11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Brasil lidera o ranking de cirurgias plásticas no mundo

Com 13% de todas as cirurgias plásticas feitas no mundo, o Brasil passa a frente dos EUA pela primeira vez

Agora é oficial: ninguém faz mais cirurgias plásticas do mundo do que os brasileiros. Só no ano passado, 2013, foram mais de 1,49 milhão, número que garantiu que o Brasil passasse à frente os EUA (com 1,45 milhão) pela primeira vez. O México ficou em terceiro lugar, com 486 mil, mas, ao todo, foram 23 milhões de intervenções em todo o mundo. Os dados, recém divulgados pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, mostram ainda que a cirurgia de aumento de mamas é a mais popular do planeta, com 1,7 milhão de procedimentos realizados em 2013, respondendo por 15% de todas as cirurgias plásticas com fins estéticos, e aí os EUA passam os Brasil, com 313 mil procedimentos do tipo, contra 226 por aqui. Já com as cirurgias de nariz (77,2 mil) e abdome (129 mil) os lugares voltam a se inverter, com o Brasil voltando ao topo do ranking.

Mulheres lideram os números de cirurgias estéticasOs números, divulgados no dia 29 de julho, abrangem também tratamentos menos invasivos, como o botox, e mostram ainda que, como já se esperava, são as mulheres as que mais procuram as cirurgias plásticas, respondendo por 85% – ou 9,9 milhões – dos casos mundiais. Depois do aumento dos seios, o que o público feminino mais procura é a lipoaspiração ou lipossucção (com 227 mil) seguida pela cirurgia de mama e lifting de mama. Os homens foram os responsáveis por 1,6 milhões de cirurgias plásticas em 2013 no país. As estatísticas da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, que reúne 2,7 mil membros de 95 países, mostram ainda que a aplicação de Botox no Brasil chegou à marca dos 308 mil procedimentos, além de 61 mil tratamentos de rejuvenescimento da face.Para a SBCP, resultado já era esperado

Para a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), no entanto, os números crescentes são um reflexo da combinação do aumento do poder aquisitivo do brasileiro de uma forma geral, com a popularização de técnicas e o alto gabarito dos cirurgiões plásticos brasileiros, gerando resultados já esperados. De acordo com a SBCP, hoje o número de cirurgiões plásticos habilitados chega a 4,8 mil, número só superado pelos próprios EUA, e concentrados, principalmente, no eixo Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, onde várias vantagens são oferecidas, como promoções e financiamentos sem juros.

Popularização tem seus prós e contras

A mesma popularização da cirurgia plástica que coloca o Brasil no topo do ranking também gera preocupação, uma vez que o crescente número de profissionais não qualificados, mas que encantam clientes com preços acessíveis, pode gerar prejuízos à saúde muitas vezes irreversíveis. A escolha do cirurgião plástico deve ser feita baseada em critérios de competência, experiência, qualificação, em lugares com condições de higiene adequadas. Procedimentos errados podem gerar prejuízos muitas vezes irreparáveis à saúde dos pacientes, por isso mais do que o preço e da busca por uma clínica de cirurgia plástica especializada procure sempre ver o histórico do profissional, checar suas credenciais e buscar referências. Estes são passos básicos para fazer parte de estatísticas de sucesso e conseguir sempre o melhor resultado possível.

 

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).