Menu

Como funciona a cirurgia de correção de cicatrizes?

Você se machucou e ficou com uma marca muito feia? Fez uma cirurgia e a cicatriz te incomoda? Conheça os tratamentos disponíveis para se livrar desse problema!

Quando fazemos uma cirurgia plástica, o objetivo sempre inclui um resultado esteticamente agradável. Por isso, é muito decepcionante quando ela deixa uma cicatriz de baixa qualidade ou um queloide. Felizmente, existem procedimentos para a correção da cicatriz.

Seja por um acidente ou uma cirurgia, é difícil encontrar alguém que não tenha nenhuma cicatriz no corpo. Embora seja algo corriqueiro, em alguns casos elas podem incomodar bastante, prejudicando não apenas a aparência como também a funcionalidade da pele.

Isso porque cicatrizes inestéticas podem apresentar um aspecto grosseiro e causar um “repuxamento” da pele ao seu redor, uma complicação bastante desconfortável para o paciente.

Cicatrizes que causam incômodos

Há quatro tipos principais de cicatrizes consideradas inestéticas:

  • Queloides: a produção excessiva de colágeno faz com que a cicatriz não pare de crescer, formando os queloides. Eles ultrapassam os limites da lesão ou incisão, são mais consistentes do que a pele, têm uma coloração avermelhada e podem coçar;

  • Cicatrizes hipertróficas: embora sejam bastante espessas como os queloides, essas cicatrizes não ultrapassam os limites da lesão. Esse problema acontece devido à desorganização das fibras de colágeno;

  • Cicatrizes alargadas: são mais finas, frouxas e profundas do que a pele ao seu redor, semelhante a uma estria. Essas cicatrizes são mais frequentes em regiões em que a pele tem uma tensão maior;

  • Cicatrizes discrômicas: podem ser mais escuras (hipercrômicas) ou mais claras (hipocrômicas) que a pele normal. É preciso diferenciar uma cicatriz discrômica de uma cicatriz que ainda não está totalmente amadurecida.

Técnicas para fazer a correção da cicatriz

Se você se identificou com essa situação e gostaria de corrigir sua cicatriz inestética, saiba que existem vários procedimentos com essa finalidade. Conheça mais sobre quais são e como eles funcionam:

creme para correção de cicatriz
  • Massagens com produtos tópicos: existem alguns cremes e pomadas que se destinam a melhorar a aparência da cicatriz promovendo uma suavização da textura e da coloração;
  • Corticoide injetável: trata-se de injeções de corticoide diretamente na cicatriz, quando ela se sobressai à pele ao seu redor e os produtos de aplicação tópica não oferecem mais resultados significativos;

  • Criocirurgia: é uma técnica que emprega o nitrogênio líquido por meio de ponteiras a jato com o intuito de congelar os tecidos que não param de crescer e promover sua destruição;
  • Cirurgia de reparo de cicatriz: trata-se de uma cirurgia que remove a cicatriz inestética para formar uma nova em seu lugar, de modo a obter uma cicatriz de boa qualidade.

A escolha do melhor procedimento depende das características de cada paciente, por isso é necessário passar por uma avaliação. Pode ser indicado fazer uma associação entre diferentes técnicas, principalmente no caso de pessoas com tendência a formar queloides.

Cirurgia de correção de cicatrizes

Em alguns casos, a cicatriz pode ter um aspecto tão inestético ou prejudicar tanto a funcionalidade da pele que se torna indicado fazer uma cirurgia para removê-la completamente e construir uma nova.

Nesse caso, o médico faz a secção do tecido onde está a cicatriz antiga, removendo a marca, e faz uma nova sutura com pontos internos, que oferecem um resultado de muito mais qualidade do que a cola cirúrgica, por exemplo.

A cirurgia de correção de cicatrizes é um procedimento relativamente simples e, quando se trata de uma cicatriz pequena, ele pode ser feito com anestesia local.

Contudo, quando a cicatriz é grande ou o paciente se sente muito desconfortável com o procedimento, é possível associar a anestesia com a sedação venosa, de forma que a pessoa dormirá e não sentirá nenhum tipo de aflição ou nervosismo.

Como toda cirurgia, a correção de cicatriz também pode ter complicações, incluindo sangramentos, reações indesejadas em função da anestesia e infecções. Felizmente, as complicações não são tão frequentes, e o procedimento é bastante seguro.

Como é o pós-operatório

O pós-operatório da cirurgia de correção de cicatrizes costuma ser tranquilo, sem que o paciente sinta muitas dores ou grandes incômodos.

Se o paciente tem uma profissão que não exige esforço físico, não costuma ser necessário se afastar de sua rotina laboral e demais atividades do dia a dia. Os exercícios e atividades físicas, por sua vez, podem ser retomados cerca de uma semana depois do procedimento.

Uma recomendação muito importante é não se expor ao sol, especialmente no primeiro mês após a cirurgia, protegendo a região trabalhada mesmo quando estiver em ambientes fechados ou em dias nublados e usando filtro solar com FPS 30 ou superior.

Esse cuidado é essencial para evitar que o sol cause manchas permanentes no local da nova cicatriz, o que pode prejudicar o resultado da correção de forma irreversível.

Existe risco de a nova cicatriz ser de baixa qualidade?

Sim, é importante considerar que a nova cicatriz também pode ser inestética. Isso acontece porque é impossível evitar totalmente a formação de um queloide, mesmo que o médico seja extremamente habilidoso.

Contudo, existem alguns cuidados que podem ser tomados para prevenir que a nova cicatriz tenha uma má qualidade, como o uso de curativos compressivos e das placas de silicone e a aplicação de radioterapia.

luvas de médico cirurgia de correção de cicatrizes

Essas medidas devem ser seguidas sempre que cirurgião identificar que o paciente já teve problemas anteriores ou histórico familiar de queloides, de forma a reduzir as chances dessa complicação e evitar a necessidade de correção.

Os curativos compressivos são usados nas primeiras horas após cirurgia com o objetivo de fazer uma pressão no local e evitar queloides e cicatrizes alargadas. As placas de silicone, por sua vez, são utilizadas durante 4 a 6 meses sobre o local da sutura. Confira mais detalhes sobre o que é o queloide e como tratar!

No caso da radioterapia, também chamada de betaterapia, a radiação é aplicada superficialmente para prevenir um excesso na produção de colágeno.

Embora uma cicatriz inestética não seja necessariamente um problema de saúde, ela pode incomodar muito. Por isso, se você se identificou com essa situação, agende uma avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino para saber mais sobre as opções de tratamento.

  • 19
    Shares

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).