Suplementos alimentares: risco ou benefício para a sua saúde?

Corpo sarado, musculatura definida, a busca pelo corpo perfeito faz com que muita gente acabe pegando a onda do jeito errado. Dados mostram que entre 2012 e 2013 o consumo de suplementos alimentares aumentou 23% no Brasil, e só em São Paulo mais de 60% das pessoas que fazem academia fazem uso deles. Mas é preciso muito cuidado porque os resultados só são positivos se tomados de forma adequada, sempre com acompanhamento médico e nutricional.

O uso inadequado pode fazer com que a pessoa não só acabe refém do suplemento alimentar como acabar com a saúde prejudicada. E os cuidados devem começar logo pela escolha do produto: pesquisa do Instituto Adolf Lutz, também de São Paulo, mostrou que 25% deles contêm anabolizantes na fórmula, mais uma razão para que eles sejam tomados apenas sob indicação médica.

Produtos podem estar contaminados por anabolizantes e estimulantes

Apesar de os suplementos alimentares serem produzidos a partir de uma fonte natural, a fórmula varia bastante, com grau maior, menor ou nenhum de gorduras, vitaminas, proteínas, carboidratos, cafeínas, minerais e aminoácidos, por exemplo, sejam eles em pó ou em forma líquida.

A ideia é que eles sirvam para cobrir necessidades nutricionais que possam surgir com o exercício físico, aumentando o rendimento, principalmente de atletas. No entanto, o que várias análises mostram é que a maioria desses suplementos à base de produtos naturais acaba contaminada por substâncias derivadas de testosterona (anabolizantes, inibidores de apetite e estimulantes).

Fígado e rins são os mais prejudicados

Logo a pessoa ganha massa muscular e perde gordura, mas o estrago é muito maior do que o benefício externo: tomados em demasia sobrecarregam o metabolismo hepático, ósseo e renal, ocasionam perda de cálcio e propiciam o aparecimento de gota. Fígado e rins são os maiores prejudicados diretamente pelo consumo excessivo, por isso o acompanhamento de um nutricionista é tão importante.

É ele quem vai determinar a dose exata e o tipo de suplemento que é necessário de acordo com o “buraco” nutricional do organismo. Por outro lado, vários suplementos alimentares com fórmulas proibidas acabam entrando no país de forma ilegal, e quem os consome está sujeito ao desenvolvimento de doenças como câncer, doenças cardíacas graves, distúrbios hormonais e psicológicos.

Orientação médica e nutricional é indispensável

A melhor forma de consumir um suplemento alimentar adequado é sob a orientação médica e nutricional, que determinará também o tipo de alimentação mais adequada. Eles devem ser tomados, por exemplo, até 30 minutos depois dos exercícios, porque é nesse período que o ganho de massa muscular acontece. O ideal é que seja ingerido juntamente com algum carboidrato, como suco de frutas. Mas lembre-se: eles só funcionam se houver atividade física e não são indispensáveis, porque a única coisa que fazem é acelerar o processo. E, no final das contas, nada substitui uma alimentação balanceada.

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).