Veja como evitar estrias durante a gravidez

evitar estrias na gravidez

Junto com as emoções da gestação, chegam também as temidas estrias. Saiba como você pode prevenir esse problema

 

Você está grávida e uma de suas preocupações é ficar cheia de estrias na barriga e nos seios? Bom, não podemos mentir que isso não vai acontecer, pois esses sinais são bem comuns nas gestantes, infelizmente.

Porém, isso não quer dizer que você não possa tomar algumas medidas para evitar o surgimento das estrias, diminuindo muito a quantidade desses sinais. Vamos conversar sobre isso?

 

Da onde vêm as estrias

Nossa pele tem uma capacidade elástica que permite que ela se estique para acompanhar nosso crescimento natural e os ganhos de peso. Na gravidez, porém, essa distensão da pele é muito rápida, superando as propriedades de elasticidade. Assim, a pele não consegue acompanhar o crescimento do bebê e os quilos a mais.

Como resultado, as fibras elásticas acabam se rompendo (assim como um elástico que foi esticado demais). Na epiderme, que é a camada mais superficial da pele, esse rompimento se manifesta com o surgimento de linhas que se parecem com cicatrizes: no começo elas são vermelhas (quando respondem melhor aos tratamentos) e, com o passar do tempo, vão ficando mais esbranquiçadas.

Cuidados para evitar o surgimento de estriar durante a gravidez

Com a grande distensão que ocorre na pele durante a gestação, as chances do surgimento das estrias são muito significativas. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para evitar esse problema. Conheça as principais medidas:

 

Controlar o ganho de peso

Manter um controle sobre os quilos a mais que ganhamos na gestação é a principal medida para evitar o surgimento de estrias. Em média, recomenda-se que o ganho seja de no máximo entre 11 a 15 quilos, mas é claro que esse valor é diferente de mulher para mulher, só podendo ser estabelecido pelo seu obstetra.

O que acontece é que, quanto mais peso a gestante ganhar, mais sua pele vai acabar se esticando, quase sempre ultrapassando os limites da capacidade elástica da pele, e isso vai resultar no rompimento das fibras, que tem como consequência as estrias.

Assim, é necessário seguir uma dieta saudável que ofereça todos os nutrientes necessários ao bebê ao mesmo tempo em que não favorece o ganho de peso desnecessário. Ainda, é preciso manter uma rotina de exercícios físicos de acordo com as orientações do seu médico.

 

Faça boas escolhas alimentares

Além de manter uma dieta saudável para evitar o ganho excessivo de peso, a gestante também deve fazer boas escolhas de alimentos para ajudar a pele a se esticar sem causar o rompimento das fibras elásticas. Durante a gestação, é importante aumentar o consumo de alimentos ricos em vitaminas C e E, que trazem ajudam a combater o surgimento das estrias.

A vitamina C, que favorece a produção de colágeno, pode ser encontrada em frutas cítricas como laranja, limão e tangerina, no mamão-papaia, nas folhas verdes e na batata. A vitamina E, por sua vez, pode ser encontrada em gema de ovo, nozes, sementes, vegetais verdes, óleos vegetais e cereais integrais. Essa vitamina ajuda a proteger as membranas das células e tem efeito antioxidante.

É essencial também manter a hidratação do organismo, por isso é fundamental que a gestante beba no mínimo 2 litros de água por dia – novamente, vale sempre a recomendação do seu médico.

 

Use roupas íntimas apropriadas

O aumento do volume dos seios causa uma pressão sobre a pele, o que favorece o surgimento de estrias e flacidez. Por isso, é necessário utilizar sutiãs especiais para o período da gestação, que oferecem uma sustentação maior às mamas.

Da mesma forma, a calcinha deve oferecer uma sustentação adequada à barriga, mas nunca deve comprimir a região. Se forem muito justas, as roupas podem acabar prejudicando a circulação sanguínea, o que favorece o surgimento das estrias e pode ser perigoso para o bebê.

 

Utilize cremes e óleos hidratantes

Quanto mais hidratada a pele, mas resistente ela será ao estiramento causado pelo crescimento do bebê, preservando as fibras de elastina e de colágeno. Para isso, é necessário utilizar produtos apropriados para essa fase, como aqueles que contêm vitamina E, elastina, colágeno, lactato de amônia, ureia (até 3%) e óleos vegetais como o de amêndoas ou de semente de uva.

Recomenda-se utilizar os cremes e óleos religiosamente todos os dias, de manhã e à noite. A gestante pode aproveitar esse momento para fazer uma massagem suave na barriga e nas mamas, o que ajuda a ativar a circulação sanguínea e a oxigenar esses tecidos.

Lembre-se de não passar os cremes e óleos diretamente nos mamilos, pois esses produtos podem deixar a pele ainda mais fina e sensível, podendo causar fissuras durante a amamentação.

E, é claro, no período da gestação, é necessário consultar seu obstetra antes de usar qualquer produto, mesmo que você já tenha utilizado antes. Vale lembrar que cremes com ácido reitinoico não devem ser utilizados durante a gravidez e a amamentação.

 

Já tive o bebê e minha pele ficou toda cheia de estrias

Realmente, mesmo com todos os cuidados, é muito raro passar pela gestação sem que a pele fique com algumas estrias e manchas, pois elas são consequências naturais desse período. Porém, isso não significa que não exista tratamento.

Alguns procedimentos como os tratamentos com laser e luz pulsada, os peelings e alguns cremes específicos à base de ácidos são boas alternativas para suavizar esses sinais. Embora eles não sumam completamente, o resultado costuma ser bastante satisfatório.

Sempre consulte um cirurgião plástico de confiança e informe se você estiver amamentando para que ele possa indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).