Carboxiterapia é alternativa para eliminar estrias

Descubra como a carboxiterapia pode ajudar você a conquistar uma pele mais lisinha e livre das estrias

 

Uma das maiores queixas das mulheres (e de alguns homens também) em relação à pele é a existência das estrias. Essas marcas, que se assemelham a cicatrizes, possuem coloração e textura diferentes da pele normal, causando insatisfação.

Embora as estrias em geral não representem um problema de saúde, muitas pessoas se sentem desconfortáveis com elas. Se esse é o seu caso, saiba que existem tratamentos para suavizar essas marcas. Hoje, vamos falar especialmente sobre a carboxiterapia.

 

Da onde vêm as estrias

Nossa pele tem uma capacidade elástica, por isso ela é capaz de acompanhar um aumento ou uma diminuição no volume corporal. Porém, quando esse aumento é muito rápido ou muito significativo, a elasticidade da pele não é suficiente.

Quando esse limite é ultrapassado, ocorre o rompimento das fibras elásticas, responsáveis por sustentar a camada intermediária da pele. Esse rompimento dá origem a lesões que se assemelham a cicatrizes alongadas, que são as famosas estrias.

 

Algumas situações comuns para o surgimento das estrias são o estirão da adolescência, ganho de peso muito rápido, efeito sanfona, excesso de exercício, colocação de prótese de silicone, gestação e uso prolongado de corticoides e alguns hormônios.

As mulheres são mais propensas a apresentarem estrias do que os homens. Nelas, essas marcas são mais comuns nas coxas, glúteos, flancos, mamas e abdômen. Nos homens, as estrias aparecem mais nos ombros, braços e costas.

No começo, essas cicatrizes são avermelhadas e podem apresentar certo prurido e irritação no local. Com o tempo, ocorre uma atrofia das fibras de colágeno e elastina, e as estrias ficam esbranquiçadas.

 

Conhecendo a carboxiterapia

Uma das opções de tratamento disponíveis para suavizar as estrias é a carboxiterapia. Esse procedimento pode ser realizado em clínicas e consiste na injeção de gás carbônico nas marcas.

O tratamento das estrias com essa técnica acontece em sessões que variam conforme a quantidade e o tamanho das marcas. Em média, são necessárias pelo menos dez sessões para obter o efeito desejado.

Na sessão, será inserida uma agulha fina na pele do paciente de forma a atingir diretamente a estria. Essa agulha está conectada a um cilindro com gás carbônico medicinal, que será aplicado dentro da cicatriz.

 

As perfurações nas paredes das estrias e o leve descolamento da pele gerado pelo gás carbônico causam uma inflamação no local da aplicação. Esse, porém, é um efeito positivo.

Isso porque a inflamação induz a um processo de reparo dos tecidos, permitindo que haja um aumento na produção das fibras de elastina e colágeno. Assim, ocorre um espessamento da derme e a melhora na aparência das estrias.

Além disso, o gás carbônico estimula a formação de novos vasos sanguíneos e promove uma dilatação daqueles já existentes. Dessa forma, ocorre uma melhora na circulação e na oxigenação local.

 

Segurança do tratamento com carboxiterapia

A carboxiterapia é um procedimento muito seguro quando realizado em clínicas médicas sérias e por profissionais habilitados. Essa técnica é utilizada desde 1922, portanto já é bastante conhecida. O gás carbônico não oferece toxicidade para o organismo.

Por envolver a perfuração da pele, recomenda-se que o procedimento seja feito por médicos especializados na área da estética, como os dermatologistas e os cirurgiões plásticos.

 

A carboxiterapia é dolorida?

Apesar de ser seguro, procedimento pode oferecer certo desconforto e algum nível de dor para o paciente. Por isso, é importante que o médico e o paciente avaliem a tolerância a esses incômodos antes de realizar as sessões.

A vantagem é que esse desconforto desaparece assim que se interrompe a aplicação do gás carbônico, não causando maiores problemas posteriormente.

Como não é utilizado nenhum sedativo nem anestesia para a realização do procedimento, o paciente é liberado assim que a sessão é finalizada. É possível retornar à rotina normal imediatamente.

 

Qual é o resultado esperado da carboxiterapia para tratar as estrias?

Os resultados da carboxiterapia podem ser observados logo nas primeiras semanas de tratamento, a partir da quarta sessão. As estrias passam a ser muito mais discretas e finas, deixando a pele mais lisinha e uniforme.

Embora o procedimento atue em todos os tipos de estrias, os resultados são bem mais visíveis nas estrias mais jovens, de coloração avermelhada. Isso acontece porque as estrias antigas, que são brancas, já têm suas fibras elásticas totalmente rompidas.

A duração dos resultados depende do estilo de vida e das características individuais de cada paciente. Uma pessoa que apresente efeito sanfona, por exemplo, pode acabar desenvolvendo novas estrias em virtude do estiramento da pele.

 

A carboxiterapia tem alguma contraindicação?

Mesmo segundo muito segura, a carboxiterapia não é indicada para pacientes com problemas imunológicos, insuficiência cardíaca e asma brônquica.

Além disso, o procedimento não deve ser realizado em pacientes gestantes ou lactantes, principalmente na região dos seios. O motivo para isso é que, durante essas fases da vida, ocorre um aumento da sensibilidade nas mamas, causando muito desconforto para a paciente.

Para garantir a sua segurança, recomendamos sempre que você faça uma avaliação presencial com um médico especialista e que o tratamento seja realizado em locais adequados, como clínicas de cirurgias plásticas.

Somente durante a consulta com um dermatologista ou cirurgião plástico será possível avaliar o seu caso detalhadamente para que o médico possa indicar as melhores opções de tratamento para você.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).