11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Tipos de Cicatrizes que podem ser corrigidas com Cirurgia Plástica

Conheça um pouco do processo de reparo de cicatrizes e saiba se a sua cicatriz pode receber esse tipo de procedimento.

O que é cicatriz?

É bastante comum, encontrarmos pessoas que se incomodam com suas cicatrizes, mas nem sempre, entendem os motivos de existirem essas marcas. Cicatriz é o processo natural de reparo da pele após uma lesão – seja um corte, um incisão cirúrgica, uma queimadura, uma escoriação, etc). Nesse processo, existe a formação de colágeno e o resultado depende de inúmeros fatores como etnia, sexo, idade, local do corpo, aparecimento de infecções e tensão da pele.

No entanto, precisamos avaliar algumas características do visual e também do histórico da cicatriz, para definirmos qual é a melhor solução para o caso.

As queloides, por exemplo, são cicatrizes que possuem crescimento constante com a produção exagerada de colágeno. Por isso ficam endurecidas e apresentam crescimento progressivo. Costumam ser firmes e avermelhadas, acompanhadas ou não de coceira.

Já as cicatrizes hipertróficas, apesar de também serem espessas, não costumam ultrapassar a margem da lesão. Sua aparência costuma melhorar após as fibras de colágenos se ordenarem, mas não diminuem a largura da marca.

Existem também as cicatrizes alargadas, que são semelhantes a estrias, possuem a pele fina e frouxa, podem estar abaixo no nível normal da pele e costumam ocorrer em áreas de maior tensão da pele. E as cicatrizes discrômicas, que possuem cor diferente da tonalidade da pele e não devem ser confundidas com as fases precoces da cicatrização, pois até um ano e meio, elas se apresentam mais escuras que a pele.

As possibilidades de tratamento são diversas: curativos compressivos, placas de silicone, produtos tópicos, massagens, cirurgias de reparo, injeções de corticoides, crio cirurgia e radioterapia usados individualmente ou associados, o melhor tratamento para cada caso é sempre avaliado junto ao cirurgião plástico, para que os resultados sejam efetivos e sem riscos de uma nova cicatriz inestética.

Cicatrização que tiveram alguma característica fora do padrão, como uma infecção, por exemplo, são as mais propensas a melhores resultados, pois no novo processo, será oferecida a oportunidade de um novo e melhor fechamento dessa lesão.

Independente do método escolhido pelo seu médico, é muito importante que o paciente tenha consciência das possibilidades de resultado da cirurgia plástica e tenha sua expectativa dentro do que é possível realizar na medicina atual. Sendo assim, uma avaliação, não considera apenas o procedimento em si, mas o paciente como um todo, incluindo o alinhamento dessas expectativas.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).