11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Qual o melhor: Leite de vaca ou Leite de Soja

Entenda as diferenças entre leite de vaca e leite de soja.

O leite é um dos alimentos que mais consumimos na vida, desde que nascemos. Quem não toma leite hoje em dia? Para muita gente, ele é quase tão importante quanto o café, os pães e as frutas do café da manhã. Por outro lado, toda mulher que pensa em fazer uma dieta mais saudável se depara com esse tipo de dúvida: será que devo abandonar o leite de vaca e substitui-lo pela famosa versão de soja ou o melhor mesmo é continuar consumindo a primeira opção? O leite sempre esteve envolvido em muitas polêmicas quando se trata de dietas saudáveis. No caso da versão de soja, a coisa não é nada diferente.
Comparar os dois tipos de leites não faz sentido, apenas no nome. Isso porque ainda que ambos possuam importantes fontes de proteína, eles não se enquadram no mesmo grupo alimentar. A singularidade está na composição de cada um e isso faz com que cada um deles seja adequado – ou desaconselhado – para uns ou para outros. Sendo assim, se você está pensando em substituir o leite de soja pelo leite de vaca ou vice-versa é preciso ater-se às suas necessidades. Um dos motivos que leva muita gente a optar por outros tipos de leite, sendo o de soja a segunda opção mais comum e acessível, é a intolerância à lactose, por exemplo, a qual uma pessoa pode apresentar desde que nasce ou desenvolver ao longo da vida.

Prós e contras do leite de vaca

O leite de vaca, como o nome já diz, é de origem animal. Ele integra o grupo alimentar de Leite e Derivados e tem grandes quantidades de proteínas e vitaminas que não são produzidas pelo corpo humano. É uma importante fonte de cálcio, potássio e magnésio, substâncias mais do que essenciais não só para o desenvolvimento do corpo, mas também para a saúde dos ossos. Lembremos que o leite de vaca contém lactose, isto é, aquele açúcar natural que é produzido pelas glândulas mamárias dos mamíferos. O leite também é rico em vitamina B12 e carboidratos, importantes fontes de energia.

Como contras, temos o processo de industrialização do leite de vaca. Alguns pesquisadores apontam que a pasteurização, por exemplo, é um processo que elimina bactérias nocivas do leite, mas que, ao mesmo tempo, mata boa parte de suas propriedades nutritivas. Outro ponto que muitos pesquisadores reiteram é que as vacas, que são tratadas com antibióticos, hormônios e medicamentos, acabam passando essas substâncias para o leite e, por tabela, para nós, ajudando a estimular inflamações como as famosas “ites” no corpo. Além disso, o leite de vaca ajuda a formar muco, sendo inadequado quando se está resfriado.

Prós e contras do leite de soja

O leite de soja, por sua vez, é pertencente do grupo alimentar das Leguminosas e é justamente o líquido extraído das sementes. Ele é rico em minerais, vitaminas e antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres e retardar o envelhecimento. O leite de soja combate também problemas de colesterol alto e diminui riscos de doenças cardiovasculares, além de ajudar a controlar a diabetes. Contém ainda fibras e uma pequena concentração de cálcio, motivo pelo qual ele se tornou um ótimo substituto do leite de vaca. Livre de colesterol, o leite de soja tem menos gordura que o leite de vaca, previne o câncer e é usado por quem quer perder peso, exatamente por possuir zero colesterol e por não conter lactose.

Por outro lado, temos o fato de que, apesar de ser menos gorduroso e rico em nutrientes, ele deve ser evitado em excesso, uma vez que o leite de soja também é industrializado e, portanto, pode acabar trazendo malefícios, como por exemplo substâncias que irão diminuir a capacidade do organismo de absorver minerais, aminoácidos e nutrientes. Crianças só devem tomar leite de soja sob orientação médica, uma vez que ele pode ter efeito negativo sobre seu desenvolvimento hormonal, levando à puberdade precoce. Também temos que lembrar o fato de ele não conter colesterol, que é fundamental para o bom funcionamento do cérebro e que, em baixos níveis, pode trazer uma série de complicações.

Afinal, qual devo tomar?

Na verdade, não existe o melhor leite, justamente porque, para ter essa resposta, é preciso analisar os dois sob uma mesma perspectiva individual, que não é possível, já que eles provém de grupos alimentares distintos. O consumo dos dois leites também é perfeitamente aconselhável. No entanto, o consumo de leite, seja ele de soja ou de vaca, deve ser moderado. Se o indivíduo sofre de intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite, o leite de soja é um ótimo substituto, além dos leites de amêndoas e de arroz, entre outras alternativas. Para essas pessoas, a lactose pode trazer problemas gastrointestinais, como prisão de ventre, diarreia, flatulência, refluxo, além de vermelhidão generalizada na pele, entre outros problemas que vão variar de acordo com o grau de alergia ou intolerância à lactose do leite de vaca.

Por anos acreditou-se que o ser humano não poderia consumir o leite de vaca porque seu organismo não seria capaz de digerir o leite. Isso é um mito, até porque, com o andar das décadas o ser humano passou por uma mutação e começou a produzir uma enzima que leva o nome de lactase, responsável por digerir o leite em seu organismo. Isso fez com que o ser humano pudesse se adaptar ao consumo do leite. No caso do leite de vaca, ele é largamente utilizado em seus derivados e importantíssima fonte de nutrientes para o corpo. O leite de vaca tem biodisponibilidade, ou seja, o cálcio do leite é absorvido pelo corpo com mais facilidade em relação ao cálcio dos vegetais. No de soja, você irá absorver outros nutrientes importantes, como de qualquer outra leguminosa, com menos calorias, mais fibras e menos peso na balança!

CTA Assine o BLOG Dra Luciana Pepino 2
Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).