11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Cirurgia plástica é realizada apenas por estética? Entenda esse universo e conheça mais aplicações

As motivações para realizar os procedimentos cirúrgicos podem ir muito além dos benefícios estéticos

Atualmente, com os avanços tecnológicos em praticamente todos os âmbitos, inclusive no da medicina, já é possível modificar ou reestruturar qualquer parte do corpo que desejarmos.

No Brasil, os números de cirurgias plásticas realizadas são exorbitantes, e não é atoa que o país está entre os líderes desse ranking no cenário mundial. Somente no ano de 2015, foram realizados 1,22 milhões de cirurgias.

Com a possibilidade de realizar modificações estéticas e reparar deformações congênitas ou adquiridas por doença ou acidente, muitas pessoas optam pelo procedimento para melhorar a aparência e o bem-estar.

Entretanto, os números apontam que o fator estético já não é quem domina o ranking. As cirurgias reparadoras são as mais procuradas pelos brasileiros.

Entre os procedimentos mais comuns, estão casos de reconstrução mamária, nos casos de câncer de mama, redução de estômago, e reconstrução de áreas afetadas por acidentes.

Cirurgia redutora bariátrica

Procedimento indicado para quem possui o IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 35 kg, a cirurgia bariátrica ou popularmente conhecida como redução de estômago, tem sido uma das mais procuradas por pacientes acima do peso.

Visando reduzir problemas de saúde como hipertensão arterial, diabetes, aumento de gordura no sangue e até mesmo problemas nas articulações, ela é indicada para quem não consegue perder peso por meios de tratamentos.

A perda de peso é ocasionada pela diminuição do tamanho do estômago, que consequentemente, reduz sua capacidade de ingestão de alimentos.

A decisão de realizar a cirurgia vai depender da avaliação médica, que é necessária antes de efetivar o procedimento. Além disso, também é importante realizar uma avaliação psicológica com os pacientes submetidos à operação.

Reconstrução mamária

Cirurgia com fim reparador, a reconstrução mamária é realizada em mulheres que foram submetidas à mastectomia – retirada da mama – em decorrência do tratamento contra o câncer.

Existem diferentes técnicas de reconstrução, que variam de acordo com a indicação médica. As mais comuns são: a prótese de silicone, o uso de expansores (prótese vazia) ou até mesmo a transferência de gordura do abdome para o local.

Sua função é de devolver a autoestima para as mulheres que sofreram com a doença e tiveram parte ou perda total dos seios.

Veja alguns exemplos de cirurgia plástica

Otoplastia

Apesar de ser considerada como cirurgia plástica estética, a otoplastia, procedimento que corrige a deformação nas orelhas, ela também pode ser considerada como uma operação reparadora.

Isso porque, mesmo não sendo algo que traz riscos a saúde, influencia diretamente na autoestima do paciente, e em alguns casos, pode gerar depressão ou até mesmo a auto-depreciação da imagem.

Ela pode ser indicada de acordo com o grau de incômodo do paciente ou em decorrência de lesões e traumas, causados por acidentes.

Rinoplastia

O mesmo vale para as cirurgias de correção ou reparação do nariz, que podem ser tanto estéticas, quanto reparadoras. 

Isso acontece, porque apesar de influenciar no formato natural do nariz, a prática também pode ser utilizada para corrigir problemas respiratórios, causados pelo desvio de septo ou da carne esponjosa.

O procedimento é indicado para pacientes acima dos 15 anos, que já possuem o desenvolvimento facial completo.

Correção de lesões e traumas

Um dos principais motivos para as pessoas recorrerem às cirurgias reparadoras são as deformações e lesões causadas por acidentes de trânsito ou acidentes domésticos.

A perda de tecido, gordura ou musculatura podem ser substituídas através de enxertos ou retalhos, realizados por meio de procedimentos cirúrgicos.

Queimaduras e cicatrizes também são facilmente reparadas através da cirurgia plástica, que cumprem a função de amenizar o aspecto da pele, devolvendo o movimento da área afetada e aumentando a autoestima do paciente.

Satisfação pessoal

Optar por um procedimento cirúrgico, seja por motivação estética ou reparadora requer uma análise realizada por um profissional especializado, que te auxilie a escolher a melhor opção para o seu caso.

Os benefícios encontrados na realização podem ir muito além das mudanças físicas obtidas pela cirurgia plástica, eles estão atrelados às mudanças psicológicas dos pacientes.

O aumento da autoestima, da autoconfiança e do bem estar são algumas das questões existenciais que também são beneficiadas neste processo.

Vale lembrar, que é importante tomar a decisão de fazer a cirurgia de forma consciente e responsável e que isso esteja sempre vinculado a melhorias na qualidade da sua saúde.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).