Como cuidar de estrias e dar um UP na sua autoconfiança

A imagem mostra uma mulher de biquíni, na beira da piscina. Ela está utilizando um chapéu e está de costas para a foto

As estrias não são um problema de saúde, mas elas representam uma grande fonte de insatisfação com a própria aparência. Conheça os principais tratamentos para essas marcas!

Embora não seja uma exclusividade das mulheres, elas são o maior alvo das estrias, as incômodas marcas semelhantes a cicatrizes que surgem em regiões como nádegas, mamas, abdômen, coxas etc. Felizmente, existem tratamento para estrias que podem nos ajudar.

Independentemente da região em que as estrias se formam, seu surgimento está relacionamento ao estiramento da pele acima do limite da sua capacidade elástica, levando ao rompimento das fibras de colágeno e elastina.

Esse é um processo bastante comum no estirão da adolescência, na gestação, em pacientes que fizeram tratamento prolongado com corticoides e em pessoas que passaram pelo efeito sanfona.

Tratamento para estrias

A imagem mostra uma barriga feminina, com marcas de estrias

 

Precisamos ser sinceras: nenhum tratamento para estrias vai fazer com que elas sumam 100%. Porém, eles trazem resultados muito satisfatórios e são capazes de melhorar significativamente o aspecto da pele.

Vale lembrar que esses tratamentos oferecem um efeito melhor nas estrias vermelhas e roxas, que são recentes. No caso das estrias esbranquiçadas ou antigas, o grau de melhora será mais limitado, mas ainda assim eles podem ajudar você a recuperar sua autoconfiança.

Conheça os principais métodos para tratar as estrias:

  1. Produtos tópicos

O uso de cremes prescritos pelo médico para o uso em casa pode ajudar principalmente nos casos mais leves. Para isso, são indicados produtos tópicos contendo ácidos, como o ácido retinoico, um derivado da vitamina A.

Esses cremes causam uma leve irritação na pele, levando à descamação e à regeneração do tecido. Além disso, eles contêm ativos hidratantes para manter a qualidade do tecido e impedir a formação de novas estrias.

  1. Peeling superficial

O mecanismo de ação do peeling superficial é o mesmo daquele dos produtos tópicos, mas este tratamento para estrias é realizado em consultório, o que permite a utilização de substâncias como ácido retinoico e ácido glicólico em concentrações mais elevadas.

Por se tratar de um procedimento que atua apenas na camada mais externa da pele, sua ação está limitada às estrias mais recentes. A vantagem é que a descamação provocada pelo peeling superficial é bem leve, sem causar a formação de crostas escuras.

  1. Peeling de cristal

Outro procedimento que provoca a descamação e estimula a regeneração dos tecidos é o peeling de cristal, que promove seus efeitos por meio de uma esfoliação. Para isso, esse tratamento utiliza um aparelho que lança jatos de microcristais sobre a pele.

Também conhecido como microdermoabrasão, esse procedimento estético é feito em sessões de cerca de 15 minutos e costuma ser empregado em associação com outros tratamentos, como o uso de produtos tópicos.

  1. Carboxiterapia

A carboxiterapia consiste em injetar gás carbônico de grau medicinal diretamente na estria, causando uma leve inflamação local. Com isso, dá-se início ao processo de cicatrização, que é acompanhado pelo estímulo da produção de colágeno e a regeneração da pele.

Além disso, esse tratamento para estria estimula o fluxo sanguíneo para a região, aumentando o aporte de oxigênio e nutrientes que são levados até ela. Assim, a pele ganha mais qualidade e ganha um aspecto mais uniforme, ajudando a suavizar as marcas.

  1. Intradermoterapia

Também conhecido como mesoterapia, esse tratamento consiste na aplicação de uma combinação de ativos medicamentosos na pele com diversas finalidades. No caso das estrias, utilizam-se substâncias como ácido hialurônico, buflomedil e asiaticosídeo.

Um destaque desse tratamento é que ele é capaz de suavizar também as estrias brancas e antigas, que são mais difíceis de tratar do que as avermelhadas e arroxeadas. Em média, são necessárias de 8 a 12 sessões quinzenais para obter os resultados esperados.

  1. Microagulhamento

O microagulhamento consiste em fazer milhares de microperfurações na pele com o uso de um rolo com cerca de 200 agulhas bastante finas. Essas minúsculas lesões ativam o processo de cicatrização, estimulando a produção de colágeno, elastina e fatores de crescimento.

Outro efeito desse procedimento é a formação de novos vasos sanguíneos, aumentando o fluxo para a região tratada. Em consequência, a pele recebe mais oxigênio e nutrientes, ganhando mais qualidade e ficando mais firme e uniforme.

Além disso, o microagulhamento pode ser combinado com a aplicação de medicamentos, conhecido como microagulhamento com drug delivery. Essa técnica aproveita os canais abertos na pele para que os ativos penetrem até camadas mais profundas.

  1. Radiofrequência

A radiofrequência utiliza as ondas eletromagnéticas que se transformam em calor ao atingir a superfície da pele. Essa energia térmica é conduzida até a camada intermediária do tecido cutâneo (derme), onde ativa a produção de colágeno pelos fibroblastos.

Dessa forma, esse tratamento para estrias deixa a pele mais tonificada, além de proporcionar benefícios como o aumento da circulação sanguínea local, com maior aporte de oxigênio e nutrientes, e estimulação da atividade metabólica e enzimática da região.

  1. Subincisão

A subincisão ou subcisão é um procedimento que utiliza técnicas cirúrgicas, por isso ela é mais invasiva que os outros métodos apresentados aqui. Dessa forma, ela é indicada para o tratamento de casos mais avançados, com estrias antigas e profundas.

Essa técnica consiste na inserção de uma agulha bisturizada para romper os septos fibrosos da camada subcutânea, os quais são responsáveis pelos desnivelamentos que fazem com que as estrias sejam mais “afundadas” que a pele ao seu redor.

Além disso, a movimentação dessa agulha provoca o rompimento de alguns vasinhos, estimulando a formação de um novo tecido conjuntivo que vai preencher essa região. Dessa forma, a estria vai ficar nivelada com o restante da pele.

Quer descobrir quais desses tratamentos podem oferecem os melhores resultados para você? Então entre em contato para agendar sua avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino e conheça tudo o que a clínica oferece para você se sentir ainda mais linda e confiante!

Agende agora a sua consulta!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).