Autocuidado pode evitar a Síndrome de Burnout

Mulher realizando exercício de autocuidado

Técnicas de autocuidado ajudam na prevenção e tratamento do esgotamento profissional

A Síndrome de Burnout tornou-se uma preocupação global ainda na década de 1990 quando foi incluída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na lista de referência de doenças da instituição. A adoção de técnicas de autocuidado e autoconhecimento podem ajudar na prevenção e tratamento.

De acordo com a Associação Internacional de Gestão de Estresse estima-se que 32% dos profissionais no Brasil sofram com a Síndrome de Burnout. Em 2016, a doença foi responsável por 75,3 mil afastamentos na Previdência Social.

A seguir saiba mais o que é a Síndrome de Burnout e a importância de adotar o autocuidado para preveni-la!

O que é e quais os sintomas da Síndrome de Burnout?

A OMS define a Síndrome de Burnout como um estado de exaustão vital. A doença, que também é chamada de Síndrome do Esgotamento Profissional, é um distúrbio emocional que apresenta sintomas como a exaustão extrema, estresse e esgotamento físico.

A ocorrência da Síndrome está relacionada com ambientes de trabalho desgastantes, que envolvem muita competitividade ou responsabilidade. Entre os profissionais que mais apresentam a condição estão médicos, enfermeiros, professores e policiais.

Assim, a doença ocorre normalmente em pessoas que têm uma rotina profissional com muita pressão ou excesso de trabalho.

A sensação de exaustão completa relacionada ao trabalho pode gerar outros sentimentos como inferioridade em relação aos colegas, isolamento, ansiedade, angústia e insatisfação pessoal.

Essas ocorrências podem levar a um pedido de demissão ou mesmo perda do emprego.

Devido esses fatores, a Síndrome de Burnout também apresenta um risco elevado de causar uma depressão profunda na paciente.

A Síndrome de Burnout pode se manifestar a partir do estresse crônico, desenvolvendo-se de forma silenciosa e gradativa. Assim, o diagnóstico é fundamental para iniciar o tratamento. Esse esgotamento pode ser classificado em três níveis:

  • exaustão emocional: resulta na incapacidade do profissional de dedicar-se mais ao trabalho e causa falta de motivação e baixa autoestima;
  • despersonalização: o profissional perde a sensibilidade e adota uma atitude negativa sobre o trabalho e as relações;
  • satisfação pessoal: o profissional fica infeliz e insatisfeito com o próprio desempenho, avaliando-se negativamente com recorrência.

Portanto, a partir da identificação dos sintomas que indicam a Síndrome de Burnout, o profissional deve procurar ajuda psicológica especializada para diagnóstico e tratamento.

A adoção de técnicas de autocuidado é importante para evitar o agravamento da condição e mesmo auxiliar no tratamento. Saiba mais!

Como as técnicas de autocuidado previnem o esgotamento?

A Síndrome de Burnout é diferente da depressão, mas apresenta alguns sintomas comuns como a infelicidade, insatisfação pessoal e baixa autoestima.

Dessa forma, as técnicas de autocuidado são importantes para que a paciente tenha uma expectativa mais positiva em relação a ela mesma, o que ajuda na recuperação desse distúrbio emocional.

O autocuidado também é um momento no qual a pessoa dedica para si e está relacionado ao relaxamento e promoção da autoestima, dois aspectos importantes para amenizar o sentimento de desgastante e estresse decorrentes da rotina de trabalho.

4 técnicas de autocuidado para adotar

Existem diversas formas de incorporar na rotina o autocuidado para minimizar efeitos negativos e desgastantes da rotina. Saiba mais!

Mulher na natureza realizando técnicas de autocuidado

1. Cuidados com a pele e cabelo

Muitas pessoas podem se perguntar o que a estética tem haver com distúrbios emocionais e na verdade tem e muito.

Incorporar na sua rotina um tempo para autocuidados, principalmente no caso das mulheres, é essencial para aumentar a satisfação pessoal, recuperar a autoestima e o sentimento de valorização pessoal.

Separe dois momentos da sua rotina para isso, de manhã, antes de sair para o trabalho e a noite, antes de dormir.

Com essas técnicas você vai se sentir mais bonita e bem-cuidada e separar um tempo sem preocupações extras com o trabalho, importante para “desconectar” um pouco do estresse relacionado à rotina profissional.

2. Exercícios físicos

Se sua rotina está tão sobrecarregada que não sobra 30 minutos diários para dedicar-se aos exercícios físicos é fundamental rever seu estilo de vida para não desencadear ou agravar a Síndrome de Burnout.

Realizar exercícios físicos diariamente ajuda a aumentar os níveis de serotonina no organismo o que se reflete na redução do estresse, melhora a disposição, as noites de sono e a sensação de bem-estar.

3. Alimentação

Uma dica para amenizar a rotina desgastante é cuidar melhor da alimentação. Evite bebidas alcóolicas que provocam uma sensação depressiva posteriormente e também reduza o consumo de doces e gorduras.

Invista em alimentos naturais e saudáveis e, se gostar, dedique um tempo da sua rotina a fazê-los. O contato com os alimentos e o processo de descoberta aliviam o estresse e ansiedade em relação ao trabalho.

Se você não gosta de cozinhar, não tem problema. Só não vale sabotar sua alimentação adotando uma dieta pesada e sem os nutrientes recomendados.

4. Autoconhecimento

Uma das principais formas de autocuidado em relação aos distúrbios emocionais é o autoconhecimento. Por isso, invista em momentos de reflexão, seja sozinha ou com ajuda de um psicólogo.

O autoconhecimento te ajuda a identificar seus limites, seja na vida pessoal ou profissional, evitando que você aceite uma sobrecarga de trabalho que vai te fazer mal e desgastar.

Portanto, são diversas as técnicas de autocuidado que podem contribuir tanto na prevenção da Síndrome de Burnout, quando você percebe que está ultrapassando seus limites, como também na recuperação, ajudando a retomar as rédeas e escolhas mais saudáveis da própria vida.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Samira disse:

    Amei as dicas Dra Luciana!!! E falando de Síndrome de Burnout, eu achei esse teste de diagnostico: https://motivaplan.com/teste-de-burnout/