Chá de erva doce: saiba quais são os benefícios trazidos por ele

Mulher segurando caneca de chá

Muito utilizada na culinária e na indústria cosmética, a erva doce consumida em forma de chá ajuda a melhorar a digestão, aliviar cólicas e combater o estresse.

O chá de erva doce tem cara de remédio da vovó, mas essa plantinha tão famosa realmente oferece algumas vantagens para o corpo e a mente. Originária da Ásia, ela se tornou bastante conhecida na Europa e hoje é utilizada também na indústria cosmética.

Além disso, a erva doce é um tempero aromático apreciado na culinária de diversos países. No Brasil, alguns de seus principais usos na cozinha consistem em dar um sabor especial a broas, pães e bolos (especialmente o de fubá) e para temperar carnes, feijão-branco e saladas.

Conhecida também como funcho ou anis, essa planta oferece nutrientes como vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C, ferro, cálcio e zinco. Confira os benefícios que o chá de erva doce pode trazer para a sua saúde:

1. Contribui para o bom funcionamento do estômago

Sem dúvida, este é um dos benefícios mais conhecidos do chá de erva doce e também um dos mais antigos: há indícios de que os antigos povos egípcio e romano já utilizavam essa bebida para auxiliar a digestão.

Inclusive, alguns estudos científicos demonstraram que a erva doce estimula a secreção de ácido gástrico devido ao seu conteúdo de ácido málico, melhorando assim a capacidade digestiva.

2. O chá de erva doce estimula o intestino e combate os gases

Além de melhorar o funcionamento do estômago, o chá de erva doce estimula os movimentos peristálticos, ou seja, os movimentos que o intestino realiza para poder conduzir o bolo fecal até sua eliminação.

Em função dessas propriedades benéficas ao sistema digestivo, o organismo encontra mais facilidade para realizar esse processo, o que contribui para o alívio da indigestão e da flatulência – um efeito potencializado pela presença de uma substância chamada anetol.

3. Proporciona alívio às cólicas menstruais

Outra propriedade muito famosa do chá de erva doce é sua ação antiespasmódica, ou seja, sua capacidade de promover o alívio das cólicas. Por isso, vale a pena preparar uma xícara quando os sintomas da TPM começam a dar as caras.

Além disso, seu efeito sobre as cólicas dos bebês já foi demonstrado por alguns cientistas, mas vale o alerta: a OMS e diversos especialistas recomendam a amamentação exclusiva aos bebês menores de seis meses, sem a oferta de chás e outros líquidos ou sólidos.

Portanto, antes de oferecer esse e outros chás a uma criança pequena, sempre busque a orientação do pediatra, combinado?

4. Ele ajuda a aliviar os sintomas da menopausa

Além de atenuar as cólicas menstruais, o chá de erva doce é um bom aliado para as mulheres que estão se aproximando da menopausa.

Isso acontece porque essa planta auxilia a regulação dos níveis de estrogênio, o hormônio que está em queda durante essa fase, contribuindo para aliviar desconfortos como as famosas ondas de calor.

5. Tem propriedades diuréticas e reduz o inchaço

O consumo de líquidos em geral contribui para o bom funcionamento dos rins, estimulando o trato urinário e facilitando a eliminação da urina e das toxinas, e esse efeito também é verdadeiro para o consumo desse chá.

Contudo, o chá de erva doce ainda se destaca quando o assunto é combate à retenção de líquidos porque essa planta tem propriedades diuréticas, favorecendo ainda mais a eliminação dos líquidos em excesso e a redução do inchaço.

6. O chá de erva doce ajuda a combater os radicais livres

Como essa plantinha tem substâncias com poder antioxidante, ela ajuda a combater os efeitos prejudiciais dos radicais livres sobre o nosso material genético. Dessa forma, ela contribui para a manutenção da saúde e da beleza da pele ao evitar o envelhecimento precoce.

Além disso, os antioxidantes estão relacionados à proteção dos vasos sanguíneos e do coração, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares, e também apresentam efeitos benéficos na prevenção de doenças degenerativas (como o Alzheimer) e o câncer.

7. Ele auxilia o tratamento das olheiras

Se você não dormiu bem à noite e acordou com os olhos inchados e irritados, o chá de erva doce pode ajudar você a dar um up no seu visual. Por ter ação calmante, você pode usar esse chá para fazer uma compressa e reduzir o inchaço nas pálpebras.

Para isso, prepare uma infusão com duas colheres de sopa de sementes de erva doce e 250 ml de água, ferva por 3 minutos, espere ficar morno e aplique sobre os olhos com auxílio de gazes ou chumações de algodão.

Contudo, se esse é um problema constante em sua vida, a dica é recorrer a um tratamento estético para olheiras, que são mais poderosos e duradouros que as compressas.

8. É uma boa forma de relaxar e combater o estresse

Outro benefício do chá de erva doce é a promoção do relaxamento e o alívio do estresse, ajudando você a se livrar das tensões do dia a dia e se preparar para ter uma boa noite de sono.

Para potencializar o efeito tranquilizador, o que inclui o alívio da ansiedade e dos sintomas gástricos (pois ele também sofre com nossas preocupações), a dica é combinar a erva doce com melissa (erva-cidreira), castanhas-do-pará e mel.

O preparo do chá consiste em aquecer 250 ml de água e despejar sobre 1 colher de chá de folhas desidratadas de melissa e sementes de erva doce. Espere apurar, adicione 2 castanhas-do-pará trituradas e 1 colher de chá de mel. Beba em seguida.

Quando procurar orientação médica

O chá de erva doce pode oferecer alívio a diversas condições e sintomas. Porém, se você não melhorar em poucos dias, é essencial procurar seu médico de confiança para investigar as causas do problema.

Pacientes com úlcera, refluxo, diverticulite e outras doenças do sistema gastrointestinal devem evitar fazer uso do chá sem orientação médica, assim como gestantes e lactantes, combinado? Aproveite os benefícios com responsabilidade!


Agende agora a sua consulta!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).