresentam muita flacidez, pois essa característica pode ser acentuada com esse tipo de prótese.

Dra. Luciana Pepino em seu consultórios falando sobre os tipos de prótese mamária

Dra. Luciana Pepino em seu consultórios falando sobre os tipos de prótese mamária

Em termos de perfil, as próteses de perfil alto têm uma base de largura moderada e oferecem maior projeção, sendo indicadas quando a paciente deseja uma projeção das mamas sem aumentar tanto o destaque do colo.

Por fim, o perfil superalto tem como característica a projeção das mamas sem aumentar o volume nas laterais, pois ele possui uma base mais estreita – por isso, ele é indicado para pacientes cujos ombros e tórax não sejam muito largos.

Revestimento das próteses

Outro aspecto considerado pelos cirurgiões plásticos na hora de escolher a melhor marca de prótese de silicone é o revestimento dos implantes, que podem ser lisos, texturizados ou de poliuretano.

Como a prótese com revestimento liso apresenta o maior índice de contratura capsular, ela não é muito utilizada, dando-se preferência à prótese com revestimento texturizado. Esse modelo tem uma superfície marcada por microrrugorisades que reduzem a contratura capsular.

Além disso, existem próteses com revestimento macro texturizado que apresentam uma maior capacidade de aderência aos tecidos, o que evita a rotação da prótese. Esse problema da rotação pode acontecer quando as mamas passam a apresentar um maior grau de flacidez no decorrer dos anos, permitindo que as próteses girem dentro da loja (espaço no qual a prótese é inserida dentro da mama).

Ainda existem as próteses com revestimento de espuma de poliuretano, que possuem uma altíssima capacidade de aderência aos tecidos, praticamente eliminando o risco de uma rotação. Também como desvantagem elas são menos sucetíveis à dobras (Rippling)

 

Consistência do Gel

Outra característica considerada na hora de escolher a marca das próteses é a consistência do gel de silicone: a prótese poderá ter o gel mais amolecido, resultando em mamas mais macias, ou mais endurecido, resultando em mamas que reproduzirão essa característica.

Disponibilidade de modelos

Por fim, na hora de escolher com qual marca trabalhar, o cirurgião plástico considera a gama de modelos de prótese de mama oferecia pela empresa – afinal, é necessário que a marca comercialize próteses em diversos formatos, perfis e volumes, de forma a atender o maior número de pacientes possível.

Acima de tudo, porém, vem a segurança da paciente. Um cirurgião plástico devidamente capacitado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica deverá sempre considerar a qualidade das próteses em primeiro lugar.

 

  • 26
    Shares

Autor do Conteúdo


Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).