11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

Diet e Light

Saiba qual o mais indicado para o seu tipo de dieta e descubra porque é tão importante ficar de olho no rótulo dos produtos.

Manter a forma não é assunto só do verão, quem gosta de ter o corpo no peso certo sabe que é preciso disciplina e força de vontade o ano inteiro. Mas quando chega a hora de fazer as compras muitas vezes a maior parte da “boa vontade” em comprar produtos mais leves ou sem açúcar sem esvai na confusão do que é Diet e o que é Light. A maioria das pessoas ainda acha que é tudo a mesma coisa e acaba fazendo uso indevido de um ou de outro. Menos mal quando a questão é apenas estética, mas quando a saúde está envolvida é preciso atenção nas diferenças entre os produtos. A melhor dica é ir ao mercado munido de tempo, não esquecer os óculos para perto e se preparar para ler os rótulos cuidadosamente, porque há mais diferenças do que você imagina.

Se você acha que os produtos Diet são os que não têm açúcar e os Light aqueles com menos gordura, portanto mais leves, você já tem uma boa ideia do que são, mas a coisa ainda é um pouco mais complicada. Na realidade pode-se chamar de Diet os alimentos que são especialmente destinados a dietas com restrição de nutrientes, normalmente aquelas nas quais não se deve fazer uso de proteína, sódio, carboidratos, gorduras etc. No entanto os Diets podem ser “sem açúcar” ou “sem adição de açúcar”, o que faz bastante diferença. No primeiro caso significa dizer que eles não têm qualquer tipo de açúcar, de qualquer natureza, mas no segundo caso, “sem adição de açúcar” significa que não foram utilizados açúcares no seu preparo (cristal, refinado, mascavo, glicose, mel etc). O produto final pode conter algum tipo de açúcar sim, proveniente de algum de seus ingredientes, como a frutose, por exemplo, que é o açúcar da fruta.

Nas bebidas diet, por outro lado, o teor de açúcar deve ser inferior a 0,5 g/ml, mas o percentual pode acabar sendo maior se houver a adição de suco de frutas. Nem sempre, também os Diet são menos calóricos que os convencionais, muito pelo contrário, podem ser até mais calóricos. Veja o caso do chocolate, por exemplo, que apesar de não ter açúcar é tão gorduroso e calórico quanto o convencional. Por isso, na maior parte das vezes o público “diet” não é o que quer emagrecer, mas pessoas que têm condições fisiológicas ou metabólicas específicas de restrição a determinadas substâncias, como ao sal (hipertensos) e ao açúcar (diabéticos) – ainda que possam ser consumidos por qualquer pessoa.

Já os produtos Light são os que têm o valor energético ou nutricional baixo ou reduzido, na proporção máxima de 40kcal/100ml para alimentos sólidos e 20kcal/100ml (ou 25% a menos) para bebidas em relação aos produtos similares convencionais. E olho no rótulo, porque essa comparação deve estar lá. Para quem quer perder peso eles são os ideais, mas para serem eficientes em dietas de emagrecimento é preciso que a redução do nutriente seja realmente significativa e o consumo seja moderado. Sim, porque se você exagerar no consumo do produto Light vai acabar consumindo a mesma quantidade de calorias do convencional, ou até mais. No caso do chocolate, por exemplo, o ideal é consultar a tabela nutricional que deve constar da embalagem para saber se a redução convém à dieta que está sendo feita. Então já sabe: óculos, paciência e esperteza para comprar o produto certo e conseguir o melhor efeito na sua dieta.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).