Carboxiterapia e a Beleza Tão Sonhada

carboxiterapia

Conheça tudo sobre esse procedimento que ajuda a tratar gordura localizada, celulite, estria e muito mais

Sabe aquela insatisfação que às vezes sentimos quando olhamos para nossa perna e nossas nádegas e percebemos que elas estão cheias de celulite, estrias e gordura localizada? Por mais que esses não sejam problemas de saúde graves, eles causam insegurança em relação à aparência, fazendo com que deixemos de usar determinados tipos de roupa e limitando nossa vida social.

Muitas vezes, a aplicação de cremes, a manutenção de uma dieta equilibrada e a prática de exercícios físicos, que resultam no controle do peso, não são suficientes para evitar ou reduzir a intensidade com que esses sinais se manifestam. Porém, isso não significa que você está fadada a se esconder embaixo de uma canga toda vez que for à praia, pois existem métodos que ajudam a combater esses problemas.

Um desses métodos é a carboxiterapia, que consiste em um tratamento realizado com a injeção de gás carbônico logo abaixo da pele ou no tecido adiposo (subcutâneo). Vamos conhecer mais sobre essa técnica.

Como é feita a carboxiterapia

O tratamento é realizado por sessões, sendo que a frequência depende do objetivo do paciente e das áreas que estão sendo tratadas. Em geral, o tratamento da celulite e gordura localizada é feito em torno de 10 sessões, de 2 a 3 vezes por semana.

Durante a sessão, a carboxiterapia é realizada com um aparelho que se conecta a um cilindro de gás carbônico de grau medicinal. É esse aparelho que controla a taxa de vazão do gás, mantendo-a dentro de limites seguros para o uso médico. O gás é direcionado para uma seringa, na qual está encaixada uma agulha bastante fina.

A profundidade da aplicação da agulha na pele do paciente varia conforme a necessidade de cada caso. Para tratar estrias, por exemplo, a agulha deve ser inserida de forma a aplicar o gás dentro da cicatriz. Para tratar a celulite, por sua vez, a agulha é colocada entre a camada de pele e a camada de gordura.

Indicações de tratamento

Além da celulite, das estrias e da gordura localizada, a carboxiterapia também atua para amenizar a flacidez da pele, irregularidades depois da lipoaspiração, cicatrizes inestéticas e calvície – tudo dependendo da avaliação médica presencial para determinar o melhor tratamento para cada caso.

A carboxiterapia ainda é bastante útil para rejuvenescer a área dos olhos, podendo ser utilizada para tratar a flacidez das pálpebras, que dão um ar cansado ao rosto, e as indesejáveis olheiras.

Entenda o mecanismo de ação da carboxiterapia

O objetivo da aplicação do gás carbônico é provocar um aumento do fluxo sanguíneo naquela região, com um consequente aumento da disponibilização do oxigênio no local, o que vai contribuir para trazer mais nutrientes até o tecido.

Quando é inserido na pele, o gás carbônico causa uma dilatação nos vasos sanguíneos e estimula a formação e novos vasos, o que favorece o fluxo de sangue para os tecidos e melhor a oxigenação.

Além disso, o gás carbônico consegue fazer o rompimento de fibroses no tecido cutâneo, por isso ele pode ser aplicado para tratar estrias e cicatrizes. Ainda, esse gás favorece a formação de fibras de colágeno e elastina e a quebra das células de gordura.

No caso da celulite, a carboxiterapia consegue atuar no edema, na fibrose e na gordura acumulada. A dilatação dos vasos e a melhora da circulação combatem o edema, a injeção do gás atua na fibrose o aumento da taxa do metabolismo local colabora para a eliminação da gordura.

Para tratar as estrias, o gás carbônico faz uma distensão da cicatriz, causando um descolamento do tecido e promovendo a formação de fibras de colágeno nessa região. O tratamento é mais eficiente para estrias novas e avermelhadas.

A atuação do tratamento na gordura localizada é por meio da melhora da circulação e pela quebra das células adiposas do local. Para as olheiras, por sua vez, ocorre um estímulo para a produção de novos vasos sanguíneos, que ajudam a suavizar o escurecimento da pele na região. No caso da flacidez das pálpebras, os resultados vêm da formação de novas fibras de colágeno e elastina.

Cuidados e segurança na carboxiterapia

A sessão de carboxiterapia é dolorosa, pois se trata de um procedimento que envolve a inserção de uma agulha na pele. Felizmente, o desconforto desaparece quando a injeção de gás é finalizada.

A carboxiterapia é um método seguro, tendo sido utilizado desde 1922 para o tratamento de úlceras nas pernas de pacientes com problemas de vascularização, sendo depois direcionada para a área estética. O gás carbônico não é tóxico e não provoca reações adversas.

Porém, por este ser um tratamento que envolve a perfuração da pele, a carboxiterapia deve ser realizada por médicos especializados na parte estética, como os cirurgiões plásticos e os dermatologistas.

O que esperar dos resultados

Os resultados da carboxiterapia dependem do tipo de problema apresentado pelo paciente e do grau em que ele se encontra. Esse método se mostra mais eficiente para celulite em grau inicial, produzindo resultados mais discretos para celulite mais avançada. A mesma coisa acontece para as estrias, que respondem melhor quando são jovens e avermelhadas do que depois se se tornarem esbranquiçadas.

A duração dos resultados depende das características e do estilo de vida de casa paciente, podendo ser necessário realizar sessões de manutenção. A conversa com o médico especialista é fundamental para entender quais são as expectativas reais de resolução do problema.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).