11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

As boas energias que o Natal proporciona

Saiba qual é a história do natal

Natal é tempo de benevolência, sabedoria, paz e união. Saiba como surgiram as festividades!

Em muitas nações, inclusive no Brasil, o Natal é uma das principais festividades do ano, sendo tempo de reunir a família, preparar pratos especiais e, claro, ganhar e distribuir presentes.

Por trás dessas tradições também está uma data relacionada à esperança, nascimento, transformações, paz e união. E esses bons sentimentos relacionados ao Natal são devido ao aniversariante do dia, Jesus Cristo, na tradição cristã.

Apesar disso, as festividades do final de dezembro são mais antigas. Conheça as origens delas a seguir!

Como surgiram as festividades de Natal?

A história do Natal tem início cerca de 7 mil anos antes do nascimento de Jesus Cristo, remetendo aos primórdios da civilização humana.

Inicialmente as festividades ocorriam para celebrar o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte que ocorria no final de dezembro e marcava o início de dias cada vez mais ensolarados até o auge do verão.

Por essa simbologia, a data indicava a superação das trevas pela luz com o “renascimento” do Sol. A tradição também tinha relação com o início da agricultura, pois os dias mais longos indicavam melhores colheitas.

Na Mesopotâmia as festividades duravam 12 dias, enquanto na Grécia era cultuado Dionísio, o deus do vinho e da vida tranquila, e no Egito era relembrada a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos.

Na China a comemoração tinha relação com o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza. Até os dias atuais essa tradição é mantida entre os chineses.

Já em Roma, o dia 25 de dezembro representava o nascimento do deus persa Mitra que indicava benevolência, sabedoria e solidariedade por meio do Festival do Sol Invicto.

Para encerrar as festividades foi criada a Saturnália, que durava uma semana e homenageava Saturno, senhor da agricultura.

Todas essas comemorações eram relacionadas ao solstício de inverno que poderia acontecer entre os dias 20 e 21 de dezembro, de acordo com o ano.

E como então as festividades de Natal passaram a ter uma relação direta com o cristianismo?

Nessa época a religião católica apenas começava em Roma e as datas religiosas limitavam-se à Sexta-Feira Santa (crucificação) e à Páscoa (ressurreição).

No ano de 221 d.C., o historiador cristão Sextus Julius Africanus sugeriu que o aniversário de Jesus – que não era especificado no Novo Testamento, apesar de indicar que ocorria no verão – passasse a ser comemorado em 25 de dezembro.

A Igreja acatou a proposta que ajudava a fazer frente às comemorações pagãs do solstício.

Assim, a partir do século 4, quando o cristianismo tornou-se a religião oficial do Império, o Festival do Sol Invicto deixou de homenagear Saturno e passou a ser dedicado a Jesus Cristo.

Família no natal

Quais as principais tradições natalinas e suas origens?

Independentemente das crenças religiosas, as festividades de Natal, tanto católicas quanto pagãs, simbolizam a abundância das colheitas, a benevolência, a sabedoria, a humildade cultivando as boas energias que até hoje são características da data.

Durante os séculos diversas tradições tiveram início em diferentes partes do mundo. As principais delas são:

  • o presépio natalino, montado pela primeira vez no século 12 por São Francisco, na cidade de Assis na Itália;
  • árvore de Natal decorada com velas, iniciada pelo alemão Martinho Lutero no século 16 e popularizada entre as famílias no século 18;
  • na Alemanha do século 16 também teve início o “mercado de Natal”, com comércio de presentes, alimentos e árvores;
  • os alemães também foram responsáveis pelas árvores artificiais a partir do século 19, tornando o uso do pinheiro menos comum;
  • o Papai Noel é inspirado em São Nicolau, que era conhecido como um doador anônimo que distribuía moedas e guloseimas às crianças. Após ser canonizado se tornou o santo padroeiro das crianças;
  • as renas do Papai Noel surgiram a partir do poema “Uma visita de São Nicolau” escrito por Clement Moore em 1823;
  • a decoração da árvore de Natal com luzes elétricas teve início em 1882, em Nova York;
  • na tradição cristã brasileira a árvore de Natal deve ser montada em 6 de dezembro, dia de São Nicolau, e desmontada em 7 de janeiro, depois do Dia de Reis.

Além dessas tradições e símbolos, atualmente, o Natal também é considerado um momento de união entre as famílias, época do ano usada para agradecer as graças alcançadas e também planejar o próximo ano.

Esses sentimentos de paz, harmonia, união e amor promovidos nas festividades de Natal estão presentes desde a origem da comemoração do solstício de inverno, ainda que muitas tradições e símbolos foram adotados durante os séculos.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).