Menu

Entenda o que é lipoma e saiba como você pode tratar

O lipoma é parecido com o cisto sebáceo, mas somente o médico pode distingui-los e orientar sobre a necessidade de removê-lo.

Talvez você não saiba o que é lipoma apenas pelo nome, mas você provavelmente conhece alguém que teve um: trata-se de um nódulo benigno formado por células de gordura que se forma sob a pele e pode trazer alguns incômodos.

Esses nódulos são bastante parecidos com os cistos sebáceos, pois ambos podem formar uma espécie de caroço visível e palpável na pele. Contudo, a natureza dos cistos é diferente, pois eles se originam a partir de uma substância chamada sebum.

Os lipomas aparecem com mais frequência em mulheres na faixa de 40 a 60 anos, atingindo cerca de 10% da população. As regiões do corpo que mais apresentam essas protuberâncias são os antebraços, o tronco e o pescoço. As crianças raramente desenvolvem esses nódulos.

O que é lipoma e como ele se forma?

O lipoma é uma espécie de tumor, mas você não precisa se assustar, pois ele é benigno. Esse nódulo se forma nos tecidos subcutâneos e subdérmicos em função de um acúmulo de células de gordura antigas.

Essas protuberâncias podem se formar na pele, nos nossos órgãos internos e nas cavidades de todo o corpo. Sua velocidade de crescimento é bastante lenta, e eles geralmente ficam em torno de 2 a 3 cm no máximo – porém, existem alguns lipomas que chegam a 10 cm.

o que é lipoma
fonte: pinterest

 

A maior parte dos lipomas é única (ou seja, a pessoa tem apenas um), mas aproximadamente 5% das pessoas afetadas podem ter lipomas múltiplos.

As causas do surgimento desses nódulos não estão totalmente explicadas. Existem fortes indícios de que eles tenham origem genética, mas alguns especialistas acreditam que os lipomas podem surgir a partir de um trauma.

Outro fator que aparentemente pode desencadear o desenvolvimento dos lipomas é um aumento de peso muito rápido, devido ao metabolismo das células adiposas – base para a formação dos nódulos.

Veja também – Como tratar queloide? Entenda como ela se forma e como prevenir seu surgimento.

Como diferenciar lipoma, cisto sebáceo e tumor maligno

Perceber a presença de um nódulo embaixo da pele não é difícil, mas, mesmo sabendo o que é lipoma, é bastante improvável conseguir diferenciá-lo de um cisto sebáceo sem passar por uma avaliação médica.

Esses dois tipos de caroços são estruturas móveis (ou seja, é possível sentir que eles se movimentam sob a pele quando são pressionados) e possuem bordas irregulares.

Já os tumores malignos apresentam características distintas: em vez de serem nódulos suaves e móveis, eles costumam ser constituídos por massas mais rígidas, que permanecem na mesma posição e têm limites pouco definidos.

Apesar dessas diferenças, é bastante improvável que uma pessoa leiga consiga estabelecer a diferença entre lipoma, cisto sebáceo e um tumor maligno. Dessa forma, somente um médico especialista poderá avaliar a natureza do nódulo.

Em geral, a confirmação do diagnóstico de lipoma é feita por meio de um exame físico com apalpação da massa de gordura.

Porém, quando se trata de um nódulo com mais de 5 cm que tenha formato irregular e esteja prejudicando o tecido muscular ou a película que cobre os músculos (fáscia), podem ser necessários exames adicionais, como ultrassom ou ressonância magnética.

Embora tenham natureza benigna, foram registrados alguns poucos casos em que lipomas se transformaram em lipossarcomas, um tipo de câncer que afeta o tecido adiposo. Dessa forma, o médico também pode recorrer a uma biópsia quando necessário.

Confira também – Cinta modeladora: por que usar? é realmente necessário? o que ela faz?

Quando é preciso tirar o lipoma

Além de saber o que é lipoma, é importante conhecer as situações em que se indica extrair esse nódulo. A maior parte dos casos dispensa o tratamento, apenas aconselhando-se o acompanhamento periódico para detectar qualquer alteração.

Contudo, determinadas características e sintomas do lipoma fazem com que a remoção cirúrgica seja recomendada, incluindo:

  • Desconfortos: o lipoma está fazendo pressão sobre um nervo, fazendo com que o paciente sinta dor, ou está localizado em uma região que causa limitações funcionais (impedir que a pessoa digite em um computador, por exemplo);
  • Prejuízo estético: quando o nódulo se localiza em uma área bastante visível e causa desconfortos estéticos;
  • Características suspeitas: quando o lipoma tem mais de 5 cm, suas bordas são irregulares e ele está endurecendo ou aumento de tamanho de forma muito rápida;
  • Alterações na biópsia: quando o exame do conteúdo do nódulo revela características que o distinguem de lipomas clássicos e o aproximam de um lipossarcoma (tumor maligno);
  • Dúvida sobre a malignidade: se não houver certeza sobre a natureza do nódulo, podendo ele ser um lipoma, um cisto sebáceo ou um tumor maligno, a extração poderá ser indicada como medida de segurança.
o que é lipoma

Remoção do lipoma

O tratamento do lipoma é basicamente cirúrgico. Para nódulos superficiais, o procedimento é considerado simples e pode ser feito em caráter ambulatorial, apenas com anestesia local e sem necessidade de sedação.

Entretanto, quando o lipoma tem um tamanho considerável ou está localizado em tecidos mais profundos ou de difícil acesso, torna-se necessário utilizar uma anestesia mais abrangente e/ou associar sedação intravenosa para que o paciente durma.

Para a remoção propriamente dita, o médico pode optar pelas técnicas de lipoaspiração e extração. No primeiro caso, o lipoma é sugado com uma cânula, da mesma forma como se aspira a gordura em excesso.

A vantagem da lipoaspiração é que a cicatriz é pequena e discreta, mas, caso sobre algum resquício do nódulo, ele poderá crescer novamente. Confira nosso artigo sobre os tipos de cicatrizes e como evitar complicações.

Considerando a reincidência, a maior parte dos cirurgiões acaba optando pela extração, que consiste em remover o lipoma por meio de uma incisão. Nesse caso, embora a cicatriz seja maior, é mais fácil garantir a remoção completa do nódulo, evitando que ele volte.

Somente o médico pode decidir a melhor forma de tratamento. Por isso, caso você tenha um nódulo, seja ele um lipoma ou cisto sebáceo, agende uma avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino para confirmar o diagnóstico e descobrir o melhor tratamento. Ah, aproveite também para conhecer os demais procedimentos estéticos e opções de cirurgia plástica que a clínica oferece!

  • 21
    Shares