Menu

As vantagens da gelatina

Bonita, gostosa e saudável: viva a gelatina!

 

Gostosa, bonita, sucesso absoluto de bilheteria, público e crítica. A gelatina é um daqueles alimentos que a gente conhece quando é criança e se sente criança toda vez que come de novo. O melhor é que ela é baratinha, fácil, fácil de fazer e ainda por cima faz um danado à saúde. Rica em colágeno, o que todo mundo pensa logo é que ajuda a deter a flacidez natural da pele no processo de envelhecimento, mas na verdade os benefícios da gelatina vão muito além disso. O próprio colágeno, por exemplo, é o responsável pela manutenção dos ossos e a regeneração ou reconstituição das articulações, prevenindo os efeitos da osteosporose. Só que não é só de colágeno que a gelatina é feita, não: ela também alivia os sintomas da gastrite dificultando a absorção dos carboidratos e das gorduras de uma forma geral tanto pelo estômago quanto pelo intestino, reduzindo a inflamação. Bom, não é? Mas tem mais.

 

Mesmo com açúcar, a gelatina não engorda

 

Todo mundo pensa em gelatina quando se fala em dieta, e com toda razão. Mesmo quando leva açúcar ela não engorda porque ela tem muita água – e ainda por cima pode ser consumida em sua versão diet, continuando deliciosa sem um pingo de açúcar e ideal para quem é diabético. Faça as contas: se as normais a cada 100g fornecem 380 kcal quase que exclusivamente provenientes de carboidratos, a diet, que não os tem, fornece apenas 7kcal. Por outro lado, ela, que é um alimento de origem animal, pode ser acrescida de frutas, deixando-a ainda mais nutritiva. Mais um ponto a favor da coloridinha: ela retarda o esvaziamento do estômago dando a sensação de saciedade por mais tempo e provendo também maior hidratação.

 

Alimento tem nove dos dez aminoácidos que o corpo precisa

 

Mas essa “sobremesa de criança” tem vantagens de gente grande: basicamente ela é composta por aminoácidos (proteínas) indispensáveis para o organismo. De todos, dez deles nós não conseguimos sintetizar naturalmente e precisam ser ingeridos através da alimentação. Pois é, destes dez, nove participam da composição da gelatina. O único que não está lá é o precursor da serotonina, o triptofano, conhecido como o “neurotransmissor da felicidade”. Ah, mas nem precisa, não é mesmo? E ainda tem mais: quem tem a gelatina de forma regular no cardápio também está reduzindo o nível do (mau) colesterol no sangue e das triglicérides. A gelatina também controla a glicemia e dá mais resistência física para quem pratica esportes.

 

Benefícios devem abranger também mudança de hábitos

Mas, mais uma vez, não espere milagre da gelatina, não adianta colocar tudo na conta dessa delícia. Afinal, não há alimento nem procedimento estético que funcione você não der uma ajudinha para melhorar a sua qualidade de vida. A gelatina ajuda, e muito, a melhorar a pele, as unhas e o brilho dos cabelos, mas para isso é preciso também que seja feita uma dieta balanceada, cuidados com os raios nocivos do sol e sejam feitos exercícios físicos adequados e com acompanhamento profissional. Arranque da sua vida hábitos ruins – como excesso de álcool, tabagismo, comidas gordurosas e sedentarismo – e prepare-se para se olhar no espelho com prazer.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. maria lucia disse:

    Como sempre a gelatina não pode faltar no meu dia a dia