Dietas sem acompanhamento

A briga entre as mulheres e a balança parece ser uma daquelas disputas eternas – e não faltam dietas e fórmulas milagrosas que prometem você sair vencedora dessa batalha. Só que esse pode ser um daqueles casos típicos em que o feitiço se volta contra o feiticeiro, e aí só Deus sabe quais podem ser as consequências para quem faz dieta sem acompanhamento médico. Claro que todas elas parecem inofensivas a princípio, mas a verdade é que emagrecer de forma saudável não é tão fácil quanto parece. Balancear os alimentos com o tipo e quantidade certos é uma tarefa para profissionais especializados, médicos que poderão organizar a sua vida alimentar de forma a reduzir medidas sem reduzir a saúde.

 

Problemas podem ser bem maiores do que o excesso de peso

 

Um dos principais riscos para quem faz dieta sem acompanhamento é acabar ficando sem nutrientes que são indispensáveis para a saúde e podem incorrer danos como anemia, hipoglicemia, excesso de gordura e efeito sanfona, por exemplo. Dieta da Lua, Dieta do Macarrão, Dieta da Sopa ou seja lá o que for que a última moda determinar, até pode ter efeitos visíveis bem significativos, mas o problema mesmo são os efeitos invisíveis, aqueles que só vão aparecer com o tempo. Mudanças drásticas na alimentação podem trazer consequências também drásticas, por isso quem quer emagrecer de verdade – e manter-se magra – deve fazer um programa alimentar com um nutricionista que, principalmente, vai propor uma mudança de hábitos alimentares.

 

Emagrecimento depende de vários fatores, não só da comida

 

A internet e a TV estão cheias de famosos ou ilustres desconhecidos que emagreceram em tempo recorde com alguma nova dieta ou medicamento, mas a verdade é que, em última análise, cada organismo responde de uma forma diferente ao regime. Vários fatores interferem no resultado: sexo, idade, atividade física, histórico de depressão. Por isso o médico qualificado vai se valer de diversos exames para determinar o melhor tipo de dieta, assim como de informações como história clínica, social e familiar, preferências ou aversões por determinados alimentos, além de intolerância alimentar e possíveis interações medicamentosas.

 

Nenhuma dieta ou medicamento é milagroso

Quem pretende emagrecer de verdade e ter efeito prolongado, deve estar consciente de que não se consegue isso da noite para o dia. De uma hora para a outra tudo o que se consegue é distúrbios alimentares, deficiências nutricionais causadas por dietas à base de carboidratos, de fibras ou de proteínas e líquidas; doenças graves que são facilitadas pelo colesterol alto ocasionado pelo excesso de proteínas e gorduras, e até o aumento da própria compulsão por comida causada pela redução da serotonina, substância que regula o apetite e a saciedade e que tende a cair com a redução drástica dos carboidratos, considerados como um dos maiores vilões para quem quer emagrecer, mas que fornecem energia para o organismo. Ou seja, os efeitos a princípio invisíveis, não compensam os efeitos visíveis de uma dieta sem acompanhamento médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).