Mitos e Verdades sobre Chocolate

Considerado “dos deuses”, o chocolate é praticamente uma unanimidade mundial. Se você faz parte do imenso grupo de pessoas que não vive sem ele, conheça aqui o que é mito ou verdade sobre o chocolate.

Ele é tão gostoso que já inventaram até um termo para quem não consegue viver sem ele: chocólatra. O cacau é um velho conhecido da Humanidade. Na era moderna os primeiros registros de que se tem notícias da fruta é de 1502, quando o conquistador Cristóvão Colombo aportou na Ilha de Guanaja, no México e, sendo recebido como um deus pelos astecas, recebeu o “tchocolalt” de presente, bebida feita à base das sementes de cacau e mel e que era considerada afrodisíaca e sagrada. Levada para a Europa, à então bebida quente e amarga começaram a ser acrescentados ingredientes até que se formou o chocolate como é conhecido hoje. No século XVIII o botânico Carlos Linnaeus o batizou de “Theobroma“, que em grego significa “alimento dos deuses”. Como meros mortais, nós, brasileiros somos o quarto maior consumidor de chocolate do mundo, com mais de 340 mil toneladas por ano. E não é que ele gera polêmica, com uma série de mitos em torno de suas propriedades e sua influência no nosso organismo. Veja o que é verdade e o que é mito.

Uma das últimas notícias é que o chocolate do mundo vai acabar por causa do consumo exagerado. Verdade. Os dois maiores fabricantes do mundo já avisaram que o plantio de cacau não está dando conta da produção, só em 2014 foram 70 mil toneladas métricas de cacau além do volume produzido e a estimativa é que esse volume chegue a 2 milhões até 2020 – o que já fez o preço do chocolate subir cerca de 60%. Estão sendo feitas pesquisas para aumentar a produtividade das árvores, mas os cientistas alertam que isso poderá afetar o sabor. Quanto mais cacau, mais saudável o chocolate. Verdade. É o que acontece com o chocolate amargo, cada vez mais popular, que tem 70% de cacau enquanto os demais têm em média apenas 10%. O restante da composição é basicamente açúcar e gordura.

Chocolate causa acne e espinhas. Mito. A gordura é um fator agravante para o entupimento dos poros, mas até hoje nenhum estudo científico conseguiu comprovar que o cacau em si cause esses males. O consumo em excesso pode aumentar a oleosidade da pele por causa das gorduras presentes na mistura da mesma forma que em qualquer outro alimento. Chocolate ajuda a diminuir o estresse e ansiedade. Verdade. Ele é rico em um aminoácido chamado triptofano precursor de importantes neurotransmissores responsáveis pelo bem estar, relaxamento e estado de alegria, agindo nos centros de satisfação do cérebro Chocolate diet não engorda. Mito. Ele foi desenvolvido para pessoas que têm restrição ao açúcar, como os diabéticos, mas para manter o sabor ele tem mais gordura, podendo conter ainda mais calorias do que o original.

Chocolate ao leite é mais saudável porque tem mais cálcio. Mito. O chocolate ao leite tradicional é composto por apenas 25% de cacau, os outros 75% são gordura, açúcar e leite. Além de a quantidade de cálcio não ser significativa, os grandes benefícios do chocolate estão no cacau, o que não vale a troca. Chocolate é estimulante. Verdade. Ele tem cafeína, da mesma forma que o café, o chá preto e refrigerantes à base de cola. Chocolate melhora o humor. Verdade. Ele aumenta a produção de serotonina, que ajuda na sensação de bem-estar e felicidade. É por isso que ele pode causar a sensação de vício, porque as pessoas gostam de se sentir bem, mas não há qualquer elemento cause uma dependência química no organismo. Chocolate pode ser comido diariamente. Verdade. Desde que seja de boa qualidade, com alto teor de cacau e portanto poucas gorduras e açúcar. No entanto deve ser observada uma quantidade diária máxima a ser ingerida, cerca de 20g ou dois quadradinhos. Mas quem tem problemas com colesterol LDL alto e restrição ao consumo de cafeína não deve comer chocolate todos os dias, ainda que dentro da quantidade máxima.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).