11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Gordura Localizada: Quando é ou Não Necessário Recorrer a uma Cirurgia Plástica

gordura-localizada-luciana-pepino

Será que você já fez de tudo para se livrar da gordura localizada? Descubra se a solução pode estar na cirurgia plástica

É fato: muitas mulheres se incomodam com a gordura localizada que se acumula pelo corpo. Não é nada raro encontrar homens e mulheres que se queixam do depósito de tecido adiposo em partes do corpo como abdômen, coxas, bumbum, costas e braços, e isso faz com que eles se sintam desconfortáveis com a própria silhueta.

Em consequência, é muito comum que os pacientes se dirijam aos consultórios de cirurgia plástica manifestando o desejo de fazer algum procedimento para se livrar desse excesso de uma vez por todas.

Porém, antes de se submeter a uma cirurgia plástica, é preciso saber que nem todas as gorduras localizadas necessitam desse tipo de tratamento.

Dependendo de características como o local e a quantidade de gordura acumulada, é possível obter bons resultados por meio de outras técnicas antes de realmente ter que recorrer a uma lipoaspiração. Será que este é o seu caso?

Você tem uma rotina de exercícios físicos?

Um dos passos mais importantes para queimar a gordura localizada ou perder barriga é ter uma rotina de exercícios físicos. Para a gordura localizada, em especial, o mais indicado é praticar atividades cardiovasculares de 4 a 5 vezes por semana durante 30 minutos no mínimo.

Entre as atividades recomendadas para isso, você pode escolher corrida, caminhada, bicicleta, natação, tênis e até mesmo a dança. Para quem gosta de treinar na academia, as melhores atividades são a esteira, o elíptico e o spinning, todos com alto gasto energético.

Os exercícios cardiovasculares são essenciais, mas eles não são os únicos necessários para manter uma silhueta bonita. Além de queimar as gorduras com as atividades aeróbicas, é importante fazer exercícios de fortalecimento muscular.

Isso porque eles ajudam a definir o perfil do corpo, evitando uma aparência flácida ao eliminar a gordura localizada, e também porque o próprio tecido muscular ajuda a queimar mais gordura.

Você está se alimentando corretamente?

É claro que não queremos que você passe toda a sua vida toda sem consumir alimentos como salgadinhos, pratos congelados, bolachas e biscoitos e doces em geral, muito menos que você passe seu aniversário e outras datas especiais sem um pedaço de bolo ou sem tomar uma tacinha de espumante.

Mas é verdade é que quanto mais você puder evitar esse tipo de alimento e dar preferência a opções mais saudáveis e naturais, ricas em fibras, vitaminas e minerais, melhor para a sua saúde e a sua silhueta.

O fato é que, além de favorecer o acúmulo de peso e desregular os níveis de colesterol, os alimentos industrializados e ricos em gordura trans e em açúcar acabam contribuindo para o acúmulo de gordura localizada, principalmente na região do abdômen.

Por isso, pensando em evitar o depósito de gordura nessa região – e também na nossa saúde como um todo, devemos evitar o consumo desses alimentos, que ainda oferecem quantidades ínfimas dos nutrientes importantes.

Seguindo esse pensamento, também devem ser evitados alimentos ricos em carboidratos simples, como os pães e massas à base de farinha branca, pois eles apresentam alto índice glicêmico.

Isso significa que esses alimentos causam um pico de insulina logo depois da ingestão, que nos fazer ter ainda mais fome e é o principal responsável pelo depósito de gordura na região da barriga.

É claro que nosso corpo precisa da energia proveniente dos carboidratos, mas podemos obter essa energia de forma muito mais saudável ao dar preferência aos grãos integrais.

Na hora de escolher seu carboidrato, procure evitar o consumo de arroz branco, pães e massas brancas e doces.

Para evitar que os carboidratos se acumulem diretamente na sua barriga, coxas ou quadris, prefira arroz, pães e massas integrais, feitos com outros grãos além do trigo, como aveia, linhaça, quinoa e grão-de-bico.

Esses cereais oferecem uma quantidade maior de fibras, que ajudam a aumentar a saciedade, e não geram tanto pico glicêmico.

Por fim, mantenha uma garrafinha de água do seu lado e beba pelo menos 2 litros todos os dias. A água é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo e ajuda na eliminação das toxinas.

Para eliminar gordura localizada, considere fazer um procedimento estético

Os tratamentos estéticos específicos para o tratamento da gordura localizada oferecem resultados bastante significativos. Entre eles, destacam-se o manthus e o ultracontour.

O manthus é feito com um equipamento que combina o ultrassom com correntes elétricas. O objetivo desse procedimento é tratar celulite e gordura localizada da seguinte forma: enquanto o ultrassom promove uma agitação e causa o rompimento das células adiposas, as microcorrentes potencializam esse efeito e favorecem a eliminação da gordura pelos vasos linfáticos.

O ultracontour, por sua vez, é um tratamento não invasivo capaz de modificar o contorno corporal. Com o aparelho HIFU (ultrassom focalizado de alta intensidade), esse procedimento promove a quebra das células adiposas. Já as ondas do ultrassom, aplicadas abaixo da pele, rompem a membrana das células das células de gordura por meio da cavitação.

Esse processo consiste na interação das bolhas de gás que estão permeadas nos tecidos com as ondas do ultrassom, resultando em mais quebra das células de gordura. O ultracontour é indicado para tratar a gordura localizada no abdômen, coxas, flancos e braços.

Nada funciona? Então é hora de recorrer às cirurgias

Se você já fez de tudo e nada fez efeito na gordura localizada, pode ser necessário recorrer a uma cirurgia plástica para se livrar delas. Veja as principais:

  • Abdominoplastia: é a redução do volume do abdômen ao se retirar o excesso de pele e gordura da região – sem incluir flancos e cintura. A cirurgia ainda restaura os músculos enfraquecidos ou separados, melhorando o perfil abdominal;
  • Lipoaspiração: é a cirurgia que retira o excesso de gordura de uma determinada região do corpo por meio da sucção. Pode ser feita nas coxas, braços, cintura, joelho, peito, abdomen, costas, axilas e papada.
  • Lipoescultura: é uma lipoaspiração seguida de lipoenxertia. A gordura retirada do paciente passa por um processo de lavagem e depois é injetada em locais onde existe uma falta de volume;
  • Hidrolipo: é praticamente igual à lipoaspiração, mas pode ser feita com anestesia local. Para isso, ela é executada por região, não podendo ser excedido o limite devido à toxicidade do anestésico.

É importante lembrar que todas essas cirurgias são indicadas somente para pacientes saudáveis, não fumantes, que estejam dentro do peso ideal ou um pouco acima dele e que tenham expectativas reais sobre os resultados. Elas não são indicadas para a perda de peso.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).