Como controlar o colesterol? Previna-se agora!

imagem descritiva de alimentos bons que podem ser utilizados para o controle do colesterol. Soja, frutas, peixe entre outros.

Alimentação rica em gordura animal favorece o colesterol ruim, aumentando o risco de infartos e derrames. Previna-se.

Quando falamos em controlar o colesterol, logo pensamos sobre os problemas trazidos pelo famoso “colesterol alto”, principalmente o risco aumentado para derrames e infartos. Porém, apesar de ser visto como vilão, o colesterol é fundamental para o organismo.

Ele é necessário para a formação da membrana celular e a produção da vitamina D e alguns hormônios, entre outras funções. Assim, o controle do colesterol se refere à manutenção de um equilíbrio entre as taxas do colesterol “bom” (HDL) e do colesterol “ruim” (LDL)

Imagem de 3 artérias. Na primeira o sangue flui normalmente. Na segunda a aterosclerose começa a entupir a veia e na terceira já há um problema maior.

Colesterol bom x colesterol ruim

O HDL e o LDL na verdade não são gorduras, mas sim lipoproteínas. Como o próprio nome indica, essas estruturas são formadas por um lipídio e uma proteína.

Neste caso, o lipídio é sempre o colesterol, enquanto a proteína pode ser de alta densidade (HDL) ou baixa densidade (LDL). A função das lipoproteínas é transportar o colesterol pelo sangue, pois ele sozinho não se dissolveria (as gorduras não são solúveis em água).

O LDL leva o colesterol do fígado para os tecidos e células. Porém, quando está em excesso, ele se acumula dentro das artérias, dando origem a placas de gordura que podem bloquear o fluxo sanguíneo, causando a aterosclerose.

Essa condição dá origem a outras doenças e problemas muito graves e potencialmente fatais, por isso o LDL é conhecido como “colesterol ruim”. Esses problemas incluem:

  • Acidente vascular cerebral (AVC ou derrame);
  • Infarto agudo do miocárdio;
  • Aneurisma;
  • Insuficiência renal crônica;
  • Trombose (quando uma placa de solta e viaja pelo corpo);
  • Embolia pulmonar.

O HDL, por sua vez, faz o transporte do colesterol no sentido contrário, levando a gordura que está em excesso no sangue e nas artérias até o fígado, onde ela será processada para depois ser eliminada pelo intestino.

Dessa forma, o HDL tem um efeito protetor sobre o sistema cardiovascular, sendo conhecido como “colesterol bom”.

Piores alimentos para o colesterol: veja como substituí-los

Para controlar o colesterol, é essencial fazer algumas trocas na dieta. O truque é reduzir o consumo de alimentos ricos em gorduras animais e açúcares, dando preferência àqueles que contêm gorduras boas e fibras. Saiba quais são os maiores vilões e como substituí-los:

  1. Pão branco: rico em carboidratos simples, o pão branco contribui para o aumento das taxas de glicose e colesterol. A dica é substituí-lo pelo pão integral, que tem mais fibras e ajuda a reduzir a absorção dessas substâncias;
  2. Leite integral e seus derivados: os laticínios são muito importantes para a manutenção dos níveis de cálcio, mas a versão integral é rica em ácidos graxos saturados, que elevam o colesterol. Por isso, vale a pena substituí-los por produtos desnatados;
  3. Molhos prontos para salada: alguns desses produtos contêm gordura saturada, além de serem ricos em sódio. Em vez desses molhos, opte pelo azeite de oliva, que ajuda a elevar os níveis do colesterol bom (HDL) e previne a formação de placas pelo colesterol ruim (LDL);
  4. Queijos amarelos: queijos como provolone, muçarela e parmesão são mais gordurosos e devem ser substituídos por versões brancas, como cottage e ricota. No caso das pizzas, é melhor trocar a de quatro queijos por uma de rúcula, brócolis ou escarola;
  5. Salgadinhos de pacote: petiscos industrializados costumam ser ricos em gorduras prejudiciais. Por isso, substitua-os por castanhas, nozes ou até mesmo pipoca, desde que preparada na panela e com pouco óleo. Consuma-os com moderação, pois eles são calóricos;
  6. Cereais açucarados: o açúcar é um ingrediente inflamatório, agravando o colesterol alto e os triglicerídeos. Assim, vale a pena substituir cereais açucarados pela aveia, que é rica em fibras betaglucanas, as quais controlam a produção de colesterol e favorecem o HDL;
  7. Camarão: este é o rei do colesterol ruim entre os frutos do mar, oferecendo 152 mg em 100 gramas. Por isso, é melhor dar preferência ao salmão, um peixe rico em gorduras boas, como o ômega 3, que ajuda a reduzir o LDL que se deposita nas artérias e formaria placas;
  8. Cortes gordurosos e embutidos: costela, picanha e cupim, assim como salame, salsicha e outros embutidos, são ricos em gordura saturada. É melhor optar por cortes mais magros, como filé mignon e alcatra, ou substituí-los por peixes, frango sem pele ou lombo suíno;
  9. Manteiga: pode agravar um desequilíbrio nos níveis de colesterol por ser rica em gordura animal. Ela pode ser trocada por azeite de oliva ou por margarinas que contenham fitoesterois, substâncias antioxidantes que protegem os vasos da ação do LDL;
  10. Molho branco: a mistura de creme de leite, leite integral e queijo faz com que o molho branco seja rico em gorduras saturadas. Dessa forma, é mais saudável optar pelo molho de tomate, preferencialmente feito em casa.
imagem descritiva de alimentos bons que podem ser utilizados para o controle do colesterol. Soja, frutas, peixe entre outros.

 

Outras medidas para controlar o colesterol

Além de substituir os produtos que aumentam o colesterol ruim, um perfil lipídico equilibrado demanda uma alimentação saudável como um todo, rica em frutas, legumes e verduras, leguminosas, cereais integrais e gorduras boas (salmão, azeite de oliva, castanhas etc.).

O cuidado com a dieta é fundamental, mas controlar o colesterol também requer outras medidas. A prática regular de exercícios é uma das principais, pois ajuda a combater a obesidade (o que facilita o controle do colesterol), reduz o LDL e aumenta o HDL.

Esse efeito é observado principalmente em exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida, bicicleta etc. Além disso, movimentar os músculos tem um efeito anti-inflamatório no corpo, prevenindo a oxidação do colesterol ruim (LDL) e a formação de placas de gordura.

Outro cuidado essencial é ficar longe do cigarro e das bebidas alcoólicas, pois ambos contêm substâncias prejudiciais que favorecem a oxidação do LDL e a consequente formação de placas nos vasos, elevando os riscos de entupimento das artérias, derrame e AVC.

Ainda, ter o acompanhamento de um endocrinologista é essencial para monitorar os níveis de colesterol e determinar os cuidados necessários, incluindo o uso de medicamentos. Agende sua consulta com o especialista na clínica da Dra. Luciana Pepino!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp