11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Artes Marciais: Luta Livre

luta livre

A modalidade beneficia vários grupos musculares, traz resistência corporal e torna o aluno disciplinado

A luta livre é a arte marcial mais antiga que existe. Para se ter uma ideia, ela era retratada como uma luta de sobrevivência e terminou como uma categoria esportiva ao entrar nas Olímpiadas de 704 a.C, na Grécia. Ela pode não ter tanto buzz no Brasil, onde outras modalidades como o jiu-jitsu e o MMA se destacam, mas esse esporte desempenha um papel muito importante na boa forma física. Para quem busca uma prática amadora, só para ter uma atividade na rotina, saiba que os benefícios são tanto físicos quanto mentais.

Dentre eles estão a velocidade e a rapidez que contribuem para a agilidade do praticante. Isso quer dizer que os reflexos melhoram, pois eles são imprescindíveis para atacar e se proteger do oponente. De uma maneira geral, a luta livre exige foco e equilíbrio que se refletem na resistência corporal para enfrentar o árduo treino. A tenacidade entra em cena como outro elemento importante dessa arte marcial, pois ela influencia no foco, o que dá ao aluno mais noção do corpo, de maneira que ele não ultrapasse limites e sofra lesões.

Assim como outras lutas, a luta livre melhora a saúde mental e torna o aluno disciplinado. Inclusive, exige-se um comprometimento do praticante que, ao longo do treino, pode mudar de modalidade de artes marciais, pois os golpes aprendidos costumam ser usados em outras práticas de luta. No sentido físico, esse esporte beneficia todos os grupos musculares, tais como pernas, torso e até mesmo o pescoço. Inclui-se no pacote também a coordenação motora, a velocidade, a agilidade e a intensidade para executar os golpes.

A luta livre é uma atividade que atrai até mesmo crianças e adolescentes, justamente por questões de disciplina. Muitas pessoas encontram facilidade e determinação para lidarem com a rotina quando se dedicam a uma arte marcial, pois o ganho de experiência torna o praticante mais atento para contornar desafios. Ela também influencia no caráter, pois a primeira coisa que o treinador informará aos alunos é que se trata de uma luta que não preza a violência.

A função do treinador é respeitar o ritmo do aluno, um detalhe que não precisa gerar preocupações. O praticante será instruído conforme sua experiência e ele não será jogado no tatame se não se sentir pronto para isso.

Dentre tantos benefícios, a luta livre faz com que o estresse seja jogado de lado e traz melhoras no sono. Claro que toda prática esportiva exige atenção do praticante em outras áreas, como na alimentação. De nada adianta praticá-la e não colocar legumes e verduras no prato, certo? Por isso, cuide da dieta, beba muita água e não boicote os treinos.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).