Reeducação alimentar: por que ela é essencial à busca pelo corpo ideal

Pessoa comendo em um prato com verduras e legumes

Dietas da moda prejudicam a saúde e não funcionam. Descubra como a reeducação alimentar pode te ajudar.

Dieta da lua, dieta do limão, dieta da sopa… Qual é a dieta do momento? Se você está por fora, basta acessar qualquer site dedicado ao público feminino ou dar uma espiadinha nas revistas que ficam próximas aos caixas do supermercado. Não falha nunca: nessas publicações, você com certeza vai encontrar uma matéria com a nova dieta da moda, que prometer fazer você emagrecer vários quilos em pouco tempo.

Quem já fez uma (ou várias) dessas dietas sabe: você até consegue perder alguns quilinhos, mas eles acabam voltando assim que você retoma a sua rotina. Além disso, é comum sofrer alguns efeitos adversos enquanto se está seguindo a dieta maluca, como ter dores de cabeça, fraqueza e mau humor.

Ou seja, além de não ser uma solução definitiva para conquistar o corpo ideal, as dietas da moda ainda podem causar danos ao seu organismo. Mas isso significa que você ficará acima do peso para sempre? Claro que não! Vamos descobrir o que pode te ajudar a mudar esse quadro definitivamente.

mulher comendo salada de folhas para uma reeducação alimentar

O perigo das dietas da moda

Você aconselharia a sua melhor amiga a passar uma semana inteira tomando apenas suco? Provavelmente não. Apesar disso, muitas mulheres se submetem a seguir uma dieta dessas, que é extremamente restritiva.

Uma dieta que proíbe totalmente o consumo de um grupo alimentar, como os carboidratos, acaba prejudicando nosso organismo. Afinal, mesmo que a recomendação seja evitar alimentos riscos em açúcar ou gordura, nosso corpo precisa de uma quantidade mínima desses elementos para manter seu bom funcionamento.

Em consequência, depois de algum tempo seguindo dietas restritivas – que pode ser de alguns dias ou mesmo de algumas horas, dependendo a rigidez –, você pode começar a se sentir fraca, com dor de cabeça, sentindo dificuldades de concentração. “Saco vazio não para em pé”, já dizia a sua avó, e ela estava certa. Sem comida, sua produtividade vai cair e você vai enfrentar crises de mau humor, prejudicando seus relacionamentos.

Quando passamos dias seguindo uma dieta pobre em nutrientes essenciais, nosso organismo começa a ficar debilitado. A falta de vitaminas, sais minerais, gorduras boas, proteínas e carboidratos prejudica o funcionamento dos processos do nosso corpo – e, em longo prazo, isso pode acarretar deficiências e mesmo doenças.

E você sabe muito bem o que acontece quando nosso corpo é privado de alimentação: na primeira oportunidade, devoramos tudo o que aparece pela frente. Como resultado, os quilinhos perdidos acabam voltando, geralmente acompanhados de mais algumas gordurinhas extras, no temido efeito sanfona.

O segredo do emagrecimento saudável: a reeducação alimentar

Mas, então, se as dietas não funcionam, você vai ficar acima do peso para sempre? Não necessariamente. É possível sim emagrecer, conservar (e melhorar) a saúde e manter os resultados, desde que você faça uma reeducação alimentar.

A reeducação alimentar consiste, com seu próprio nome sugere, em um aprendizado sobre a alimentação, sobre o que estamos consumindo para atender às necessidades do nosso corpo. Nesse processo, muito mais do que perder alguns quilos, nós nos educamos para fazer as melhores escolhas, aprendemos como manter uma alimentação adequada mesmo com os compromissos sociais e entendemos como podemos compensar eventuais saídas da linha.

Quando procuramos um nutrólogo ou um nutricionista, esses profissionais estão aptos a nos passar conhecimentos sobre o funcionamento do nosso corpo em relação à alimentação, nos dando mais ferramentas para manter uma alimentação saudável. Conheça alguns princípios da reeducação alimentar:

Composição do prato

Dependendo da sua rotina, você terá determinada necessidade de calorias e demais nutrientes. Uma atleta profissional certamente precisa de mais calorias do que uma advogada, por exemplo. Por isso, a dieta não funciona se adotarmos o mesmo cardápio para pessoas com metabolismo e rotinas diferentes.

Com a reeducação alimentar, você aprende a reconhecer suas necessidades metabólicas e, a partir disso, entende como deve elaborar suas refeições diárias, incluindo porções de frutas, verduras, legumes, carboidratos, proteínas magras e gorduras boas. Acredite: às vezes, subestimamos as calorias de um alimento e acabamos consumindo mais do que deveríamos.

Além disso, também fica mais fácil entender por que não devemos beliscar entre as refeições – esse hábito causa picos de índice glicêmico, dando ainda mais fome algum tempo depois.

Gráfico com alimentos separados por quantidade de consumo

Eventos sociais

Não tem como seguir uma dieta maluca sem prejudicar sua vida social e vice-versa. Afinal, sempre surge um convite para um aniversário, um casamento ou uma reuniãozinha de amigas, e tudo isso gira em torno da comida. Não podemos negar: a comida tem um forte aspecto social, e se privar dessas ocasiões causa muita frustração.

Com a reeducação alimentar, aprendemos como devemos nos portar nesses eventos, de forma a evitar exageros. Fazer um lanche saudável antes da ocasião, saber se controlar para não repetir o prato e escolher apenas uma sobremesa fazem parte desse aprendizado.

Além disso, a reeducação alimentar nos ensina a compensar os exageros: se você saiu da linha um dia, sabe que precisará compensar durante a semana, diminuindo o consumo de alguns itens mais calóricos.

Mudança de pensamento

Muito mais do que propor uma mudança no cardápio, a reeducação alimentar promove uma mudança do nosso pensamento. Assim, conseguimos nos livrar da compulsão pela comida e entendemos que é possível sim comer algumas guloseimas, desde que saibamos como compensar depois.

Emagrecer, conquistar o corpo ideal e conseguir manter esses resultados depende de uma mudança de estilo de vida, e não apenas de alguns dias de privações.

mulher recusando lanches e doces com a mão direita e fazendo joia para frutas e legumes em uma reeducação alimentar

Você também pode gostar de: Alimentos antioxidantes: Saiba como podem ajudar a manter a sua juventude

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).