(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
como diferenciar queda de cabelo e alopecia

Como diferenciar uma queda de cabelo normal para uma possível alopecia?

Identificar características da queda de cabelo e de quadros de alopecia é essencial para buscar auxílio médico adequado. Saiba mais!

Saber diferenciar a queda de cabelo normal e a alopecia é fundamental para buscar auxílio médico precoce quando uma alteração se instala, viabilizando diagnóstico e início do tratamento.

Um aspecto importante é que nem toda queda de cabelo anormal é alopecia, visto que quadros de eflúvio telógeno são mais comuns e menos graves. Entenda melhor a seguir!

Quais as diferenças entre a queda de cabelo e alopecia?

menina olhando seu cabelo cair

É normal apresentar queda de cabelo de até 100 fios por dia, em média, sendo importante saber que quando está molhado o cabelo fica mais sensível, de forma que é comum que essa queda se concentre no momento da lavagem dos fios.

No caso de uma queda de cabelo anormal causada por eflúvio telógeno haveria uma queda capilar mais intensa, mas sem sintomas associados.

Outra característica da alopecia androgenética é o surgimento de áreas calvas nos homens, especialmente nas entradas e topo da cabeça. Nas mulheres, essa condição resulta na perda progressiva de volume capilar.

Como é o tratamento para queda de cabelo?

No caso da queda de cabelo normal não há tratamento indicado, pois se trata do ciclo natural do cabelo no qual há o crescimento de novos fios após a queda.

Já nos quadros de eflúvio telógeno é indispensável investigar as causas da condição, pois o tratamento é diretamente relacionado ao motivo da queda, que pode ser:

  • alterações hormonais;
  • dermatite seborreica;
  • excesso de tratamentos químicos fragilizando o fio;
  • estresse;
  • déficit nutricional;
  • efeitos colaterais de medicamentos etc.

Nesses casos, além do tratamento da queda em si o que ocorre por meio de medicação é importante tratar as causas do problema, interrompendo a exposição ao agente responsável pela condição.

Como é o tratamento para alopecia?

Já nos quadros diagnosticados de alopecia androgenética, o primeiro passo é considerar a gravidade da condição. A partir disso, o médico responsável pode indicar condutas como:

  • medicação: indicada para tratamento precoce da alopecia androgenética, as medicações mais eficazes são aquelas que amenizam a ação do hormônio di-hidrotestosterona (DHT) responsável por atacar os folículos pilosos;
  • terapias: são as abordagens que, geralmente, são associadas aos remédios, como uso de laser ou injeções com medicação no local tratado visando potencializar seus efeitos;
  • transplante capilar: consiste nas técnicas de FUT (Follicular Unit Transplantation) ou FUE (Follicular Unit Extraction) recomendadas para casos mais avançados de calvície, pois viabiliza corrigir as falhas usando fios transplantados do próprio paciente extraídos de uma região doadora.

A orientação médica especializada é fundamental na definição do tratamento da alopecia androgenética, pois quadros mais graves não vão apresentar resultados com a terapia medicamentosa, por exemplo, gerando frustração no paciente.

Assim, avaliar qual o momento de optar pela medicação e quando apenas o transplante capilar garante os resultados estéticos almejados é indispensável para definição acertada.

O transplante capilar é uma opção para homens e mulheres podendo ser usado para cobrir regiões de calvície mais extensas, característica da alopecia androgenética em homens, ou as falhas difusas que são mais comuns nas mulheres.

Ente em contato com a gente e conheça mais sobre o procedimento de transplante capilar que pode te ajudar em um possível caso de alopecia. 

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.