11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Como evitar bolhas nos pés

Saiba como elas se formam e como tratar essas pequenas lesões que tanto incomodam.

Os pés, em geral, não recebem a atenção que merecem. Estamos sempre de olho e preocupados com as outras partes de nosso corpo e muitas vezes acabamos deixando de lado os responsáveis por nos locomover e nos transportar de um ponto para outro. Por essa falta de cuidados com nossos queridos pés e principalmente se não atentamo-nos a alguns fatores, pequenas lesões podem começar a surgir e a principal delas é a famosa bolha que tanto atormenta nossos pés. Entenda agora porque essas bolhas aparecem e como pequenos cuidados podem te livrar deste incômodo!

Como as bolhas se formam?

As bolhas surgem por diversas razões. A principal delas é por atrito dos pés com a meia, calçados ou chão. Conforme o atrito vai ser tornando constante, a epiderme, que é a camada mais superficial da pele, vai se descolando da segunda camada, a derme, e o espaço formado entre elas vai sendo preenchido com um líquido que sai dos vasos sanguíneos da derme. Essa é a forma mais comum do surgimento das bolhas de pés. Outras causas que também dão origem a esse ferimento são: queimaduras causadas pelo contato com uma superfície muito fria ou quente, micoses e doenças de natureza dermatológica como a disidrose, que causa o aparecimento de bolhas nas mão e nos pés, acompanhadas de coceira.

O que fazer para evitá-las?

Como diria o famoso ditado: ”prevenir é melhor do que remediar”, a melhor forma de não sofrermos com essas pequenas lesões é seguir algumas dicas básicas que vão diminuir o atrito sofrido pelos pés e evitar a formação das bolhas. Antes de mais nada, cuide de seus pés. Ou seja, evite o uso de sapatos apertados e posições desconfortáveis quando tiver que passar muito tempo sem movimentar-se, como no trabalho, por exemplo. Antes de qualquer caminhada, verifique se seus pés estão limpos e acomodados em um calçado de qualidade, confortável, no tamanho certo e, de preferência, com uma sola mais firme, uma vez que além de oferecer mais comodidade aos seus pés, ajuda a evitar também torões e dores nas pernas. Outro detalhe importante é verificar se o calçado permite que a umidade do pé saia durante seu uso. Caso contrário, você sentirá muito desconforto e o surgimentos de bolhas ao final do dia é mais do que garantido. Evite meias de algodão, pois elas também seguram muita umidade. Outra dica valiosa para quem já sabe que tem muita sensibilidade em determinados pontos dos pés, é proteger essas áreas com esparadrapos. Pomadas e vaselina também costumam ser utilizadas para diminuir o atrito, mas não exagere no uso para não agravar ainda mais o problema.

Como devo tratar?

Você seguiu todas essas dicas e a bolha ainda permanece firme e forte? Muita calma nessa hora! Primeiramente, não tente estourar a bolha. Se ela for muito grande, fure-a com a ajuda de uma agulha esterilizada para liberar o fluído acumulado na região. Evite também tentar arrancar a pele que fica solta, pois isso poderá acarretar em uma ferida e aumentar o risco de infecção. O ideal é sempre limpar bem o local inflamado e também o calçado com uso de sabonete antisséptico antes de voltar a usá-lo. Seguindo esses cuidados, você vai poder amenizar o desconforto causado pelas bolhas, aumentando assim a probabilidade dela desaparecer dentro de poucos dias.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).