Menu

O que faz uma mulher ganhar o Miss Universo?

Candidada Vencedora do Miss Universo 2017, a Francesa Iris Mittenaere

Conheça um pouco mais sobre os critérios do concurso de Miss Universo e saiba quais são as características procuradas nas candidatas

Regras do concurso de Miss Universo

A primeira regra do concurso de Miss Universo é que a candidata seja legalmente uma mulher. Isso significa que os homens não podem concorrer, mas uma transexual será admitida no concurso desde que seja legalmente reconhecida em seu país como sendo mulher.

A candidata precisa ter entre 18 e 27 anos no dia 1º de fevereiro do ano do concurso e é obrigatório que ela apresente nacionalidade do país que estiver representando.

Duas das regras que costumam ser questionadas por entidades de valorização à mulher são os requisitos de que a candidata nunca tenha se casado e nunca tenha estado grávida nem adotado uma criança. Inclusive, a Miss Universo eleita não pode se casar durante seu reinado para que possa cumprir sua agenda de eventos e viagens.

Além disso, é necessário que a candidata tenha vencido o concurso de beleza nacional do seu país. Um detalhe: caso a vencedora do país não cumpra um dos requisitos, a segunda colocada poderá concorrer ao Miss Universo.

Diferente do que se pensa costumeiramente, o Miss Universo não exige uma altura mínima para o ingresso no concurso – embora se saiba que, em geral, as participantes estão acima de 1,70 metro. Ainda, não existe nenhuma exigência quanto ao peso, seja mínimo ou máximo.

O concurso não proíbe cirurgias plásticas nem procedimentos estéticos. Entretanto, vale observar que, para participar do Miss Brasil, as cirurgias plásticas precisam ter sido feita há mais de dois meses e meio antes da data do concurso.

candidatas ao miss universo 2017

Candidatas ao Miss Universo 2017

Vitórias passo a passo

Uma das regras para participar do concurso de Miss Universo é ser a vencedora do concurso de misses de seu país. No Brasil, a candidata precisa primeiro ser eleita por um concurso de beleza em sua cidade e, depois, em seu estado, para em posteriormente participar do concurso Miss Brasil.

O Miss Universo acontece em etapas, com provas preliminares de traje de gala, traje de banho e traje típico. Esse evento, chamado de Presentation Show, é fechado para o público em geral e aberto à imprensa. A partir dessas prova, são escolhidas 15 semifinalistas cujos nomes são mantidos em segredo até a noite do evento principal do Miss Universo, transmitido ao vivo para o mundo todo.

O evento principal do Miss Universo também acontece em etapas, cujo número de candidatas selecionadas varia com a passagem dos anos. Em geral, são anunciadas as 15 semifinalistas, que participam do desfile com traje de banho. Em 2017, foram escolhidas candidatas para continuar na disputa e participar do desfile de traje de gala. Em seguida, foram selecionadas apenas 5 semifinalistas, que respondem às perguntas.

Em busca da beleza ideal

Sim, o Miss Universo é um concurso de beleza, e por isso a aparência das candidatas é rigorosamente avaliada. Além disso, não se pode negar que existe um padrão de beleza esperado para as candidatas.

O concurso afirma que não obriga as candidatas a apresentar traços étnicos estereotipados do seu país. Ou seja, a candidata da Nigéria não precisa ser necessariamente negra e a candidata da Noruega não precisa ser loira.

Apesar disso, é sabido que se buscam características físicas. Para o rosto, o desejado é que a candidata seja considerada bonita, com as feições proporcionais e harmônicas – e, é claro, um belo sorriso.

Em relação ao corpo, espera-se que a concorrente tenha altura acima de 1,70 metro, um biótipo magro porém curvilíneo, com busto e quadril considerados médios e coxas mais generosas. Espera-se também que as candidatas não apresentem barriga saliente.

Inclusive, a candidata canadense ao Miss Universo de 2017, Siera Bearchell, chamou atenção por ter muito mais curvas do que as demais concorrentes, sendo chamada de “gorda” por muitos especialistas do concurso e também nas redes sociais. Siera chegou ao top 9 do concurso, uma etapa à frente da concorrente brasileira, a maravilhosa Raíssa Satana, e deu um baile na gordofobia ao afirmar que o mais importante para uma mulher é se sentir bem com seu próprio corpo.

a candidata canadense ao Miss Universo de 2017, Siera Bearchell

Candidata canadense ao Miss Universo de 2017, Siera Bearchell.

A beleza é importante, mas não é tudo

Apesar de ser extremamente importante no concurso de Miss Universo, a beleza não é o único quesito avaliado pelos juízes para decidir a grande campeã da disputa. A candidata que for eleita Miss Universo vai representar a organização do concurso e uma grande parcela da população – as mulheres jovens –, e por isso, precisa apresentar também outras qualidades além de uma bela aparência.

Por participar de vários eventos durante o ano de seu reinado, os jurados buscam uma candidata à Miss Universo que tenha uma personalidade que chame atenção e se destaque entre as demais. Nesse momento, levam vantagem as concorrentes que são mais comunicativas, seguras e confiantes – características que aparecem principalmente na etapa da entrevista.

Além disso, é necessário gostar de pessoas genuinamente, visto que muitas das obrigações da Miss Universo estão relacionadas a causas sociais. Também é necessário apresentar características como um belo sorriso, muita simpatia e, também, uma simplicidade natural.

Além disso, dificilmente uma aspirante à Miss Universo com uma reputação controversa será eleita vencedora, pois se espera que a representante da beleza feminina seja também um exemplo de conduta ilibada.

Mais do que beleza natural, a candidata precisa ter muitos cuidados com a saúde, a alimentação e a forma física, estando disposta a seguir uma rotina rigorosa de dieta e exercícios físicos. Também é necessário estar atualizada com os temas que costumam aparecer na etapa das perguntas e, de preferência, se sentir segura para responder à entrevista em inglês.

Ou seja, como podemos ver, chegar ao posto de Miss Universo requer dedicação de muitos anos, como em qualquer carreira profissional. Embora certamente todas as concorrentes e vencedoras tenham seus méritos – e eles não são poucos –, as exigências do concurso não devem servir para diminuir a autoestima das “mulheres comuns”, mas sim ser entendidas como uma espécie de orientação sobre como podemos nos sentir melhor com nosso próprio corpo e aparência.

Candidata Brasileira ao Miss Universo 2017 Raíssa Santana

Candidata Brasileira ao Miss Universo 2017, Raíssa Santana.

Você também pode gostar de: Padrão de beleza: o que é ser bonita no Brasil

 

 

  • 96
    Shares