11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Cinta modeladora para pós-operatório

Dicas para usar cinta modeladora no pós-operatório

Uso da cinta modeladora durante o pós-operatório da cirurgia plástica influencia nos resultados estéticos e na saúde. Saiba como escolhê-la!

O pós-operatório da cirurgia plástica é essencial para bons resultados estéticos e também para manutenção da saúde da paciente, evitando complicações nesse período que deve ser de repouso e cuidados.

Uma parte fundamental da recuperação de algumas cirurgias plásticas, como lipoaspiração e lipoescultura, é o uso da cinta modeladora. Entenda mais a função desse item e como escolhê-lo corretamente.

Qual a função da cinta modeladora no pós-operatório?

Durante o pós-operatório de algumas cirurgias plásticas na região abdominal e busto, é fundamental usar o cinta modeladora para obter os resultados estéticos desejados. Sendo que alguns cirurgiões plásticos destacam que essa etapa do tratamento é como uma parte do procedimento.

A função da cinta modeladora no pós-operatório é exercer uma pressão sobre a área que foi operada para ajudar na fixação e aderência da pele no novo local, reduzindo as chances de deslocamento dos tecidos.

Por conta disso, o acessório beneficia a cicatrização da região e reduz as chances de complicações pós-operatórias, como rompimento dos pontos, inchaços e seromas.

A cinta modeladora também contribui na definição e estabilidade dos tecidos, sendo benéfica para amenizar a flacidez. Outra vantagem é que durante a recuperação o acessório aumenta a confiança da paciente que pode estar com receio de fazer alguns movimentos.

Como escolher a cinta modeladora?

Tipos de cinta modeladora para pós-operatório

 

Como visto, a cinta modeladora desempenha um papel central no pós-operatório de diversas cirurgias plásticas e deve ser vista pelas pacientes como um recurso indispensável à boa recuperação.

Dessa forma, é imprescindível que se invista em uma cinta modeladora de qualidade. Algumas recomendações incluem:

  • converse com o cirurgião plástico para definir o tamanho ideal da cinta pós-cirúrgica;
  • compre a cinta modeladora com antecedência, garantindo já tê-la em mãos no dia da cirurgia plástica;
  • dê preferência por fabricantes ou lojas nacionais, nas quais você tenha acesso ao serviço ao consumidor para trocas ou devoluções, se necessário;
  • escolha uma cinta modeladora que faça pressão, mas que não fique apertada demais, o que pode ser prejudicial;
  • a cinta será usada por longos períodos, portanto, escolha uma cinta modeladora confortável, com tecido elástico, antimicrobiano e que permita a transpiração.

Com esses elementos em mente, a escolha da cinta modeladora para o pós-operatório da cirurgia plástica será mais acertada, o que certamente terá influência na recuperação da paciente. 

Como deve ser o uso da cinta no pós-operatório? 

A qualidade da cinta modeladora é imprescindível uma vez que ela deve ser usada por, no mínimo, 30 dias após o procedimento estético.

Além disso, durante esse período a cinta só pode ser retirada para tomar banho, devendo ser usada continuamente durante o dia e a noite.

De acordo com a evolução da recuperação e avaliação do cirurgião plástico, ele dará recomendações específicas para o período subsequente, o que pode incluir estender o uso por mais tempo ou por alguns períodos do dia.

Verifica-se assim a importância da cinta modeladora no pós-operatório da cirurgia plástica e a necessidade de um produto de qualidade, preferencialmente recomendado pelo cirurgião plástico.

Uma cinta modeladora de qualidade garantirá um pós-cirúrgico mais satisfatório, menores chances de complicações de saúde, maior conforto à paciente e recuperação adequada.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).