Menu

5 Dúvidas Sobre a Troca da Prótese de Silicone

5 dúvidas sobre a troca da prótese de silicone

Muitas mulheres após colocar prótese de silicone tem dúvidas sobre quando é necessário trocar, mas não há o que temer!

A primeira mulher a receber um silicone para aumentar os seios foi a americana Timmie Jean Lindsey, em 1962. Décadas depois, a mamoplastia de aumento tornou-se uma das cirurgias plásticas mais populares do mundo.

De lá pra cá muita coisa mudou: novas técnicas foram surgindo e muito mais profissionais se tornaram qualificados para fazer esse tipo de cirurgia, mas uma das principais dúvidas das pacientes que realizam o aumento das mamas é sobre a troca da prótese de silicone. Mesmo que o cirurgião tome todos os cuidados necessários, em algum momento pode ser que seja necessário realizar a troca da prótese de silicone.

Abaixo listamos algumas dúvidas mais frequentes das pacientes que se submetem a uma mamoplastia de aumento:

1- Quais são os principais sinais de que a prótese deve ser trocada?

Ruptura da prótese de silicone, dores persistentes, desconforto nas mamas, endurecimento da cápsula que se forma ao redor da prótese, entre outras alterações, são os principais sintomas de que a prótese deve ser trocada.  Existem casos em que a ruptura do implante mamário não possui sintoma algum, isso porque o gel é muito espesso e pode se manter dentro do mesmo, por isso é de extrema importância que a paciente faça acompanhamento anual com métodos de imagem (mamografia, ultrassonografia, tomografia axial computadorizada ou ressonância magnética nuclear).

As mudanças que acontecem no corpo no decorrer dos anos também refletem no implante, e nestes casos a troca é indicada para que não haja nenhum problema com a saúde e aparência da paciente.

2- Qual é o momento de realizar a troca?

Somente um médico poderá avaliar e dizer quando é necessário realizar a troca da prótese de silicone. Não há nenhum dado que indique que os implantes precisam ser trocados, porém após 10 anos da cirurgia os cuidados devem ser intensificados. Além do acompanhamento médico anual, caso haja alguma dúvida na alteração da prótese, o exame sugerido é a Ressonância Nuclear Magnética. Os implantes mais antigos possuem uma maior taxa de ruptura, mas se o seio estiver em perfeita condição, sem alterações no formato e aparência, não existe razão médica para trocar, a não ser pela prevenção de futuros problemas.

3 – Como é feita a cirurgia?

A cirurgia de troca é similar com a cirurgia de colocação do silicone e em alguns procedimentos podem ser realizados no lugar da mesma cicatriz, sem cortes adicionais. Porém, vale lembrar que a possibilidade de não ter cicatrizes “adicionais” varia de pessoa para pessoa, já que algumas pacientes podem optar por fazer outros reparos nas mamas – para corrigir flacidez, por exemplo – e neste caso haverá novas cicatrizes, mas somente o cirurgião plástico irá informar qual a melhor opção para cada cirurgia.

Quando a cirurgia de troca é realizada em condições ideais e sem sintomas, o procedimento é bem mais simples e menos agressivo do que uma cirurgia realizada com contratura capsular ou ruptura, que necessitam da remoção completa da cápsula. Além de uma recuperação mais rápida e com cuidados mais simples.

4 – Como é a recuperação da cirurgia

A recuperação da cirurgia de aumento de mama é uma das mais rápidas e a troca da prótese, por ser uma cirurgia mais simples que a primeira, o retorno para a casa se dá logo após a cirurgia. Em torno de 10 dias, a paciente já está apta para retornar às atividades profissionais. O cirurgião irá indicar qual o tempo ideal para retornar as atividades físicas, entre outras atividades que requerem mais esforço físico.

5 – Como é o pós-cirúrgico e quais cuidados devem ser tomados

Os cuidados são muito parecidos com o da primeira cirurgia. Como o retorno pra casa acontece no mesmo dia, as orientações são para a paciente não fazer esforço, usar o sutiã indicado pelo cirurgião, evitar levantar os braços e fazer repouso. O curativo deverá permanecer durante o período indicado pelo médico e quando retirado, deve-se lavar a região com sabonete neutro e não usar produtos sem recomendação médica.

Vale reforçar que quem se submete a uma cirurgia de aumento de mama deve manter um acompanhamento médico e exames de imagem devem ser feitos periodicamente. Muitas pacientes que realizaram a mamoplastia de aumento tendem a buscar outra cirurgia plástica após alguns anos, seja para diminuição da prótese, lifting, retirada do implante, cirurgias de reparo por motivos de variações de peso, amamentação entre outras circunstâncias que afetarão as mamas.

Quer tirar suas dúvidas sobre a troca de prótese de silicone? Entre em contato e agende uma consulta com a Dra. Luciana Pepino.

Saiba mais sobre os mitos e verdades das próteses mamárias.

  • 5
    Shares

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).