Sculptra: Qual é o Melhor Tratamento para Flacidez

A queda dos tecidos deixa o rosto com aparência envelhecida, mas tratamentos como o Sculptra podem resolver esse problema

Se você está pesquisando qual é o melhor tratamento para flacidez, você já deve ter se deparado com o Sculptra, um procedimento estético que tem como objetivo maior promover um rejuvenescimento facial.

Uma das vantagens desse tratamento é que ele é muito menos agressivo do que o lifting facial, a cirurgia plástica que se destina a levantar e reposicionar os tecidos que apresentaram uma queda com o passar do tempo.

Entendendo a flacidez

Para decidir qual é o melhor tratamento para flacidez, primeiro é necessário conhecer melhor esse efeito. A flacidez consiste na “queda” dos tecidos, principalmente do rosto e do pescoço, que ocorre com o avanço da idade.

A firmeza e a sustentação da nossa pele são conferidas por uma proteína estrutural chamada colágeno, que é fabricada por células denominadas fibroblastos. O problema é que, quando envelhecemos, nosso corpo diminui a produção dessa proteína.

O resultado disso, como você já deve imaginar, é a flacidez, que deixa uma aparência cansada e envelhecida, que muitas vezes não reflete a forma como a pessoa se sente.

Como o Sculptra atua no combate à flacidez

O Sculptra atua justamente na produção de colágeno. Ele é feito com aplicações de ácido polilático, uma substância de origem sintética que é muito bem tolerada pelo organismo humano. Inclusive, ela é absorvida com o passar do tempo, sem causar rejeição.

Ao ser aplicado na pele, ácido polilático é capaz de estimular o funcionamento dos fibroblastos, ou seja, ele estimula a produção de colágeno, deixando a pele mais firme e melhorando os contornos faciais.

Além disso, o ácido polilático cria uma tensão na pele do rosto, promovendo um efeito positivo sobre rugas, linhas de expressão e sulcos, complementando o rejuvenescimento facial.

Indicações do Sculptra

A escolha do melhor tratamento para flacidez varia de pessoa para pessoa, conforme o grau do problema e as características da pele de cada indivíduo, além dos objetivos pretendidos pelo paciente.

Porém, em geral, o Sculptra é indicado para homens e mulheres entre 35 e 40 anos que apresentem algum grau de flacidez, embora não exista uma idade mínima para isso. Outra indicação é para pessoas que emagreceram muito e perderam volume facial.

Praticantes de corrida e atletas em geral também podem sofrer essa perde de volume, causada pela movimentação natural dos exercícios. Com isso, ocorre uma flacidez maior dos tecidos, principalmente das maçãs do rosto, deixando os ossos da face muito salientes.

Embora o Sculptra também melhore as rugas, ele não é o tratamento de escolha se esse for o principal objetivo do paciente. Nesse caso, é mais interessante recorrer à toxina botulínica para rugas como os pés de galinha e ao preenchimento para os sulcos como bigode chinês.

Como é a aplicação do Sculptra

O Sculptra é um procedimento estético feito em sessões, normalmente de duas a quatro, com um intervalo de 30 a 60 dias entre cada uma delas.

Na sessão, o cirurgião plástico vai aplicar uma anestesia tópica para evitar dores e desconfortos. Em seguida, ele vai injetar o ácido polilático na camada mais profunda da pele com agulhas muito finas.

Mesmo que o procedimento seja simples, é necessário fazê-lo com um profissional de confiança. Isso porque o Sculptra deve ser aplicado na camada mais profunda da pele, chamada de subcutânea ou hipoderme.

Se for aplicado na derme ou na epiderme, que são as camadas intermediária e superior, respectivamente, o ácido polilático pode formar nódulos ou irregularidades na superfície da pele.

Como fica o rosto depois de uma sessão de Sculptra

Por se tratar de um procedimento simples, o paciente não precisa se afastar do trabalho, podendo voltar às suas atividades logo depois da aplicação. Porém, como todo procedimento estético que envolva perfurações, podem surgir alguns sinais leves.

Esses sinais são manchas arroxeadas nos locais da aplicação e áreas de vermelhidão, causadas pelo rompimento de pequenos vasinhos sanguíneos. Esse efeito vai desaparecer dentro de alguns dias.

Além disso, alguns pacientes também apresentam um inchaço leve no rosto, mas nada que seja muito perceptível ou que modifique suas feições.

Cuidados depois do Sculptra

Mesmo o melhor tratamento para flacidez pode ter resultados insatisfatórios se alguns cuidados não forem seguidos depois do procedimento.

No caso do Sculptra, durante as primeiras semanas pós-tratamento é recomendável fazer uma massagem leve nos locais de aplicação duas vezes por dia. O paciente pode usar seu hidratante de costume para isso.

Outro cuidado essencial é evitar se expor ao sol enquanto o rosto ainda apresentar vermelhidão, manchas rochas ou edema, de forma a evitar manchas permanentes.

O que esperar dos resultados do Sculptra

Logo depois da primeira aplicação, o inchaço natural vai dar a sensação de lifting no rosto, mas esse ainda não é o efeito real. Muitos pacientes gostam desse efeito, mas ele é apenas temporário e vai desaparecer com a reabsorção do edema.

Os resultados verdadeiros podem ser percebidos cerca de dois meses depois da segunda sessão de Sculptra, pois é necessário aguardar o tempo de estimulação dos fibroblastos e aumento na produção do colágeno.

A maior parte dos pacientes fica bastante satisfeita com os resultados do procedimento. Porém, é preciso destacar que, como o ácido polilático é absorvido pelo organismo, será necessário fazer uma nova aplicação em cerca de dois anos.

Embora o Sculptra seja um excelente procedimento, escolher o melhor tratamento para flacidez varia conforme o caso de cada paciente, por isso é indispensável uma avaliação presencial.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).