11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Síndrome ASIA ou Doença de Shoenfeld

Conheça mais sobre a ASIA (Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants)

Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants

O termo ASIA vem da abreviação do inglês  Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants ou seja Síndrome Autoimune Induzida por Adjuvantes 

Isto significa que é uma doença autoimune desencadeada por fatores externos (adjuvantes), e não necessariamente somente pela prótese de silicone.

O que chamamos de ADJUVANTE se trata de qualquer fator externo (ou corpo estranho) capaz de estimular nosso sistema imune. Em pacientes suscetíveis este estímulo do sistema imune pode gerar uma resposta inflamatória / autoimune generalizada, isto quer dizer, nosso corpo desenvolve uma defesa contra ele mesmo caracterizando uma auto agressão.

Os adjuvantes mais conhecidos são:

  • Componentes de vacinas
  • Biomaterias injetáveis
  • Hormônios
  • Silicone (até poucos anos considerado como material inerte, incapaz de estimular nosso sistema imune)
  • Outros dispositivos implantáveis 

Como se dá o diagnóstico?

Alguns critérios foram sugeridos por Shoenfeld (pesquisador que identificou a síndrome) para o diagnóstico de ASIA. 

O diagnóstico deve ser feito pelo reumatologista e devem estar presentes pelo menos dois critérios maiores ou um critério maior e dois menores citados abaixo:

Critérios maiores:

  • Exposição a um estímulo externo (infecção, vacina, silicone, adjuvante) antes das manifestações clínicas.
  • Aparecimento de uma das manifestações clínicas abaixo:
    – Mialgia, miosite ou fraqueza muscular;
    – Artralgia e/ou artrite;
    – Fadiga crônica, sono não repousante ou distúrbios do sono;
    – Manifestações neurológicas (especialmente associadas com desmielinização);
    – Alteração cognitiva, perda de memória;
    – Febre, boca seca.
  • A remoção do agente iniciador induz melhora.
  • Biópsia típica dos órgãos envolvidos.

Critérios menores:

  • Aparecimento de autoanticorpos dirigidos contra o adjuvante suspeito.
  • Outras manifestações clínicas (ex.: síndrome do cólon irritável).
  • HLA específicos (ex.: HLA DRB1, HLA DQB1).
  • Surgimento de uma doença autoimune (ex.: esclerose múltipla, esclerose sistêmica).

Devemos ter cautela pois estes sintomas são inespecíficos e também presentes em uma série de doenças e também podem ser efeitos colaterais de medicamentos que porventura a paciente possa estar utilizando.

O risco de desenvolvimento desta síndrome é muito baixo e existem poucos casos descritos na literatura médica.

Pacientes já portadoras de doenças autoimunes (por exemplo a Tiroidite de Hashimoto, Esclerodermia, Lupus, Doença de Sjogren…) devem ser consideradas como de risco para o desenvolvimento da ASIA em caso de colocarem a prótese de silicone.

Como é feito o tratamento?

O tratamento consiste em uma primeira fase com o uso de medicamentos imunossupressores e, se necessário será indicada a retirada da prótese de silicone (explante).

A prótese é retirada juntamente com a cápsula (Capsulectomia) que a envolve.

Do ponto de vista estético haverá necessidade de remoção de pele para remodelação da mama, a depender de cada caso, quando houver flacidez. A lipoenxertia pode ser indicada para aumento de volume na mama (lembrando que a gordura não dará projeção e volume como a prótese).

Também devemos considerar que um percentual de pacientes terá resolução de todos os sintomas após o explante sim, mas em alguns casos o retorno dos sintomas pode acontecer após meses da cirurgia ou até mesmo não haver nenhuma melhora, provando que o agente causador não foi exatamente o silicone e que a pesquisa do adjuvante deve seguida para um diagnóstico.

Por isso a decisão do explante deve ser criteriosa e informada desta possível evolução, já que a retirada da prótese pode trazer muitos desconfortos estéticos e psicológicos, sem muitas vezes a resolução dos sintomas.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).