11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Como cuidar das suas bijuterias

As bijuterias surgiram por volta de 1930 e foram gradualmente ganhando fama mundial, estando hoje entre os acessórios mais usados entre as mulheres. O grande barato da bijuteria é que ela não faz nenhuma distinção social ou econômica e pode ser confeccionada com uma grande variedade de materiais. Além disso, as bijuterias são na grande maioria das vezes muito acessíveis e ao mesmo tempo conseguem complementar as outras peças dando um toque todo especial na combinação do look da mulher.

Quem gosta de recorrer aos acessórios para realçar o estilo de suas combinações conhece bem a versatilidade que as bijuterias proporcionam. A variedade dos materiais que são trabalhados na confecção de uma bijuteria é imensa e, por conta dessa flexibilidade, elas andam sempre de mãos dadas com a moda e nunca ficam ultrapassadas. Elas podem ser confeccionadas com metais semelhantes ao ouro, prata ou bronze, cristais, plásticos, pedras, entre muitos outros materiais. Atualmente, além de utilizá-las, muitas pessoas já adotaram a confecção das bijuterias como fonte de remuneração. No entanto, um dos problemas frequentes das bijuterias é o fato de que, se não cuidadas, elas acabam perdendo sua qualidade e duram muito menos do que o esperado. Para que isso não venha a acontecer, o recomendável é adotar alguns hábitos a fim de preservar sua qualidade e evitar que elas escureçam, arranhem ou percam textura, brilho e cor.

1 – Evite o escurecimento da bijuteria

O escurecimento ou descoloração da bijuteria pode estar ligado à acidez da pele da usuária e isso pode ser evitado aplicando nela uma fina camada de base ou extra-brilho. A camada de esmalte criará uma camada protetora entre a peça e a pele e pode até neutralizar aqueles casos desagradáveis de alergia à metais, sem tirar o brilho natural da peça. Substâncias fortes como cremes, borrifadas de perfume ou simplesmente o ato de deixá-las em um local molhado ou que tenha um nível elevado de umidade, incluindo o vapor do chuveiro, também são fatores que ajudam a estragar a peça. O ideal é deixá-las em um local seco e arejado, longe de qualquer tipo de umidade ou substâncias fortes, além de deixar um pedacinho de sílica gel ou giz branco dentro de seu compartimento para ajudar na absorção da umidade do local.

2 – Evite riscos e arranhões

Para evitar o aparecimento de possíveis arranhões, o aconselhável é guardá-las em compartimentos separados ao invés de colocá-las juntas e emboladas em um só local. Isto evita o atrito entre elas e estende sua durabilidade. Caixas forradas com tecidos de algodão ou veludo e, de preferência, com separações e compartimentos vão não apenas evitar o aparecimento de arranhões e abrigar suas bijuterias com segurança, mas vão acrescentar às bijuterias um ar de maior sofisticação, organização, elegância e cuidado.

3 – Limpe suas bijuterias

Desenvolva o hábito de sempre limpar suas bijuterias. Isso não faz bem só para a aparência dela, mas retira suas impurezas e, com isso, previne ao mesmo tempo o aparecimento de fungos. Para limpar suas bijuterias, uma ótima pedida é usar água gaseificada, deixando-a de molho dentro da água por uma noite. Outra forma de se limpar as bijus, é misturar um quarto de xícara de café de bicarbonato de sódio com uma colher de sopa de água e passar a massa com o auxílio de um tecido esfregando a bijuteria de maneira suave.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).