11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Lifting

Cada vez mais natural e duradoura, a plástica do rosto evoluiu tanto nos últimos anos que ganhou até nome novo, Lifting, e muita gente acha que são coisas diferentes. A verdade, no entanto, é que ele nada mais é do que uma técnica diferente de plástica facial, que procura reduzir os sinais de envelhecimento: se antes a pele era apenas esticada, agora o Lifting – ou Ritidoplastia, como é tecnicamente chamado – reposiciona a musculatura e retira apenas o excedente de pele. O resultado é mais natural, mas ele está longe de ser apenas aquela “puxadinha” despretensiosa. Ele é, sim, uma cirurgia plástica como outra qualquer e requer cuidados especiais tanto na escolha do profissional que o executará quanto com o pós-operatório. E, como qualquer outra cirurgia, há riscos e possibilidades, nunca uma certeza absoluta de resultados.

Procedimento reposiciona a estrutura muscular facial dando aspecto mais jovem

O reposicionamento das chamadas estruturas profundas do rosto – musculatura e gordura – feito no lifting devolve a harmonia facial, melhorando a flacidez facial, agindo nos vincos profundos abaixo das pálpebras inferiores e do nariz ao lado da boca, reduzindo o depósito excessivo de gordura abaixo do pescoço que produz a papada, retirando o excesso de pele flácida também da testa e das pálpebras, dando aspecto rejuvenescido aos olhos. O resultado é bastante natural, mas é sempre bom frisar que ele também depende da competência do cirurgião: quando não é bem executado á o risco de a fisionomia ficar sem expressão, com aspecto artificial ou muito “esticado”.

Quem fuma deve parar meses antes da cirurgia
Também como em qualquer outra cirurgia, há restrições: o Lifting não é indicado para fumantes, por exemplo, por isso o ideal é conversar bastante com um médico de confiança e procurar ser realista em relação à expectativa de resultados. Cada particularidade do paciente deve ser levada em conta – idade, ocorrência ou não de doença pulmonar e histórico de ansiedade – para determinar o tipo de anestesia, que pode ser geral ou local com sedação. Saúde geral, alergias, uso de medicamentos, estilo de vida, uso de álcool ou drogas e até procedimentos anteriores precisam ser levados em conta antes do procedimento.

Tipo de Lifting depende de cada caso

Dependendo da indicação, o médico poderá indicar um Soft Lifting, um procedimento que combina o preenchimento com botox e um pequeno lifting para retirar apenas o excesso de pele em alguns pontos. Em casos em que a quantidade de pele flácida é maior, como na pele de fumantes e de quem teve exposição excessiva ao sol, o mais indicado costuma ser o Lifting completo. Por outro lado, o pós-operatório também é decisivo para um bom resultado, não só em relação ao cumprimento de todas as recomendações médicas mas também à resposta do próprio organismo, já que cada corpo responde de forma diferente às mesmas situações. O tempo médio indicado de reclusão é de duas a três semanas, mas a permissão para dirigir, praticar exercícios físicos e tomar sol dependerá de cada caso.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).